Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagem"Éramos nós contra o mundo" relembra Bill Ward, sobre o início do Black Sabbath

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"

imagemAC/DC: Angus Young conta como é para ele o antes, o durante e o depois de um show

imagemDave Mustaine cutuca Kiss e bandas "preguiçosas" que usam playbacks

imagemMax Cavalera diz quais foram os dois discos mais difíceis que já gravou

imagemIggor Cavalera diz que reunião da formação clássica do Sepultura seria incrível, mas...

imagemRush: Geddy Lee comenta as dificuldades da gravação de "Hemispheres"

imagemA categórica opinião de Dave Mustaine sobre religião "abusiva e falsa" de sua mãe


Airbourne 2022

Ravenclaw: a preciosidade metálica da Eslováquia

Resenha - Welcome to the Ravenland - Ravenclaw

Por Rafael Lemos
Em 11/08/13

Nota: 9

É impressionante como existem bandas fazendo um ótimo trabalho e mesmo assim não têm o devido merecimento por parte dos organizadores de eventos e gravadora, fazendo com que o público deixe de reconhecer o material gravado pela banda. É o caso do Ravenclaw, cuja distribuição no Brasil é praticamente inexistente.

O Ravenclaw surgiu no ano de 2003, na cidade de Košice, na Eslováquia, apostando em um Metal Melódico sem muita da velocidade comum a esse estilo, preferindo valorizar a harmonia das composições, o que torna o seu som bastante peculiar. Após gravarem um ep em 2007, lançaram o seu debut em 2009, chamado "Welcome to the Ravenland" que, infelizmente, ainda não foi muito bem divulgado no Brasil.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

O álbum, que já chama atenção pelo bonito desenho da capa, possui dez músicas, incluindo uma introdução (ao meu ver, desnecessária, sendo um dos poucos pontos negativos do trabalho), que precede a canção "Light from you" com o seu refrão contagiante, muito bem interpretado pela voz de Matej Valiska. Em músicas como "Power slaves", "Into the night" e "Eye of the damned" (o grande destaque do álbum, com o seu complexo solo cheio de variações rítmicas), sobressaem a base bem elaborada dos guitarristas Peter Birčák e Martin Lorenc, enriquecidas pela cozinha precisa de Jurav Valiska (que deixou a banda em 2011, sendo substituído por Filip Kaľavský) na bateria e Antónia Valisková. Também merece destaque as linhas melódicas criadas pelo tecladista Gabriel Šípoš, que preenchem o som do Ravemclaw com belas riquezas harmônicas.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

"Welcome to the Ravenland" tem algumas baladas muito bonitas, como "Dragon’s river" (que lembra as músicas lentas feitas pelo Stratovarius durante a segunda metade dos anos 90) e a emocionante "Don’t be my enemy", executada no violão e no teclado, que fecha o álbum de maneira brilhante.

Outro ponto positivo é a produção impecável feita pela própria banda, que captou todos os detalhes das suas músicas. Também se preocuparam em não dar prioridade a um instrumento para que este sobressaia em relação aos demais, optando pelo bom senso das equalizações e pelo bom gosto dos efeitos de distorções utilizados.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Enfim, um ótimo trabalho de estreia que há muito tempo já deveria ter sido reconhecido no Brasil.

Welcome to the Ravenland - Ravenclaw
(2009, independente, importado)

1. Welcome
2. Light from you
3. Power slaves
4. Into the night
5. Dragon’s river
6. Patron Saint
7. Brothe Sun
8. Eyes of the damned
9. Heaven storm
10. Deja Vu
11. Don’t bem y enemy

Rafael Lemos:
Formado em Ciências Sociais com especialização em Antropologia pela UNESP (Universidade Estadual Paulista).

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Death Metal: menina de 6 anos detona no America's Got Talent


Sobre Rafael Lemos

Rafael Lemos começou a gostar de Heavy Metal, Hard Rock e Progressivo em 1991, sem influência de ninguém, realizando pesquisas sobre as bandas.

Mais matérias de Rafael Lemos.