Chaos Synopsis: Thrash/Death repleto de riffs rápidos e precisos

Resenha - Art of Killing - Chaos Synopsis

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Pierre Cortes
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Oriundos de São José dos Campos, interior de São Paulo, o CHAOS SYNOPSIS iniciou sua carreira em 2005. Já no ano seguinte lançam a primeira Demo: "Garden of Forgotten Shadows". Daí para frente muitos eventos aconteceram: mudanças na formação, abertura para bandas importantes no cenário como SINISTER e MAYHEM, lançamento do primeiro álbum, shows nacionais e fora do país também.

Paixão nacional: o futebol e os roqueiros britânicosDoentio: Black Metal composto apenas com gritos de pacientes loucos

Em 2013 lançam o segundo Full-length: "Art of Killing" é um trabalho bem feito, bem pensado, cheio de velocidade e com muita técnica. Trata-se, na verdade, de um Thrash/Death Metal executado de maneira cuidadosa, repleto de riffs rápidos e precisos, solos bem feitos, bateria intensa e acelerada, vocais potentes e um baixo marcante.

São 10 músicas e quase 40 minutos de porrada extrema, cujas letras abordam as particularidades de 9 serial killers de todo o mundo. E com tudo isso, eleger algum destaque se torna uma tarefa complicada. Muito me chamaram a atenção, as seguintes faixas: "Son of Light" começa com uma bateria devastadora e possui riffs marcantes; "Demon Midwife" é a mais curta do trabalho e, provavelmente, a mais insana e feroz; "Art of Killing", uma instrumental maravilhosa e ousada, encerra o álbum com chave de ouro, mostrando aos ouvintes que a banda não somente se limita a copiar o gênero que executa.

Outro detalhe importante a ser destacado é a preocupação com a arte gráfica. Embora isso em nada influencie na sonoridade, o cuidado com a capa e o encarte são itens que colaboram para enriquecer ainda mais o trabalho. E isso está evidente aqui.

Fato é que "Art of Killing" é uma obra impecável do início ao fim e vem para mostrar que o CHAOS SYNOPSIS é um grupo cheio de técnica, profissionalismo e de grande futuro no cenário do Metal. As palavras aqui apenas tentam resumir um pouco do que senti ao ouvir as músicas, portanto, caro leitor, prepare seus ouvidos e aprecie com total atenção.

Banda: Chaos Synopsis
País de Origem: Brasil
Título do álbum: Art of Killing
Ano: 2013
Estilo: Thrash/Death Metal
Gravadora: Lab6

Line-up:

Jairo - Vocal/Baixo
Friggi Mad Beats - Bateria
Marloni - Guitarra
JP - Guitarra

Faixas:

1. Son of Light
2. Vampire of Hanover
3. Rostov Ripper
4. Bay Harbor Butcher
5. Demon Midwife
6. Red Spider
7. Zodiac
8. B.T.K. (Bind, Torture, Kill)
9. Monster of the Andes
10. Art of Killing

Sites:

http://www.chaossynopsis.com/
https://www.facebook.com/chaossynopsisbr
https://www.reverbnation.com/chaossynopsis
https://www.youtube.com/user/chaossynopsis
https://plus.google.com/104743428269344814076/posts


Outras resenhas de Art of Killing - Chaos Synopsis

nullnullnullnullnullnull



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Chaos Synopsis"


Paixão nacional: o futebol e os roqueiros britânicosPaixão nacional
O futebol e os roqueiros britânicos

Doentio: Black Metal composto apenas com gritos de pacientes loucosDoentio
Black Metal composto apenas com gritos de pacientes loucos

Kiss: a mais longa e reveladora entrevista de Eric SingerKiss
A mais longa e reveladora entrevista de Eric Singer

Eagles: o significado da clássica "Hotel California"Regis Tadeu: Los Hermanos fez um tremendo mal ao rock brasileiroMike Portnoy: baterista explica a camisa "Fuck Paul Stanley"Steve Vai: as lições na guitarra com Joe Satriani

Sobre Pierre Cortes

Pierre Cortes, paulistano, bacharelado em Publicidade e em Cinema, amante da fotografia e escrita, apreciador do Heavy Metal e todas as suas subdivisões desde o início dos anos 80, colaborador do Whiplash.Net desde 2011, Twitter - @pierrecortes.

Mais matérias de Pierre Cortes no Whiplash.Net.