Bloodgood: Mostrando que ainda sabem fazer Metal

Resenha - Dangerously Close - Bloodgood

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Márllon Matos
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Após mais de 20 anos sem nenhum lançamento, o (agora quinteto) BLOODGOOD retorna com Dangerously Close, o seu álbum mais pesado e um dos melhores álbuns de retorno dentro do que se convencionou chamar de cena cristã.
5000 acessosIron Maiden: uma releitura de "The Trooper" pelo Cine5000 acessosRock Stars: como se pareceriam alguns se não tivessem morrido

São 12 faixas (mais uma exclusiva para os apoiadores do kickstarter) bem agressivas e que mostram um lado do BLOODGOOD que poucos conhecem. Alguns fãs da fase histórica da banda podem chiar perante o uso de elementos mais modernos, mas pode ficar tranqüilo que eles não viraram banda de Alternativo, New Metal ou o que quer que seja, a história ainda é Heavy Metal e dos bons !!!

O álbum todo é muito bom e pode figurar sem medo entre os 3 melhores lançamentos da banda, e isto é bom pois mostra que eles conseguiram se reinventar e mesmo assim manter as suas características que sempre a diferenciaram de outras bandas.

A faixas que mais me chagaram a atenção foram: Lamb Of God, single, clip e fortíssima candidata a hit do disco, tem um refrão de fácil assimilação que, nos shows, será certamente cantada por todos.; Child On Earth com uma bem sacada utilização de escalas árabes e arranjos cadenciados; Bread Alone, com bumbos duplos constantes e necessários e com uma levada mais rápida, próxima a do Metal Tradicional; Man In The Middle é uma das mais agressivas do disco, e mostra que os tiozinhos aqui não estão pra brincadeiras quando o assunto é fazer Metal de qualidade e Crush Me, que apesar de ser acústica não tem nada de balada, pois é uma música de linha mais densa e introspectiva.

O trabalho das cordas (Paul Jackson e Oz Fox – guitarras; Michael Bloodgood – baixo) está redondo e satisfatório para uma banda do estilo, Kevin Whisler soca a mão na bateria e sabe dosar momentos mais tranquilos com levadas mais agressivas sem perder o pique e Les Carlsen, bem, o que falar dele ? Está em sua melhor forma e ainda atingindo tons incríveis, deixando muito meninão metido a cantor debaixo do chinelo ! Seu timbre chega a lembrar bastante John Schillit, do PETRA, só que mais encorpado e “raivoso”.

Para quem já conhecia é sinal de qualidade, pois o BLOODGOOD nunca errou a mão e pra quem não conhece, vale a pena conferir pois é Metal feito com paixão por quem sabe como fazer !

Track List :

1. Lamb Of God
2. Run Away
3. Child On Earth
4. I Will
5. Bread Alone
6. Pray
7. I Can Hold You
8. Run The Race
9. Father Father
10. Man In The Middle
11. Crush Me
12. In The Trenches
13. The Word [Kickstarter Supporters Bonus Track]

Line – up :

Les Carlsen : Vocais
Michael Bloodgood : Baixo/BGV
Paul Jackson : Guitarra/BGV
Oz Fox : Guitarra/BGV
Kevin Whisler : Bateria

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Dangerously Close - Bloodgood

750 acessosBloodgood: Hard Tradicional oitentista com pitadas de Heavy Metal358 acessosResenha - Dangerously Close - Bloodgood

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Blood Good"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Blood Good"

Iron MaidenIron Maiden
Uma releitura de "The Trooper" pelo Cine

Rock StarsRock Stars
Como se pareceriam alguns se não tivessem morrido

Iron MaidenIron Maiden
Rachel Sheherazade é uma grande fã da banda

5000 acessosMetal Sucks: Top 25 vocalistas do metal moderno5000 acessosMotorhead: Lemmy conta seu segredo com as mulheres5000 acessosChris Cornell: ele não dava sinais de que se mataria, diz esposa5000 acessosGuns N' Roses: estúdio e ao vivo, expectativa e realidade5000 acessosOzzy: "Sharon, por que você está me mandando fotos pelada?"5000 acessosHeavy Metal: seis tipos de pessoas que lhe irritam em um show

Sobre Márllon Matos

Nascido em 1990, despertou para o rock em 2002 e desde lá vem sendo o terror dos vizinhos, seja tocando bateria ou ouvindo Metal no mais alto volume. Cristão convicto, curte de Palavrantiga a Crimson Moonlight, e o seu sonho é conseguir ir para a Austrália ver algum show do Mortification.

Mais matérias de Márllon Matos no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online