Neil Young: O mais novo velho álbum do Old Man

Resenha - A letter home - Neil Young

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo Furtado
Enviar Correções  

10


Muito se especulou sobre a "parceria musical" entre Neil Young e Jack White na internet. De épocas totalmente diferentes, tais músicos possuem uma característica bastante em comum: um "pé" nos primórdios do rock. E o que esperar da união dessa dupla?

Guns N' Roses: a famosa trilogia de clipes do grupoAs regras do Thrash Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O novo CD do Mr. Young foi gravado pelo selo de Jack White - Third Man Records. Infelizmente não temos uma contribuição direta de Jack nas músicas, o que não seria uma má ideia para o futuro. Mas esta ideia passou longe da intenção deste lançamento. O que temos aqui é
um CD de covers que inspiraram Neil no início de sua carreira (década de 60), totalmente executado (voz e violão) por Neil Young. Até aqui, um CD de covers como outro qualquer. Mas acredito que Neil Young foi um pouco mais longe desta vez: a novidade é que todo o álbum foi gravado em uma cabine de madeira chamada Voice-O-Graph, uma tecnologia de 1947, em que a voz e o violão vão direto para o vinil.

Esta foi mais uma forma do Neil Young nos mostrar seu total inconformismo com a musicalidade atual. Este "resgate às origens" de Young já havia sido demonstrado em 2012, quando depois de nove anos voltou com a sua banda de apoio Crazy Horse, lançando "Americana", um CD de músicas folclóricas americanas adaptadas ao seu estilo de rock. Neste novo álbum, Neil Young deixou um pouco de lado seus traços roqueiros para se aventurar num mundo eminentemente folk.

"A letter home" não tem como ponto forte a criatividade, mas a simplicidade e a constância. Passando pelas músicas, podemos destacar a primeira, "Changes", cover de Phil Ochs, "Needle of Death" de Bert Jansch (já está no you tube o clipe desta música) e "If You Could Read My Mind" de seu conterrâneo canadense Gordon Lightfoot.

Apesar de ser um CD bastante diferente dos últimos lançados por Neil, este continua brilhantemente a enorme trajetória do Old Man, além de ser uma boa forma de conhecer ótimos artistas hoje esquecidos.

"Changes" (Phil Ochs)
"Girl From The North Country" (Bob Dylan)
"Needle of Death" (Bert Jansch)
"Early Morning Rain" (Gordon Lightfoot)
"Crazy" (Willie Nelson)
"Reason To Believe" (Tim Hardin)
"On The Road Again" (Willie Nelson)
"If You Could Read My Mind" (Gordon Lightfoot)
"Since I Met You Baby" (Ivory Joe Hunter)
"My Hometown" (Bruce Springsteen)
"I Wonder If I Care As Much" (Everly Brothers)


Outras resenhas de A letter home - Neil Young

Resenha - A Letter Home - Neil YoungResenha - A letter home - Neil Young



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Religião: Top 10 citações sobre Deus e o DiaboReligião
Top 10 citações sobre Deus e o Diabo

Sweet Home Alabama: o mito Lynyrd Skynyrd x Neil YoungSweet Home Alabama
O mito Lynyrd Skynyrd x Neil Young


Guns N' Roses: a famosa trilogia de clipes do grupoGuns N' Roses
A famosa trilogia de clipes do grupo

As regras do Thrash MetalAs regras do Thrash Metal


Sobre Leonardo Furtado

Dependente do rock e tudo que está em sua órbita. Como dizia Frankz Zappa: "a maioria das pessoas não reconheceria boa música nem que ela viesse mordê-las na bunda".

Mais matérias de Leonardo Furtado no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor