Ágona: Thrash/Death brutal, trampado e com toques Prog

Resenha - Karma - Ágona

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


A evolução tecnológica, a despeito de saudosistas oitentistas que, em sua maioria, nem estavam no mundo naquela época, trouxe enormes benefícios ao Metal, uma vez que hoje, poucas bandas sofrem uma injustiça muito comum nos anos 80: uma simples gravação de seu trampo, já que os preços de estúdio eram altíssimos (lembro que a inflação era absurda no início da democracia brasileira), instrumentos musicais eram os olhos da cara, e só era possível gravações com algum patronato forte por trás da banda. Poucos são os que sabem que Igor Cavalera, no início do SEPULTURA, tinha que ensaiar em uma bateria de lata...

Semelhança: vocalistas de rock com vozes quase iguaisMegadeth - Perguntas e Respostas

Não, não era fácil, e muitas foram as bandas que passaram pelo mundo sem deixar marcas, e quando o fizeram, foram Demo-Tapes de qualidade sofrível. MORTALHA, SAGRADO INFERNO, FUNERAL, GUILHOTINA, AGRESSOR, DEIMOS, SPECTRUM...

A estabilização da economia brasileira em 1994, a queda dos preços de instrumentos importados e a melhoria na qualidade dos instrumentos nacionais, mais o barateamento das tarifas de estúdio e melhorias tecnológicas deram possibilidades à muitas bandas mais jovens de fazer trabalhos dignos, e os cariocas do ÁGONA é mais uma da turma que nos chega via seu websingle 'Karma', que está disponível para download gratuito no myspace da banda.

Juntos desde 2005 e com a mesma formação desde então, com Alan Muniz nos vocais, Leonardo Mili nas guitarras, Rafael Ferraz no baixo e Vinícius Bhering, a banda é adepta do Thrash/Death Metal brutal, embora bem trampado e com certos toques Progressivos, podendo-se dizer que está na mesma linha de bandas como LAMB OF GOD e SPAWN OF POSSESSION, só mais intenso que ambas.

Produção visual primorosa e impecável, só faltando as letras, e a sonora é ótima, permitindo que a brutalidade salte dos falantes sem problema, ao ponto de se conseguir ouvir cada instrumento e entender o que Alan canta, esse último um evento raro em se tratando de estilos mais extremados.

São três faixas ótimas, cantadas em português: 'Passos para o Fim', com alternâncias entre momentos rápidos e outros nem tanto, onde Alan se esgoela como um condenado, indo do gutural aos gritos agudos à lá porco sendo abatido, e Rafael; 'Mar', intensa e brutal, onde as guitarras de Leonardo fazem bonito; e 'Um Tempo', essa já com uma pegada mais Crossover cadenciada, onde Vinícius se mostra um monstrinho nas baquetas em suas levadas bem trampadas, o solo de guitarra é bem envolvente, com um 'q' de anos 70, bem como alguns toques jazzísticos do baixo.

Um trabalho digno, aqui imortalizado, e que merece uma conferida por parte de todos, já que é uma antecipação do que vira no EP 'Essencial Putrefação', que está com data de lançamento prevista para o início de 2011.

Tracklist:
1 - Passos Para o Fim
2 - Mar
3 - Um Tempo

Contatos:
http://www.myspace.com/agonaoficial




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Ágona"


Semelhança: vocalistas de rock com vozes quase iguaisSemelhança
Vocalistas de rock com vozes quase iguais

Megadeth - Perguntas e RespostasMegadeth - Perguntas e Respostas
Megadeth - Perguntas e Respostas

Guns N' Roses: a história da saída de cada integranteGuns N' Roses
A história da saída de cada integrante

Semelhança: vocalistas de rock com vozes quase iguaisMegadeth - Perguntas e RespostasPink Floyd: Rolling Stone elege as 10 melhores músicasElvis Presley: segundo irmão, Rei do Rock teria cometido suicídio

Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.