Prólogo: Representando o Metalcore catarinense

Resenha - Equilibrium - Prólogo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8


Se você é daqueles que não aceitam a nova geração que ousa misturar Metal com Hardcore e possui uma acentuação pop, vá virando a página, ou melhor, clica em outra resenha. O Prólogo é um grande representante do Metalcore de Santa Catarina e sim, segue a nova tendência, mas com qualidade.

Maquiagem, spikes e sorrisos: conheça o Happy Black MetalOzzy Osbourne: "o morcego era quente e crocante"

A banda possui todos os clichês do gênero se utilizando de guitarras pesadas (focadas no Thrash dos anos 90), vocais guturais se alternando com vocais limpos (e perigosos, se é que me entendem), muita melodia e canta letras em português que possui em suas temáticas veias filosófica.

E quem disse que isso é ruim? Não se trata da renovação do Metal, mas sim de um novo gênero e que vive um momento atual, assim como o Thrash teve, o Glam, o Gothic e por aí vai.

A cozinha da banda mostra uma ótima consistência e uma pegada forte, sendo que as guitarras dão o peso necessário. O grupo poderia investir mais em vocais guturais ou ao menos algo mais agressivo nos refrãos que, apesar de emotivos, às vezes soam cansativos.

A coesão do grupo é algo que se destaca também, assim como a ótima produção do já renomado Adair Daufembach que se tornou um renomado produtor do gênero. Destaque para Pilares, Íris e Espelho. Um ótimo trabalho.

http://www.prologomusic.com.br/
https://www.facebook.com/musicprologo


Outras resenhas de Equilibrium - Prólogo

Prólogo: Para apreciadores da linha mais moderna do metalPrólogo: "Equilibrium" é um debut de respeito



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Prólogo"


Maquiagem, spikes e sorrisos: conheça o Happy Black MetalMaquiagem, spikes e sorrisos
Conheça o Happy Black Metal

Ozzy Osbourne: o morcego era quente e crocanteOzzy Osbourne
"o morcego era quente e crocante"


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.