Visceral Slaughter: Death Metal tradicional e violentíssimo

Resenha - Caedem - Visceral Slaughter

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A.
Enviar Correções  

publicidade

8


Uma explicação básica sobre essa banda, do Macapá/Amapá, "surgida" em 2013. É formada pelos ex-integrantes da Anonymous Hate, cujo fim foi causado pelo falecimento do então guitarrista do grupo, Heliton Costa Coêlho. Eles optaram por recomeçar do zero, e com uma proposta um pouco diferente. Pois a Visceral Slaughter optou por um Death Metal tradicional e violentíssimo, como deve ser, enquanto a Anonymous Hate ia mais para um lado Grindcore/Death.

Separados no nascimento: Andre Matos e Steve Perry

Freddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação

Mas antes de mais nada, merece uma menção especial a introdução do disco, uma genial homenagem ao amigo falecido em forma de exatamente um minuto de silêncio.

Depois disso, o negócio é curtir uns sons podraços, com boas estruturas e variações, mas quase sempre envoltos numa velocidade absurda. Novamente o baterista Alberto Martínez assusta com suas quatro pernas e dez braços, fazendo ‘blast beats’ irreais, de tão rápidos.

Na lista de petardos, não destacar porradas como "Human Wreckage", "Open Your Grave" e "Blood and Pain" seria um crime. Simplesmente brutais! Ah, e em "Search for Power", há uma participação matadora de Jonathan Cruz, vocalista da espetacular Lacerated and Carbonized. Não precisa dizer que o resultado foi demolidor, né?

O peso da guitarra de Fabrício Góes (backing vocal), juntamente com o baixo de Romeu Monteiro, apoiados nos riffs bem feitos e afiados, também chamam a atenção em "Caedem".

O vocalista Victor Figueredo continua seu poderoso trabalho vocal, sendo que seu timbre gutural encaixou-se até melhor aqui do que em sua antiga banda. Combinou mais com o estilo dos caras.

A gravação é muito boa, o único aspecto que lembra a Anonymous Hate. Mostra que o agora quarteto continua competente na produção de seus registros. A capa também ficou legalzinha, expressando exatamente o nome do grupo.

Como já se espera de músicos com um bom currículo, "Caedem" é mais uma pérola do nosso underground, rico, cheio de ódio e extremo. Nosso Death Metal é muitíssimo bem representado lá no norte!

PS: O ‘debut’ também saiu em fita cassete (versão limitadíssima). Corram atrás!

Visceral Slaughter – Caedem
Lazy Bones Records/Goretomb Records/Terceiro Mundo Chaos Discos/Cianeto Discos/Mucosa Records/Deranged for Leftovers/Blasphemic Art Distro/Underground Brasil Distro – 2013 Brasil

https://www.facebook.com/VisceralSlaughter
https://myspace.com/visceralslaughter/
http://www.youtube.com/channel/UC26oXZD2fmE9wGjfvAmliTQ
[email protected]

Tracklist:
1. Intro
2. Human Wreckag
3. Search for Power
4. Endless Bloodshed
5. Reing of Hypocrisy
6. Open Your Grave
7. Blood and Pain
8. Doomsday
9. Scars of Tyranny


Outras resenhas de Caedem - Visceral Slaughter

Resenha - Caedem - Visceral Slaughter



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Separados no nascimento: Andre Matos e Steve PerrySeparados no nascimento
Andre Matos e Steve Perry

Freddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentaçãoFreddy Frenzzy
O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação


Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin