Reckoning Hour: Metalcore de extrema qualidade

Resenha - Rise Of The Fallen - Reckoning Hour

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Felipe Cipriani Ávila
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Reckoning Hour é uma banda de Metalcore oriunda do Rio de Janeiro. O EP de estreia, "Rise Of The Fallen", impressiona pela versatilidade e profissionalismo, mesmo levando-se em consideração o fato da banda ser recente, tendo sido formada em 2012. Eis uma grata surpresa!

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave MustaineDuff McKagan: Anestesias não funcionam mais no baixista

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O que impressiona prontamente em "Rise Of The Fallen" é a forte identidade que a banda já vem construindo, embora este seja o seu EP de estreia. Claro, são perceptíveis algumas influências, até porque tudo sofre influência de algo, porém as composições são tão fortes e soam tão atuais e versáteis, com temas instrumentais e vocais belíssimos, que a audição do EP é extremamente prazerosa, deixando o ouvinte com uma sensação de "quero mais"!

A sonoridade da banda é calcada no Metalcore, com muitos elementos modernos, e embora haja todos os elementos presentes no gênero, como guitarras em afinação baixa, a alternância entre vocal gutural e limpo, contrabaixo executado de modo veloz e bateria rápida com pedal duplo, a mesma não se limita musicalmente, sendo possível a identificação de vários subgêneros do Heavy Metal no decorrer da audição, sem que estes soem estranhos ou desconexos entre si, tudo isso adicionado a já mencionada identidade própria em construção e ao alto nível técnico dos músicos, que conhecem muito bem o "carteado", sabendo o que estão fazendo. As composições são repletas de riffs e solos de guitarra intrincados aliados a um excelente trabalho vocal!

Aliás, é necessário mencionar o belo trabalho do vocalista JP, que alterna muito bem os vocais guturais aos mais limpos e melódicos, passando muita emoção nas suas interpretações. A banda toda se mostra coesa, entrosada e de um profissionalismo incontestável, de modo que parece estar muito mais tempo "na estrada"!

Há tantas qualidades nas canções que seria injusto não analisá-las de modo um pouco mais profundo, até por serem apenas cinco na sua totalidade. A audição do EP, como já foi mencionado anteriormente, é muito prazerosa, dentro dos seus vinte e nove minutos de duração. A faixa de abertura, "A Moment Of Defiance", já dá mostras do que está por vir. O seu início é lento, porém ela logo fica mais encorpada e pesada, com belas melodias aliadas a momentos bem agressivos. A alternância entre vocal limpo/melódico e gutural ocorre naturalmente, de modo que tudo se encaixa e se complementa. O refrão é muito bonito e de fácil memorização. O instrumental é muito pesado, complexo, com ótimos riffs e solos de guitarra. A combinação entre os momentos mais pesados com os mais emocionais e melódicos cativa o ouvinte de imediato!

A segunda música, "Confront The Storm", que é a mais longa do EP, com duração de quase oito minutos, já começa muito pesada e enérgica! O som das guitarras de Philip Leander e Thiago Tavares soa ótimo! Eis uma música repleta de excelentes linhas vocais e instrumental coeso, com muita variação, ora mais furioso e pesado, ora mais melódico, de modo que tudo se encaixa perfeitamente, não deixando a audição enfadonha por se tratar de uma faixa mais longa. O baterista Haquim trabalha bastante na faixa em questão, nos brindando com um excelente desempenho!

As duas próximas canções mantêm o ouvinte "capturado" e "preso" diante de tantas belas melodias jungidas a momentos repletos de energia e agressividade. Em "Darkness Remains" temos uma excelente introdução, com um andamento bem rápido, com a bateria impressionando pela precisão e fúria de sua execução! Não é exagero tecer elogios mais do que merecidos aos ótimos riffs de guitarra e à bela alternância entre os vocais mais limpos e agressivos. O refrão, então, é maravilhoso, sendo um dos melhores de todo o trabalho, sem sombra de dúvida! A música é permeada por uma parede sonora poderosa, que impressiona pelo peso! E que peso, amigo leitor! É admirável como a banda toda mostra um entrosamento incrível, tocando com muita garra, paixão e profissionalismo! Ela se encerra do mesmo modo que começou, muito agressiva e enérgica! Já a próxima, "Against The Tide", possui uma introdução lenta e introspectiva, mas que logo dá lugar para a mais pura agressividade, com excelentes vocais guturais alternando entre linhas mais limpas e melódicas. Outro tema de fácil memorização e assimilação, que logo "prende" o ouvinte com o seu refrão para ser cantado em uníssono pelo público nas apresentações ao vivo. Há de se elogiar o belo solo de guitarra, melodioso na medida certa!

A faixa que encerra este ótimo trabalho, "Ten Steps", mantêm o padrão de qualidade, já começando pesada e com instrumental encorpado! Há ótimas variações, tanto nos temas instrumentais como nos vocais. O solo de guitarra é rápido, longo e preciso e, mais uma vez, somos brindados com mais um excelente refrão! Não poderia haver um modo de fechar o EP de forma mais satisfatória, com "chave de ouro", nos deixando ansiosos do que ainda está por vir, em um futuro que parece que será regado a muitas glórias!

Aliás, falando em futuro, a banda já está trabalhando no seu álbum de estreia, cujo nome já foi divulgado: entre a morte e a coragem. Resta-nos aguardar, ansiosamente, pela sua finalização e lançamento! As expectativas são grandes, já que o material apresentado em "Rise Of The Fallen" é excelente!

A parte lírica do trabalho merece menção, pois é muito interessante, abordando a superação de problemas e adversidades, assim como temas conflitantes,que fazem parte do nosso cotidiano, tudo com uma forte mensagem que merece atenção.

É, embora saiba que soarei repetitivo fazendo tal afirmação, a verdade é que o resultado final do EP não poderia ser mais satisfatório, afinal de contas estamos diante de cinco temas muito fortes, sendo que desde a primeira audição estes ficam "colados" na mente! O trabalho como um todo é muito consistente, nos deixando com uma sensação de "quero mais", tamanha a qualidade apresentada. As músicas soam atuais, encorpadas, pesadas, repletas de emoção e paixão! É gratificante conhecer uma nova banda nacional que não deixa nada a dever às bandas estrangeiras do mesmo gênero! Altamente recomendável aos apreciadores do Metalcore e das vertentes mais modernas do Heavy Metal!

Confiram abaixo a segunda música do EP, "Confront The Storm":

Formação da banda:
JP - Vocal
Yan Marks - Contrabaixo
Philip Leander - Guitarra
Thiago Tavares - Guitarra
Haquim - Bateria

Faixas:
1 - A Moment Of Defiance
2 - Confront The Storm
3 - Darkness Remains
4 - Against The Tide
5 - Ten Steps


Outras resenhas de Rise Of The Fallen - Reckoning Hour

Reckoning Hour: Um nome para derrubar preconceitosReckoning Hour: Agressividade no MetalcoreReckoning Hour: Grande revelação do metalcore nacional




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Reckoning Hour"


Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave MustaineElectra Mustaine
A linda filha do Sr. Dave Mustaine

Duff McKagan: Anestesias não funcionam mais no baixistaDuff McKagan
Anestesias não funcionam mais no baixista


Sobre Felipe Cipriani Ávila

Headbanger convicto e fanático, jornalista (graduado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUC Minas), colecionador compulsivo de discos, não vive, de modo algum, sem música. Procura, sempre, se aprofundar no melhor gênero de música do mundo, o Heavy Metal, assim como no Rock'n'Roll, de um modo geral, passando pelo clássico, pelo progressivo, pelo Hard setentista e oitentista, e não se esquecendo do Blues. Play It Loud!

Mais matérias de Felipe Cipriani Ávila no Whiplash.Net.

adGoo336