Chaos Synopsis: tudo no novo material é digno de gente grande

Resenha - Art Of Killing - Chaos Synopsis

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Os paulistas do Chaos Synopsis retornam com o sucessor do debut "Kvlt ov Dementia" (2009) e já de cara mostram que "Art Of Killing" veio pra superar e fácil o primeiro trabalho. Tudo que envolve o novo material é digno de 'gente grande', desde a concepção gráfica, passando pela produção sonora, execução e resultado final.

Megadeth: Mustaine abre o jogo sobre convite a Pepeu GomesRolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutos

"Art Of Killing" já é um atrativo por se tratar de um trabalho conceitual que aborda em suas temáticas a história de serial killers do mundo todo. Mesmo não sendo a coisa mais original do mundo, abordar esse conceito é sempre interessante e isso se torna ainda mais viável quando a banda faz um som extremo.

A música do Chaos Synopsis continua com a melhor mistura entre o Death e o Thrash Metal, soando na maioria das vezes raivosa e agressiva, a começar pelos insanos e urrados vocais do também baixista Jairo. O cara parece que incorporou o 'demo' tamanho a fúria que demonstra em suas interpretações.

O instrumental não fica atrás, já que os riffs bem elaborados são executados com precisão, enquanto a cozinha soa brutal a todo momento. Apesar de poucos, os solos de guitarra também ficaram excelentes, muito bem encaixados. Difícil mesmo é destacar alguma faixa em especial, mas posso citar Son Of Light que abre o disco de forma magistral e Rostov Ripper como dois aperitivos.

Masterizado por Andy Classen, no Stage One Studio, na Alemanha, "Art Of Killing" ainda possui uma bela arte gráfica feita por Rafael Tavares que é envolvida por uma embalagem slipcase. Enfim, um trabalho que só enaltece esse quarteto, que é completado por Friggi MadBeats (bateria), Marloni e JP (guitarras).

http://www.facebook.com/chaossynopsisbr
http://www.myspace.com/chaossynopsisbr


Outras resenhas de Art Of Killing - Chaos Synopsis

Chaos Synopsis: no rol de melhores do ano, sem dúvidasChaos Synopsis: Thrash/Death repleto de riffs rápidos e precisosChaos Synopsis: A trilha sonora de assassinos em serieChaos Synopsis: um dos grandes destaques de nossa cena em 2013Chaos Synopsis: Thrash Metal com pitadas Death fantásticoChaos Synopsis: aula de insanidade humana em forma sonora




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Chaos Synopsis"


Megadeth: Mustaine abre o jogo sobre convite a Pepeu GomesMegadeth
Mustaine abre o jogo sobre convite a Pepeu Gomes

Rolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutosRolling Stone
As melhores músicas com mais de sete minutos

Música Brasileira: Quais os discos mais vendidos da história?Música Brasileira
Quais os discos mais vendidos da história?

Pink Floyd: as 10 melhores escolhidas pela Ultimate Classic RockMetalcore: os dez trabalhos essenciais do estiloOs estranhos relacionamentos de Janis JoplinStewart Copeland: "Não levava Led Zeppelin a sério graças aos vocais"

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.