Crocell: Inspirados em ícones do Blackened Death Metal

Resenha - Come Forth Plague - Crocell

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade

8


Muito interessante este terceiro trabalho dessa banda dinamarquesa, de Arhus. Desde a bela capa, passando pela ótima produção, "Come Forth Plague" agrada do início ao fim com um Death Metal com pegada Black Metal e melodias na medida certa.

Sounds Entertainment: as 100 melhores músicas do Heavy MetalGuitar World: os 100 melhores guitarristas de hard rock

Enquanto pesquisava sobre o quinteto, li menções de que o grupo fazia um Melodic Death Metal. Mas, se formos tomarmos como referência os ícones do gênero citado, o Crocell passa longe dessas bandas. A pegada aqui está mais para um Aeternus (atual), Belphegor e até Vital Remais, isto é, a maleficência impera no disco.

Talvez pelos climas épicos das composições, a analogia com o melódico possa confundir, mas o que ouvimos aqui é algo apocalíptico e caótico. Riffs bem feitos, solos muito bem desenvolvidos se aliam a uma cozinha em perfeita sintonia. Tudo com vocais guturais inteligíveis com um bom timbre.

A variação de andamento também é um fator positivo que evita que o som soe repetitivo. Destaque para as faixas The Dark I Will Inhale, My Path of Heresy e Seven Thrones. Uma grata surpresa que vale muito à pena conferir!

http://www.crocell.dk/
https://www.facebook.com/crocelldk?fref=ts



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Sounds Entertainment: as 100 melhores músicas do Heavy MetalSounds Entertainment
As 100 melhores músicas do Heavy Metal

Guitar World: os 100 melhores guitarristas de hard rockGuitar World
Os 100 melhores guitarristas de hard rock


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin