The Winery Dogs: que bom que, neste caso, menos é mais

Resenha - Winery Dogs - Winery Dogs

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Thiago El Cid Cardim
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Toda vez que surge uma das chamadas superbandas, que reúnem integrantes consagrados egressos de outros grupos, geralmente ela vem acompanhada de uma boa dose de desconfiança. Afinal, não existe qualquer garantia de que estes músicos, por melhores que sejam, tenham química entre eles. Obviamente, muito vinha se falando de nomes como Chickenfoot e Black Country Communion, mas nos últimos dois anos, forjou-se sem grande alarde um power trio invejável, que com certeza teria merecido mais atenção desde a sua gênese.
3752 acessosThe Winery Dogs: veja 1º vídeo do novo DVD que sai em Agosto5000 acessosEddie Van Halen: "Eruption foi um acidente"

Mike Portnoy, pós-Dream Theater, uniu suas baquetas ao baixo vibrante de Billy Sheehan (Mr.Big). A intenção inicial era ter John Sykes (Thin Lizzy, Whitesnake) no papel de vocalista e guitarrista, mas algo aconteceu no meio do caminho e eis que Sheehan cruzou novamente o caminho de Richie Kotzen, com quem tocou no Mr.Big durante os álbuns “Get Over It” e “Actual Size”. Estava formado o The Winery Dogs. O resultado, brilhante, é um classic rock vibrante e moderno, que carrega em suas veias muito da sonoridade R&B/soul/funk típica dos trabalhos-solo de Kotzen. Temos a reunião de três virtuosos mas que, no entanto, optam pelo lado mais simples do rock. Que bom que, neste caso, menos é mais.

Portnoy chegou a dizer que o primeiro disco do The Winery Dogs, autointitulado, tem influências de sons variados como Led Zeppelin, Cream, Grand Funk Railroad, Soundgarden, Alice In Chains e Lenny Kravitz. A descrição da mistura até que faz sentido: a gloriosa faixa hard rock “Elevate” abre os trabalhos com um groove anos 70 irresistível ao longo do refrão, enquanto Kotzen entrega uma interpretação característica que lembra bastante o timbre de Chris Cornell. Na sequência, vem “Desire”, um funk pesado e encorpado, de baixo vibrante, para fazer qualquer Prince da vida morrer de inveja. E isso é só o começo.

Ao mesmo tempo em que o álbum tem espaço para uma power ballad gostosinha como “You Saved Me”, para a introspectiva e lenta “Damaged” ou mesmo para o clima quase blues de “One More Time”, também abre caminho para um par de hard rocks mais cheios de energia como “Not Hopeless” e “Six Feet Deeper”, trazendo a dupla Sheehan e Kotzen em seu melhor, fazendo riffs e palhetadas mais urgentes, espalhando uma injeção de adrenalina e bom gosto. “The Winery Dogs” fecha com o clima soul sexy de “Regret”, embalando a voz de Kotzen ao som de um teclado de leve entonação Hammond – mostrando a produção delicada e cristalina da bolacha, do tipo que realça o seu aspecto roqueiro, de raiz, sem deixar de enfatizar que este é um disco de 2013, e não do século passado.

O disco de estreia dos Winery Dogs é um discaço, talvez uma das maiores surpresas do ano, daquelas que chega sem fazer muito barulho e te pega pelos calcanhares, te surpreende e, quando você menos espera, está lá cantarolando os refrãos e se pega ouvindo o álbum pela quarta, quinta vez, sem pensar no assunto. Que, diferente de algumas das dezenas de projetos-solo de Mike Portnoy, este tenha vida longa e tenha vindo para ficar. Porque, comendo pelas beiradas e desbancando muito medalhão, estes cães bêbados assumiram lugar definitivo na minha lista de melhores do ano. E detalhe: ainda estamos em junho.

Line-up
Richie Kotzen – Vocais e Guitarra
Billy Sheehan – Baixo
Mike Portnoy – Bateria

Tracklist
Elevate
Desire
We Are One
I'm No Angel
The Other Side
You Saved Me
Not Hopeless
One More Time
Damaged
Six Feet Deeper
Criminal
The Dying
Regret

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Winery Dogs - Winery Dogs

2719 acessosThe Winery Dogs: Um dos grandes álbuns lançados em 20133131 acessosThe Winery Dogs: Funcionou pela química dos membros

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

The Winery DogsThe Winery Dogs
Trio anuncia lançamento ao vivo

3752 acessosThe Winery Dogs: veja 1º vídeo do novo DVD que sai em Agosto0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "The Winery Dogs"

MetallicaMetallica
Lars é um bom baterista? Mike Portnoy explica

Mike PortnoyMike Portnoy
A diferença entre "banda" e "projeto"

Mike PortnoyMike Portnoy
Divulgando seu "refrigerante favorito no Brasil"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "The Winery Dogs"

Van HalenVan Halen
Eddie explica os segredos do seu modo de tocar

Roqueiros conservadoresRoqueiros conservadores
A direita do rock na revista Veja

Bruce DickinsonBruce Dickinson
Sua coleção de clássicos do Metallica

5000 acessosIron Maiden: a fotografia de "The Final Frontier"5000 acessosPara tocar: O que são tablaturas e como usá-las?5000 acessosGuitarristas: Os 10 maiores dos anos 80 segundo a revista Fuzz5000 acessosDream Theater: Myung não tinha planos de ser baixista4723 acessosTico Santa Cruz: "O rock ficou muito bem comportado"5000 acessosMarilyn Manson: pai surpreende o músico durante sessão de fotos

Sobre Thiago El Cid Cardim

Thiago Cardim é publicitário e jornalista. Nerd convicto, louco por cinema, séries de TV e histórias em quadrinhos. Vegetariano por opção, banger de coração, marvete de carteirinha. É apaixonado por Queen e Blind Guardian. Mas também adora Iron Maiden, Judas Priest, Aerosmith, Kiss, Anthrax, Stratovarius, Edguy, Kamelot, Manowar, Rhapsody, Mötley Crüe, Europe, Scorpions, Sebastian Bach, Michael Kiske, Jeff Scott Soto, System of a Down, The Darkness e mais uma porrada de coisas. Dentre os nacionais, curte Velhas Virgens, Ultraje a Rigor, Camisa de Vênus, Matanza, Sepultura, Tuatha de Danaan, Tubaína, Ira! e Premê. Escreve seus desatinos sobre música, cinema e quadrinhos no www.observatorionerd.com.br e no www.twitter.com/thiagocardim.

Mais informações sobre Thiago El Cid Cardim

Mais matérias de Thiago El Cid Cardim no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online