Flying Burrito Brothers: força primitiva com um dose de soul

Resenha - Gilded Palace of Sin - Flying Burrito Brothers

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Severo da Costa
Enviar correções  |  Ver Acessos


"GRAM PARSONS era uma espécie de JIMI HENDRIX branco do country". Por mais ousada que seja tal afirmação, essa partiu de TERRY MELCHER, um dos mais respeitados produtores dos anos 60, responsável por sucessos em avalanche como o BYRDS e os exóticos BEACH BOYS. Se não obteve um décimo da repercussão de seu gênio comparativo, PARSONS, morto em 1973, vítima de uma mistura hecatômbica de morfina e tequila, foi, sem dúvida, um dos maiores responsáveis pela criação do nicho onde viriam a nascer gente como o EAGLES e CREEDENCE: o country-rock.

Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treinoBlind Faith: uma das capas mais polêmicas da história

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ex-integrante do BYRDS, o guitarrista fundou o FLYING BURRITO e, um ano depois do clássico registro de sua ex-banda "Sweetheart of The Rodeo", lançou "The Gilded Palace of Sin", futuramente reconhecido com um do maiores pilares do alt-country e similares. O álbum reuniu a força primitiva de HANK WILLIANS e JOHNNY CASH, com uma bela dose de soul e guitarras afiadas como estilete e, se naufragou frente a divisão beligerante entre fãs de country e rock à época, mostrou que o teste do tempo é o único que realmente tem valor.

"Christine Tune's" é o extrato de toda onde 'Outlaw" que faria WILLIE NELSON e outros brilharem na década seguinte, recheada de backings saborosos e um pedal steel a frente de seu tempo. A pegada "do mato" continua vívissima em faixas como "My Uncle" e "Hot Burrito 2" - essa com um mix entre guitarra fuzz, tecladeira e vários efeitos de fundo que dão o tom certo para a canção. Enquanto isso, "Hippie Boy" tem aquele HAMMOND ao estilão de " A Whiter Shade Of Pale" e vocais quase sussurrados- fórmula que faria sucesso do soul de BARRY WHITE ao country comercial de ALAN JACKSON séculos depois.

Da pegada soul do clássico coverizado "Dark End of The Street" imortalizada por ARETHA FRANKLIN ao baladão de "Sin City", "Gilded" foi colocado entre os quinhentos melhores álbuns de todos os tempos (posição 192). Ainda que não constasse dessa lista - que muitas vezes promove nomes duvidosos ao lado de clássicos - é um disco que merece ser constantemente revisitado.

Track list:
1. "Christine's Tune"
2. "Sin City"
3. "Do Right Woman"
4. "Dark End of the Street
5. "My Uncle"
6. "Wheels"
7. "Juanita"
8. "Hot Burrito #1"
9. "Hot Burrito #2"
10. "Do You Know How It Feels"
11. "Hippie Boy"


Outras resenhas de Gilded Palace of Sin - Flying Burrito Brothers

Resenha - Gilded Palace of Sin - Flying Burrito Brothers




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Flying Burrito Brothers"


Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treinoMetal
16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treino

Blind Faith: uma das capas mais polêmicas da históriaBlind Faith
Uma das capas mais polêmicas da história


Sobre Paulo Severo da Costa

Paulo Severo da Costa é ensaísta, professor universitário e doente por rock n'roll. Adora críticas, mas não dá a mínima pra elas. Email para contato: joaopsevero@bol.com.br.

Mais matérias de Paulo Severo da Costa no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336