Anonymous Hate: Death Metal, honestidade e bom gosto

Resenha - Red Khmer - Anonymous Hate

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O novo trabalho da banda amapaense Anonymous Hate traz três novas composições, além de quatro covers (sendo dois em um medley para Paranóia Nuclear/Poluição Atômica do R.D.P.) e uma intro.

Oito razões pra dormir com um bateristaPunk: 10 músicos que são mais ricos do que você pensa

As composições inéditas demonstram uma evolução natural que tem caracterizado os trabalhos da banda desde a demo "Worldead" (2010) passando pelo full length "Chaotic World" (2011). Chega a impressionar como a banda evoluiu gradativamente, sem se perder, nestes dois anos. O detalhe é que todos os trabalhos são acima da média.

O Death Metal está mais imposto neste trabalho, enquanto as influências Grindcore (que eram o principal foco) se mantêm de forma mais tímida. O ponto alto do disco é sem dúvidas o vocal do estreante Victor Figueiredo, pois o cara demonstra ter um peito de aço, mandando ótimos e inteligíveis guturais.

Falando no som em geral, "Red Khmer" supera as expectativas e mostra uma banda mais madura, pesada e coesa. Através de riffs sujos, cozinha técnica e veloz, a banda consegue evocar elementos básicos, mas fundamentais ao Death/Grind. Tudo regado a temas que envolvem o caos da humanidade.

Não tem como não destacar a faixa título que é uma fábrica de riffs e cheia de variações rítmicas, a cargo de uma cozinha fenomenal. Dentre os covers, Dead Shall Rise 666 (Terrorizer) é a grande jogada, já que a versão dos caras ficou tão matadora quanto à original.

Outro fator positivo e evolutivo é a melhora na produção tanto sonora (que contribui e muito com o peso das composições) quanto à gráfica (muito acima da média para um EP). Honestidade e bom gosto é sempre bom, e os caras são top nisso, confira!

http://www.myspace.com/anonymoushateap


Outras resenhas de Red Khmer - Anonymous Hate

Anonymous Hate: Sete faixas de puro Grind/Death MetalAnonymous Hate: Evoluindo sem perder o controle



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Anonymous Hate"


Oito razões pra dormir com um bateristaOito razões pra dormir com um baterista
Oito razões pra dormir com um baterista

Punk: 10 músicos que são mais ricos do que você pensaPunk
10 músicos que são mais ricos do que você pensa

Legião Urbana: a versão de Renato Rocha sobre a sua saídaLegião Urbana
A versão de Renato Rocha sobre a sua saída

Rock e Metal: todo artista tem uma fase vergonhosaRock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposMetallica: Exemplo a ser seguidoSlipknot: Corey Taylor conta qual foi a máscara mais difícil de usar

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.