Dichotomy: Brutalidade e técnica impecáveis

Resenha - Paradigms - Dichotomy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade

8


Impressiona como este quinteto irlandês consegue aliar facilmente brutalidade e técnica, sem que seu som soe cansativo. A surpresa só aumenta quando vemos que a banda foi formada em 2010, ou seja, é relativamente nova e este petardo não foi precedido por nenhum outro material demonstrativo.

Kiss sobre Secos e Molhados: "há quem acredite em OVNIs"Black Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward

Quem pensa que a banda optou por uma produção limpa e cristalina se engana. O peso foi muito bem dosado aqui, com doses cavalares. Desde os timbres sujos das guitarras, passando pela violenta cozinha e os monstruosos vocais de Kevin O'Connor, tudo aqui soa agressivo como um soco na cara.

E, como dito acima, o mais impressionante é que as composições são destiladas com muita técnica e precisão. Tudo sem contar a leve dose de melodia nas músicas que caíram com uma luva e nem mexerem na estrutura extrema das faixas.

Todas as faixas possuem suas ostentações, mas The Sentinel Opressed, Polarity e Of Strife of Discord são os destaques. Só um recado: você que se recusa a ouvir bandas novas, o Dichotomy pode ser um grande exemplo daquilo que você pode estar perdendo.

https://www.facebook.com/DichotomyIreland
https://soundcloud.com/dichotomyireland



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Kiss sobre Secos e Molhados: há quem acredite em OVNIsKiss sobre Secos e Molhados
"há quem acredite em OVNIs"

Black Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill WardBlack Sabbath
O dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin