Squash Bowels: A melhor banda goregrind do mundo

Resenha - Grindvirus - Squash Bowels

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Christiano K.O.D.A., Fonte: Som Extremo
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Nem só de Vaders, Behemoths e Decapitateds vive a boa cena extrema polonesa. O Squash Bowels figura facilmente entre as grandes, embora seu estilo seja diferente mas igualmente brutal (quando não mais) ao da trinca citada.
5000 acessosGuns N' Roses: o código na capa de The Spaghetti Incident5000 acessosSeparados no nascimento: Paul Stanley e Sidney Magal

É uma banda que, ao contrário da grande maioria, tornou-se mais agressiva, e incrivelmente tem conseguido se superar a cada lançamento. Do começo da carreira, com sons mais primitivos e um tanto mal gravados, à praticamente perfeição deste disco (fazendo alguns fãs do início das antigas torcerem o nariz), a evolução da Squash Bowels é assustadora. E com “Grindvirus”, esses anormais chegaram ao “topo da pilha de cadáveres do mundo goregrind”*!

Após uma tosse daquelas bem escarradas, tem início uma das maiores bestialidades que o ser humano já produziu. É a introdução da faixa-título, absurdamente extrema. Os excelentes riffs, e seus timbres que até lembram um pouco os da banda Mortician, deixam tudo ainda mais intenso. É um verdadeiro massacre, meus amigos! Depois vem “Two Cows and Monkey”, outra grandiosa música que diminui um pouco a velocidade no meio, mas depois volta à correria de maneira empolgante, juntamente com um berro do vocalista Artur Grassmann. Indescritível o sentimento.

Outra maravilha é “Abhorrently Stinking Rich Man”, iniciada por somente bateria e baixo grave. Quando a guitarra entra, dá uma consistência ainda maior à (de)composição. Coisa mais linda. Inclusive as mudanças de ritmo são demais! Depois dela, “Shit Oneself” também mantém o nível lá no alto, e sua parte lenta é fantástica! A oitava música, “Sheep Dag”, apresenta bumbos que fazem tremer o chão!

E por toda a obra, a qualidade das composições se mantêm, sendo complicado destacar mais uma ou outra canção. Todas são indecentemente fodidas. A combinação das variações de levadas é um ponto fortíssimo da Squash Bowels. Em outras palavras, os caras sabem quando têm que fazer o som mais rápido do mundo, ou quando devem fazer uma paradinha na música, brincar somente com a guitarra, alterar o andamento, e por aí vai.

A gravação é excepcional, e mesmo sendo tudo muito barulhento, cada instrumento é perfeitamente audível. Destaque para o peso incrível da guitarra e seus riffs que, apesar de simples, são muito, muito atrativos. E não tem como não falar da bateria, que parece literalmente um britador.
Após ouvir o CD, você tateia a cabeça para ver se ela não se desprendeu do corpo com tanta bangueada. Uma pena que “Grindvirus” é apenas um nome, e portanto não pode ser espalhado pelo ar. Mas que seria fantástico uma epidemia de vírus grind, ah, isso seria! Para os que não conhecem a banda, ouçam também os estupendos “No Mercy” (2004) e “Love Songs” (2005), duas verdadeiras aulas de como se fazer discos praticamente perfeitos.

E esse aqui me trouxe problemas por ser forte candidato a entrar e alterar meu top 10 de álbuns (veja minha lista nos primeiros posts do blog). É a melhor banda goregrind do mundo. Pronto, falei.

*Tirado do blog/selo http://detestorecords.blogspot.com

Squash Bowels – Grindvirus
Willowtip - 2009 – Polônia
http://www.myspace.com/squashbowels

Tracklist:
1. Grindvirus
2. Two Cows and Monkey
3. Oust - Odour Eliminator
4. Wriggler
5. Abhorrently Stinking Rich Man
6. Shit Oneself
7. D. I.
8. Sheep Dag
9. Bacterial Fertiliser
10. Hamsters in Your Head
11. Don't Look a Gift Horse in the Ass
12. Nose – Lunger
13. Child Victims
14. Anodal Closing Odour

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Squash Bowels"

Guns N RosesGuns N' Roses
O código na capa de The Spaghetti Incident

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Paul Stanley e Sidney Magal

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Robert Plant e Patrícia Pillar

5000 acessosEmos: 23 músicas que já estiveram na sua playlist5000 acessosPiadas sobre músicos5000 acessosAnos 90: bandas de hard rock e metal que decepcionaram os fãs5000 acessosIron Maiden: uma releitura de "The Trooper" pelo Cine2604 acessosQuadradinho de oito hardcore no show do Dead Fish5000 acessosAndre Matos: "Não estava preparado para cantar no Maiden!"

Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online