Icarus Witch: tentando acertar o caminho no terceiro álbum

Resenha - Draw Down The Moon - Icarus Witch

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Felipe Kahan Bonato
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


"Draw Down The Moon" é o terceiro álbum dos americanos do ICARUS WITCH, mais conhecidos por terem aberto alguns shows de Paul Di'Anno, Candlemass e pela participação em um tributo a Alice Cooper. Lançado em 2010, o mais recente CD mantém o estilo da banda, centralizado na sonoridade do heavy dos anos 70 e 80, e inova ao se tornar o trabalho mais sombrio da curta carreira da banda.

Iron Maiden: Bruce diz não haver muito diálogo na bandaPensadores e autores que inspiraram o Heavy Metal: Friedrich Nietzsche

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O ar sombrio mencionado é criado pelas próprias composições, com boas variações ao longo das faixas e pela presença marcante do baixo. Em geral, o ritmo não é muito acelerado e a banda trabalha com guitarras limpas em sua maior parte, imprimindo peso com o vocal, como em "Aquarius Rising" e "Serpent In The Garden". "Reap What You Sow" é outro bom exemplo de como a banda consegue imprimir em suas canções o mistério marcante nesse trabalho. Já a faixa de abertura, "Black Candles", com vocais mais rasgados, traz ainda backings agonizantes, um andamento ligeiramente mais acelerado e bom trabalho de guitarra. "Funeral Wine", por sua vez, segue a mesma linha de "Dying Eyes", sendo as duas mais lentas do álbum.

Conforme se evoluiu na audição, até mesmo músicas boas começam a se parecer com uma simples colagem de boas ideias, como na faixa título, em que o solo sai cortando a parte mais falada da música, imprimindo uma atmosfera meio desconexa. A posterior "Serpent In The Garden" segue a mesma linha, como o andamento versado seguido de um solo e da repetição do refrão até o seu fim. "Haunting Visions" faz praticamente o mesmo, mas adiciona uma passagem dedilhada bem interessante e começa com um instrumental mais pesado, o que, de certo, faz um pouco de falta nas demais canções.

Ao final, a banda não busca nenhuma novidade, faltando um pouco de identidade, já que parecem querer reproduzir o que DIO fazia com maestria. Ao que parece, o próprio conjunto sabe disso, ao se analisar os dois trabalhos anteriores do grupo, que vem se redirecionando levemente a cada lançamento. Até mesmo pelas entradas de Ed Skero na guitarra e de Christopher Shaner nos vocais, após esse "Draw Down The Moon", nos resta esperar o que será incorporado nos próximos álbuns de modo que, quem sabe, o ICARUS WITCH deixe de ser apenas uma banda de abertura.

Integrantes:
Matthew Bizilia - vocais
Quinn Lukas - guitarra
Jason "Sin" Myers - baixo, teclados
Steve Johnson - bateria

Faixas:
1 - Black Candles
2 - Aquarius Rising
3 - Reap What You Sow
4 - Dying Eyes
5 - Draw Down the Moon
6 - Serpent in the Garden
7 - Funeral Wine
8 - Haunting Visions
9 - The Ripper (cover - Judas Priest)

Gravadora: Cleopatra
Site: icaruswitch.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Icarus Witch"


Iron Maiden: Bruce diz não haver muito diálogo na bandaIron Maiden
Bruce diz não haver muito diálogo na banda

Pensadores e autores que inspiraram o Heavy Metal: Friedrich NietzschePensadores e autores que inspiraram o Heavy Metal
Friedrich Nietzsche


Sobre Felipe Kahan Bonato

Felipe Kahan Bonato: Nascido em 88, há mais de 10 anos - por enquanto - escuta praticamente qualquer subgênero de rock e metal, explorando principalmente bandas mais desconhecidas. Teve contato tardio com a guitarra, seu instrumento preferido, optando então em seguir a carreira de Engenheiro de Produção e em contribuir esporadicamente com resenhas no Whiplash.

Mais matérias de Felipe Kahan Bonato no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336