Prólogo: Para apreciadores da linha mais moderna do metal

Resenha - Equilibrium - Prólogo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

6


Ao mesmo tempo que o metalcore é uma das vertentes da música pesada que mais cresce nos últimos anos, também é a que mais polêmica gera entre os fãs mais tradicionais do estilo. Contudo, alheias a tudo isso, cada vez mais bandas buscam aventurar-se por tais caminhos, como é o caso do PRÓLOGO, de Criciúma (SC).

E o quinteto investe pesado em todos os clichês do estilo: riffs pesados contrastados com linhas de guitarras mais melódicas; cozinha direta e cheia de groove; e vocais que variam entre o gutural e o limpo com muita naturalidade.

publicidade

O álbum é muito bem produzido (o som das guitarras, em especial, está matador), e as faixas são bem estruturadas e com letras bem interessantes, e com vários momentos grudentos que ficam na cabeça do ouvinte por dias após a audição. Contudo, o problema é que as 10 faixas são, no geral, bem parecidas entre si, mantendo um certo padrão que tornam a audição um pouco cansativa ao longo do tempo.

publicidade

Além disso, o excesso de linhas mais melódicas acaba saturando um pouco a sonoridade da banda, pois é perceptível que nos momentos mais agressivos os caras se sobressaem e mostram muita qualidade (vide as ótima "Fluxo Inerte" e "Pilares), e poderiam ter investido um pouco mais nessa linha.

Contudo, certamente quem curte essa linha mais melódica do estilo encontrará tudo que procura em "Equilibrium". Já quem não curte, irá encontrar aqui ainda mais motivos para não curtir, por isso, se for o seu caso, passe longe.

publicidade

publicidade

Equilibrium – Prólogo
(2013 - Nacional)

Tracklist:

01. Pilares
02. Sintonia
03. Fluxo Inerte
04. Equilíbrio
05. Lenços Sujos
06. Amanhecer
07. Íris
08. Espelho
09. Refração
10. Bem Maior



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Oh, não!: clássicos que foram estragados pelo tempoOh, não!
Clássicos que foram "estragados" pelo tempo

Humor: Não basta ouvir Master Of Puppets para ser ThrashHumor
Não basta ouvir Master Of Puppets para ser Thrash


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin