Matérias Mais Lidas

imagemLady Gaga: "o Iron Maiden mudou a minha vida!"

imagemSummer Breeze Open Air Brasil acontece em abril de 2023 em São Paulo

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemAlice Cooper diz que em sua equipe "todo mundo é tratado como a banda"

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemPink Floyd: Suas 10 músicas mais subvalorizadas, segundo a What Culture

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemMax Cavalera diz quais foram os dois discos mais difíceis que já gravou

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemDavid Bowie recusou (mais de um) convite para produzir o Red Hot Chili Peppers

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs


Airbourne 2022

Nação Zumbi x Mundo Livre S/A: belo duelo de caranguejos

Resenha - Embate do Século - Nação Zumbi x Mundo Livre S/A

Por Thiago El Cid Cardim
Em 05/09/13

Na segunda edição do projeto "Embate do Século", houve quem acusasse a gravadora Deckdisc de optar pelo jogo ganho, ao colocar frente a frente duas bandas contemporâneas e surgidas rigorosamente dentro da mesma cena musical. Inspirada em um projeto da gravadora norte-americana BYO Records, que fez uma série de discos similares com grandes bandas da década de 90, a ideia é bem simples: cada banda seleciona sete canções da outra e as regrava como bem entender, dando o seu toque pessoal e fazendo uma reinterpretação única. Se no caso de Raimundos x Ultraje a Rigor o resultado ficou apenas divertido e curioso, no que diz respeito ao embate entre Nação Zumbi e Mundo Livre S/A, as duas mais emblemáticas bandas do chamado movimento manguebeat de Recife (PE), a obra final beira o genial – porque ambas as bandas mergulham de cabeça na missão e se arriscam a ponto de tornarem algumas das músicas praticamente irreconhecíveis e, ainda assim, tão deliciosas quanto as originais.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Quem abre os trabalhos é Fred 04 e a galera do Mundo Livre – cujo cavaquinho leve e descontraído já dá um tratamento todo diferente para "A Cidade", faixa inicial da bolacha que ganha ares de sambinha maroto. Num contexto geral, dá para dizer que Fred se arrisca ao diminuir justamente a característica mais marcante da Nação, que é o seu poderio sonoro, sua percussão marcante e suas guitarras envenenadas, adicionando no lugar uma dose extra de groove e malícia. Sua versão para "Samba Makossa", por exemplo, segue inevitavelmente pelo lado do samba que o título da música usa, criando uma roda de samba com pitadas de eletrônico que, pasmem, em dado momento remete a um certo Jorge Ben Jor. Em "Rios, Pontes e Overdrives", o sambinha praiano é interrompido apenas no refrão, que surpreendentemente recebe uma guitarra furiosa, um tanto punk, apenas para voltar a desembocar no cavaquinho de Fred, como se nada tivesse acontecido.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O grande momento do Mundo Livre – e do disco como um todo, sendo totalmente honesto – no entanto, fica para a interpretação para uma das canções mais pesadas e avassaladoras da Nação, "Meu Maracatu Pesa uma Tonelada". Com coragem e talento, Fred 04, dá à canção uma roupagem que lembra a de uma banda indie inglesa, do tipo que flerta com sonoridades eletrônicas. E com um coral de vozes botando pra quebrar raivosamente no refrão, mas sobre uma base quase robótica, eis que a nova versão não perde em nada no que diz respeito a peso e força para aquela interpretada por Jorge Du Peixe e seus compadres. O Mundo Livre S/A deve pensar seriamente em acrescentar esta música em caráter definitivo ao seu setlist daqui pra frente, aliás.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Era inevitável que o processo meio que se invertesse quando a Nação entrasse em cena para dar a sua cara para as faixas originalmente gravadas pelo Mundo Livre S/A. E quando se ouve "Livre Iniciativa" ficar mais grave, mais corpulenta, mais cheia de percussão do que o samba despretensioso de outrora, já dá para ter uma noção da viagem que se segue. O que dizer então dos tambores que, no pano de fundo, dão uma vibração étnica absolutamente diferente para a doce e graciosa "Musa Da Ilha Grande"?

Já a veia roqueira original de "Seu Suor É O Melhor De Você" é transformada pela Nação em uma vibração suja meio black, forte candidata a integrar a trilha sonora de um dos filmes do Quentin Tarantino. E enquanto a sensacional "O Velho James Brown Já Dizia" do Mundo Livre tem um tecladinho que fala diretamente com a cena do mundo tecnobrega, a Nação pisou no freio e fez uma espécie de marchinha, que poderia facilmente tocar no efervescente e tradicional carnaval de rua de Olinda. Neste segundo ato, sobressai-se ainda "Bolo de Ameixa", tradicional samba-rock do Mundo Livre que, nas mãos da Nação, recebe uma espécie de camada sonora extra – o ritmo repleto de suíngue continua, mas Lúcio Maia faz questão de acrescentar a sua guitarra poderosa, dando-lhe um teor quase metálico.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Este novo "Embate do Século" vai gerar, sem dúvida, mais do que uma turnê conjunta simplesmente imperdível, mas também um desafio dos mais complicados para as próximas duas bandas que toparem o duelo, já que a barra de qualidade agora está elevadíssima. Para elas, muito boa sorte! :)

Line-up:
Nação Zumbi
Jorge Du Peixe - Vocal
Lúcio Maia - Guitarra
Alexandre Dengue - Baixo
Pupillo - Bateria
Gilmar Bola 8 - Alfaia
Toca Ogan - Percussão
Gustavo Da Lua - Alfaia e percussão adicional
Ramon Lira - Alfaia e percussão adicional

Mundo Livre S/A
Fred Zero Quatro - Vocal, guitarra e cavaquinho
Areia - Baixo
Xef Tony - Bateria
Léo D. - Teclados
Tom Rocha - Percussão

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Tracklist:
1. A Cidade - Interpretada Por Mundo Livre S/A
2. A Praieira - Interpretada Por Mundo Livre S/A
3. Etnia - Interpretada Por Mundo Livre S/A
4. Meu Maracatu Pesa Uma Tonelada - Interpretada Por Mundo Livre S/A
5. No Olimpo - Interpretada Por Mundo Livre S/A
6. Rios, Pontes E Overdrives - Interpretada Por Mundo Livre S/A
7. Samba Makossa - Interpretada Por Mundo Livre S/A
8. Livre Iniciativa - Interpretada Por Nação Zumbi
9. Musa Da Ilha Grande - Interpretada Por Nação Zumbi
10. Bolo De Ameixa - Interpretada Por Nação Zumbi
11. Girando Em Torno Do Sol - Interpretada Por Nação Zumbi
12. Pastilhas Coloridas - Interpretada Por Nação Zumbi
13. Seu Suor É O Melhor De Você - Interpretada Por Nação Zumbi
14. O Velho James Brown Já Dizia - Interpretada Por Nação Zumbi

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

João Gordo relembra o músico Chico Science, que faleceu há 25 anos; Chico era gênioJoão Gordo relembra o músico Chico Science, que faleceu há 25 anos; "Chico era gênio"

Tube Rock: Chico Science e Nação Zumbi e o Maracatu Psicodélico (vídeo)


Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Thiago El Cid Cardim

Thiago Cardim é publicitário e jornalista. Nerd convicto, louco por cinema, séries de TV e histórias em quadrinhos. Vegetariano por opção, banger de coração, marvete de carteirinha. É apaixonado por Queen e Blind Guardian. Mas também adora Iron Maiden, Judas Priest, Aerosmith, Kiss, Anthrax, Stratovarius, Edguy, Kamelot, Manowar, Rhapsody, Mötley Crüe, Europe, Scorpions, Sebastian Bach, Michael Kiske, Jeff Scott Soto, System of a Down, The Darkness e mais uma porrada de coisas. Dentre os nacionais, curte Velhas Virgens, Ultraje a Rigor, Camisa de Vênus, Matanza, Sepultura, Tuatha de Danaan, Tubaína, Ira! e Premê. Escreve seus desatinos sobre música, cinema e quadrinhos no www.observatorionerd.com.br e no www.twitter.com/thiagocardim.

Mais informações sobre

Mais matérias de Thiago El Cid Cardim.