Gestos Grosseiros: O lado mais tradicional do Death Metal

Resenha - Satanchandising - Gestos Grosseiros

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A., Fonte: Som Extremo
Enviar Correções  

publicidade

8


O som é Death Metal básico. Não confundir básico com ruim, hein? A Gestos Grosseiros explora o lado mais tradicional do estilo, com claras influências da escola americana, em especial da Cannibal Corpse antiga, seja no ótimo vocal de Andy Souza, seja nos seus "blast beats" quadradões (sim, ele urra e mói os tambores na banda!) à lá Paul Mazurkiewicz, seja também nos riffs do guitarrista Kleber – cheque seu trabalho nas seis cordas em "Evil Witness", por exemplo.

Iron Maiden: "Tenho inveja dos fogos do Slipknot",diz Bruce

Top 5 Metallica: About.com elege os cinco melhores álbuns

Bem, e como a proposta é fazer esse som brutal, sem firulas, é sem pestanejar que se pode afirmar que foram bem sucedidos no objetivo: peso, garra, velocidade e violência perfazem "Satanchandising".

Vale mencionar a boa produção do disco, que deixou bem no clima "old school" do conjunto paulista.

E embora já se tenha falado dos riffs de Kleber, é bom mencionar também seus solos seguros e bem estruturados, encaixados nos momentos certos nas composições. Realmente muito bons!

Outro ponto positivo: os vocais dobrados – o baixista Danilo Dill apresenta um rasgado matador que, aliado ao já comentado grunhido de Souza, não deixa pedra sobre pedra.

Eles também mostram que não ficam só na brutalidade e constroem um belo dedilhado no final da faixa-título. Também é interessante destacar "Religions Plague", pelos arranjos trabalhados e empolgantes. Pois é, não que fosse necessário, mas esse pessoal prova que fazer seu Death sem novidade é apenas opção, porque técnica, todos têm de sobra!

O registro fecha com nada mais, nada menos do que um cover de "Extreme Agression", dos ícones da Kreator. E a versão manteve o nível da original! Apenas uma estranha curiosidade: no encarte, vem escrito que todas as músicas são de autoria da Gestos Grosseiros. Será quem houve algum problema na impressão?

A capa, claramente inspirada no marco "Bestial Devastation", dos tempos mais obscuros da Sepultura, chama a atenção pela semelhança e simplicidade, tudo a ver com o som do grupo.

Para quem curte som porrada e bem direto, a Gestos Grosseiros é a dica ideal. Mais uma que enche nosso underground de orgulho.

Gestos Grosseiros – Satanchandising
Tornhate Records/Rapture Records – 2011 - Brasil

http://www.myspace.com/gestosgrosseiros

[email protected]

Tracklist
1. Humanity Victory (Kill by Power)
2. Slaves of Imagination
3. Mirror of Death
4. Satanchandising
5. Evil Witness
6. Predator of Soul
7. Attack instrumental
8. Brutality Century
9. Religions Plague
10. Stronger than Never
11. Extreme aggression (Demo Version) (Kreator cover)

http://www.twitter.com/som_extremo


Outras resenhas de Satanchandising - Gestos Grosseiros

Gestos Grosseiros: incrível a pancadaria que o trio executa

Gestos Grosseiros: evolução sobre Death do primeiro disco



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Iron Maiden: Tenho inveja dos fogos do Slipknot,diz BruceIron Maiden
"Tenho inveja dos fogos do Slipknot",diz Bruce

Top 5 Metallica: About.com elege os cinco melhores álbunsTop 5 Metallica
About.com elege os cinco melhores álbuns


Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin