RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas


Stamp

Enslaved: criando algo novo, digno de nota e de palmas

Resenha - Axioma Ethica Odini - Enslaved

Por Marcos Garcia
Postado em 07 de outubro de 2010

Nota: 9

A cena Black Metal norueguesa de 1990, denominada por muitos acadêmicos como a "segunda geração", revelou bandas que marcaram o estilo e o Metal como um todo, tanto pelo som quanto pelas polêmicas. O ‘vovô’ MAYHEM (que na realidade, faz parte da primeira geração), DARKTHRONE, EMPEROR, SATYRICON e tantas outras que nem cabe dizer tantos nomes aqui, pois não haveria espaço. Óbvio que a mesma força que impulsiona a humanidade para o futuro, chamada ‘evolução’, mostrou seu dedo nessas mesmas bandas, e houve mudanças em cada uma delas, algumas se negando a evoluir e indo por caminhos tortuosos, outras decaindo vertiginosamente, e outras ainda que foram aglutinando mais e mais influências musicais e criando algo novo, digno não só de nota, mas de palmas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

E neste último grupo está o ENSLAVED, que nos chega com seu 12º. CD, chamado "Axioma Ethina Odini", que mostra o quão madura uma banda pode ser, o quanto ela pode evoluir sem perder suas raízes.

É óbvio que quem acompanha a banda há tempos sentirá que eles mantiveram o mesmo direcionamento ‘Progressive Black Metal’ dos últimos CDs, mas o que chama a atenção são alguns toques de psicodelismo à lá anos 60, principalmente pela sonorização usada no teclado, em vários momentos, e mesmo os vocais limpos apontam nesta direção.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

O disco abre com a longa "Ethica Odini", que inicia com um som de ventos e tempestade e depois vem um belo riff de guitarra acompanhado dos teclados, e logo os vocais rasgados de Grutle Kjellson (também baixista da banda) contrapõem-se aos belos andamentos de forma brilhante, seja nos momentos mais fortes ou nos mais técnicos. Os vocais limpos de Herbrand Larsen (que também é o tecladista da banda) aparecem como uma bela surpresa em vários momentos, inclusive em partes amenas e agressivas. "Raidho" é a próxima, onde a música se inicia mais seca e com Grutle urrando como um urso e riffs de guitarra mais secos e "motorheadianos", lembrando a fase mais inicial da banda, mas logo a vitamina de Rock Progressivo se torna aparente em uma linda parte cheia de teclados e onde a bateria mais fica mais técnica (este Cato Bekkevold toca muito bem em todo o CD). A contraposição entre os vocais limpos e rasgados dão uma beleza incomum à música, bem como o excelente trabalho de Ivar Bjørnson e Arve ‘Ice Dale’ Isdal (este, conhecido por tocar também no I e no OV HELL). A faixa "Waruun" começa mais cadenciada, e depois começa a alternar partes lentas com outras mais rápidas e progressivas, em uma fusão perfeita de som agressivo e beleza na estética musical. Em "The Beacon", mais uma vez o início nos lembra aquela fase "Frost"/"Eld" da banda, em uma golfada de agressividade, e apesar de uma amenizada com vocais limpos, a levada de baixo e bateria mantém aquela velha aura da banda, mantendo o trabalho consensual com suas raízes. A música "Axioma", de apenas dois minutos, é apenas uma narrativa com vozes bem baixas e sons de sintetizadores, dando aquela velha climática Viking tão característica do ENSLAVED.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

"Giants" inicia com um clima mais tenebroso, com riffs e levada bem lentos, e o clima ainda é mais aterrorizante mais adiante, graças aos vocais rasgados graves de Grutle alternado com os limpos, e os teclados dão aquela sensação de filme de horror, embora existam momentos mais polidos. Apesar dos vocais extremamente rasgados que abrem a música, "Singular" é bonita e bem trabalhada, com belos duetos vocais e teclados bem psicodélicos. No início de "Night Sight", ficam claras influências de bandas de Rock Progressivo, bem como aquela psicodelia sonora tão característica do final dos anos 60 e do início dos 70, unida ao peso do Black Metal da banda, o que faz dela, de longe, a faixa mais progressiva e bonita do CD inteiro, e os mesmos elementos estão presentes em "Lightening", sendo esta um pouco mais agressiva e o andamento é mais rápido que a anterior, fechando assim este belo CD.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

Se alguém está em busca do que a banda fazia nos seus primeiros trabalhos, irá encontrar, bem como novos fãs terão acesso a uma excelente banda que ainda não teve seu real valor reconhecido por muitos.

Recomendo sem medo.

Tracklist:
01. Ethica Odini
02. Raidho
03. Waruun
04. The Beacon
05. Axioma
06. Giants
07. Singular
08. Night Sight
09. Lightening

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Summer Breeze 2024

Stratosphere Project: O eco estrondoso da Via-Láctea fundindo-se nas dimensões ocultas

Perc3ption: A arte em situações extremas

"Here Comes The Rain", último registro do Magnum com Tony Clarkin, é mais um bom registro

Resenha - Nebro - Vesperaseth

Sepultura: Em plena forma e com mais um disco brilhante

Deep Purple: Who Do We Think We Are é um álbum injustiçado?

Deep Purple: Stormbringer é um álbum injustiçado?

Megadeth: recuperando a fúria que faltava


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | Andre Facchini Medeiros | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Jesus Leitão Souza | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Roberto Andrey C. dos Santos | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".
Mais matérias de Marcos Garcia.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS