Rush: Um trabalho que lembra os grandes álbuns da banda

Resenha - Clockwork Angels - Rush

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por João Paulo Linhares Gonçalves
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Vamos falar sobre o novo disco do Rush, "Clockwork Angels", que acaba de ser lançado mundialmente. Duas músicas já são bem conhecidas do público e foram tocadas exaustivamente na turnê "Time Machine", que passou pelo Brasil em outubro de 2010. As demais foram gravadas no final do ano passado e estão vendo a luz do dia agora. É o primeiro álbum de inéditas desde "Snakes & Arrows", de 2007.
241 acessosAvery Molek: medley de Rush na bateria aos 10 anos de idade5000 acessosHeavy Metal: os 10 melhores solos de guitarra de todos os tempos

A banda utilizou um estúdio em Toronto, no Canadá, para gravar as outras dez faixas. O trio canadense manteve o mesmo produtor do disco anterior, "Snakes & Arrows", o americano Nick Raskulinecz (também produziu Foo Fighters). Lembrando que as duas primeiras canções do álbum foram gravadas em Nashville, nos EUA, no começo de 2010.

As letras estão a cargo, mais uma vez, do melhor baterista do mundo, o fantástico Neil Peart. Em uma matéria disponibilizada pela nova gravadora da banda, Roadrunner, e traduzida por um site de fã-clube brasileiro (veja aqui), o próprio Peart descreve a temática das letras, ao redor de "um mundo fictício" e ele cita diversas influências de livros e autores (veja as letras traduzidas aqui). Peart é daquelas pessoas intelectuais, hiper-ativas e extremamente inteligentes, deve devorar livros e usa estas referências ao escrever suas letras. A capa do álbum mostra um relógio registrando o horário 9:12 - segundo a Wikipedia, uma referência ao grande clássico da banda, "2112". A arte da capa foi feita por Hugh Syme, que vem fazendo as capas dos discos da banda desde o álbum "Caress Of Steel". Outros trabalhos de Hugh incluem bandas como o Whitesnake, Dream Theater e Iron Maiden.

O disco começa com as duas conhecidas, tocadas em todos os shows da turnê de 2010. Boas canções, a primeira com um bom riff e uma quebradinha de ritmo no refrão e a segunda com mais pegada e peso (reparem que a banda gravou uma nova introdução para esta versão de "BU2B"). A faixa-título vem a seguir, é a mais longa do álbum, e traz uma composição forte, alternando levadas calmas e mais aceleradas, com um refrão cativante - uma das melhores do álbum! "The Anarchist" parece ter saído do começo dos anos 80 e trazida à modernidade, aquelas típicas levadas dos grandes discos da banda, tipo "Moving Pictures" ou "Permanent Waves". O baixo de Geddy Lee conduz com maestria o andamento da canção - é outra de grande destaque no disco.

Em "Carnies", Alex Lifeson nos traz um riff com forte influência de heavy metal, comunidade que sempre foi muito influenciada pelo Rush. "Halo Effect" é uma lentinha linda, com andamento que me lembra outra grande canção da banda, "Resist". "Seven Cities Of Gold" abre com o grande baixo de Geddy Lee e a seguir nos traz um riff matador, excelente, nos mostrando que a banda está afiadíssima e inspirada nas composições - outro grande destaque do disco. "The Wreckers" é uma canção típica dos últimos álbuns do Rush, com andamento moderado, sons mais modernos, muito teclado. A melodia e o refrão dela acabam te ganhando...

"Headlong Flight" é o single mais recente do disco, foi lançado em abril deste ano (um vídeo foi feito para esta canção, confira abaixo). Ela compete com a faixa-título como a melhor canção do álbum. O baixo de Lee, que introduz a canção, conduz e traz um ritmo forte, que é rapidamente acompanhado pela guitarra de Lifeson e a bateria de Peart. O riff inicial se repete no refrão e a canção ganha muita força - grande música!! "BU2B2" é uma curtinha rápida, apenas completa a sequência da história. "Wish Them Well" é outra moderninha que ganha valor com sua bela melodia e um refrão forte. O álbum fecha com a lindíssima "The Garden", que dá o clima perfeito de desfecho da história. Um encerramento com chave de ouro!!

Enfim, "Clockwork Angels" é um disco de extrema qualidade, com grandes melodias e performances, que você vai gostando cada vez mais, conforme vai escutando e percebendo todas as nuances que ele nos traz. Um trabalho que lembra os grandes discos da banda (o último trabalho do Rush que me empolgou desta forma foi "Counterparts") - se este novo trabalho é superior aos anteriores, só o tempo dirá! O disco estreou na segunda posição na parada americana e no topo da parada canadense. Uma bela estreia!!

Relação das músicas do disco:
1 - "Caravan"
2 - "BU2B"
3 - "Clockwork Angels"
4 - "The Anarchist"
5 - "Carnies"
6 - "Halo Effect"
7 - "Seven Cities Of Gold"
8 - "The Wreckers"
9 - "Headlong Flight"
10 - "BU2B2"
11 - "Wish Them Well"
12 - "The Garden"

Alguns vídeos:
"Headlong Flight" (single mais recente do disco):

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

"Clockwork Angels", a faixa-título:

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

"The Garden", canção que fecha o álbum:

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Confira esta e outras resenhas no blog
Ripando a História do Rock
http://ripandohistoriarock.blogspot.com.br

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Clockwork Angels - Rush

3692 acessosRush: algo belíssimo e de extremo valor lírico e literário2852 acessosRush: em seu porto seguro que é o Hard Rock2492 acessosRush: "Clockwork Angels" é sobretudo um álbum "rockeiro"5000 acessosRush: Ainda o mesmo de sempre, mas não com tanta força5000 acessosRush: Um daqueles discos que não há como deixar passar

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 27 de junho de 2012

RushRush
Capivaras de zoológico em Toronto ganham nome do trio

241 acessosAvery Molek: medley de Rush na bateria aos 10 anos de idade436 acessosLoudwire: em vídeo, 10 maiores riffs de metal dos anos setenta0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Rush"

RushRush
Alex Lifeson fala sobre o peso da idade

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Neil Peart e Tom Hanks

SoundcheckSoundcheck
Bandas que mandam bem até na passagem de som

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Rush"

Heavy MetalHeavy Metal
Os 10 melhores solos de guitarra de todos os tempos

SlashSlash
"Não entendo a histeria sobre o Guns N' Roses"

Osama Bin LadenOsama Bin Laden
O que havia na sua coleção de cassetes?

5000 acessosAxl Rose: sugerindo prática oral sexual a Paul Stanley5000 acessosLuxúria: uma lista de alguns dos clipes mais sexys da história5000 acessosCorey Taylor: "não comprem a playboy da Lindsay Lohan"5000 acessosLegião Urbana: Marcelo Bonfá explica performance ruim no celular5000 acessosGuns N' Roses: Izzy tentou reunir banda original com Axl em 20125000 acessosMegadeth: temas de filmes e desenhos que talvez você não conheça

Sobre João Paulo Linhares Gonçalves

Roqueiro convicto, de carteirinha, desde os treze anos de idade. Já tive diversas bandas preferidas: de Iron Maiden, Metallica e Black Sabbath a The Who, Pink Floyd e Rolling Stones. O heavy metal sempre me atraiu muito, mas o rock praticado nos anos 60 e 70 é fascinante e estou sempre escutando. De vez em quando, dou chance ao punk, rock alternativo, blues, até ao jazz e MPB, pra variar.

Mais matérias de João Paulo Linhares Gonçalves no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online