Steve Harris: trabalho mais "leve" de Steve até hoje

Resenha - British Lion - Steve Harris

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

8


Desde que Steve Harris, o mestre por trás do IRON MAIDEN, anunciou que iria lançar um disco solo, a imensa maioria dos fãs da música pesada foi pega de surpresa, pois imaginaram que haveria algum problema interno em sua banda principal. Mas, após desmentidos esses rumores, outra pergunta ficou impregnada na cabeça dos fãs: qual seria o caminho musical seguido neste disco solo, que não poderia figurar em um disco do MAIDEN, que extravasa o talento de Steve há décadas?

Pois bem, agora com o lançamento de "British Lion" temos a resposta para essa indagação, e, como era de se supor, o material é bem diferente de tudo que a Donzela já lançou ao longo de toda sua carreira, e faz referência às influências musicais de Steve. O disco trilha por caminhos mais experimentais e com grande influência de hard rock setentista e de música progressiva e ambiental, e embora não deixe totalmente de lado o peso, sem dúvida é o trabalho mais "leve" de Steve até hoje.

publicidade

E tudo isso, principalmente, graças à performance do vocalista Richard Taylor, que tem uma voz bem suave e marcante, e até certo ponto mais "comercial". O trabalho de guitarras também é muito interessante e diversificado, assim como as linhas de baixo de Mr. Harris, que usa de uma sonoridade diferente da utilizada no MAIDEN, com o baixo soando mais grave, mas não menos presente. Além disso, as faixas são todas muito bem estruturadas, com belos arranjos e harmonias. Ou seja, com o padrão Steve Harris de qualidade.

publicidade

Dentre os destaques do disco, cito "This is My God", repleta de groove, e com um peso bem interessante, que contrasta com os vocais calmos e limpos de Richard, de forma orgânica; "Karma Killer", com um clima mais hard rock, contando com ótimos riffs; "The Chosen Ones", que mescla influências de hard rock dos anos 70 e 80, com outras mais modernas, e é uma das melhores do disco; "Judas", com toques de metal clássico, mas sem tanto peso; e "These Are the Hands", com altas doses de melodia, e um clima mais experimental.

publicidade

Portanto, trata-se de um material bem diversificado e até certo ponto inesperado, embora os fãs já tinham ideia de que o disco viria bem diferente da linha do IRON MAIDEN, apenas não sabiam o quanto. E sem dúvida muitos não irão curtir o material, tendo essa diversidade mencionada, mas, no geral, "British Lion" é um trabalho bem legal e, caso você esteja preparado para algo diferente, sem qualquer comparação com o MAIDEN, com certeza terá momentos de muita diversão durante sua audição.

publicidade

PS - O lançamento oficial do disco está previsto para dia 24 de setembro, mas o mesmo já se encontra para audição completa no site abaixo, ficando disponível até o dia 23 de setembro. Confira.

http://www.ironmaiden.com/steve-harris-british-lion---hear-t...

publicidade

British Lion – Steve Harris
(2012)

Formação:

Steve Harris - Bass
Richard Taylor - Vocals
David Hawkins - Guitar, Keyboards
Grahame Leslie - Guitar
Simon Dawson - Drums

Track List:

1. This is my God
2. Lost Worlds
3. Karma Killer
4. Us Against the World
5. The Chosen Ones
6. A World without Heaven
7. Judas
8. Eyes of the Young
9. These are the Hands
10. The Lesson


Outras resenhas de British Lion - Steve Harris

Steve Harris: disco pode divertir, mas com moderação

Steve Harris: suas influências setentistas e oitentistasSteve Harris
Suas influências setentistas e oitentistas

Steve Harris: som que queria fazer e da maneira que queria

Steve Harris: apesar dos pesares, não decepcionaSteve Harris
Apesar dos pesares, não decepciona

Steve Harris: resenha da Classic Rock para o British LionSteve Harris
Resenha da Classic Rock para o British Lion




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Kerrang!: os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revistaKerrang!
Os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revista

Nirvana: Kurt Cobain era meio pau no cu, diz produtorNirvana
"Kurt Cobain era meio pau no cu", diz produtor


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin