Wilde Starr: para muitos a melhor estréia de 2009

Resenha - Arrival - Wilde Starr

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho, Tradução
Enviar Correções  

9


"Mas o que é isso?!?!"... Esta foi minha reação aos primeiros acordes de "Arrival", a estréia do projeto norte-americano Wilde Starr. O leitor que acompanhou o cenário Heavy Metal da segunda metade dos anos 80 deve se lembrar de alguns discos cuja sonoridade se destacava pelo fato de a banda contar com músicos virtuosos, considerados até mesmo avançados para a época. Cacophony, Vicious Rumours, Wild Dogs ou CJSS podem não ter estourado a nível comercial, mas são nomes lembrados até os dias de hoje.

Inclusive a história do Wilde Starr está ligada a uma dessas bandas acima citadas. Dave Starr foi o baixista do período considerado como o mais criativo do Vicious Rumous. Assumindo com louvores a guitarra, sua parceria com a belíssima vocalista de estúdio London Wilde começou em 2003 e resultou na demo "Generation Next" (07), que rapidamente espalhou o nome da dupla pela internet. Agora, contando com o baterista Jim Hawthorne, chegou a vez da estréia em disco.

publicidade

Sob muitos aspectos, "Arrival" possui um estilo que remete à sonoridade do Heavy Metal clássico e virtuoso, tipicamente europeu. Mas não pense que o repertório seja uma mera colagem de clichês ou que soe datado. O apego às raízes é uma importante característica por aqui, mas a abordagem é feita de maneira muito inteligente, com nuances progressivas e discretos teclados injetando melodias mais obscuras, tendo como resultado final algo realmente contemporâneo.

publicidade

Além destes pontos tão positivos, a voz de Wilde é impressionante, forte e clara como o estilo solicita. Trabalhando com emoção as influências confessas de Rob Halford (Judas Priest) e Geoff Tate (Queensryche), a garota grita muito e canta ainda mais, seu tons altos em "Rise" são destruidores, de tirar o fôlego mesmo!

Com a correta diversidade de ritmos e uma incrível timbragem dos instrumentos, "Arrival" tem como único ponto negativo seu conteúdo gráfico, por demais confuso e mal executado – atentem ao projeto do próprio site do Wilde Starr para terem uma noção deste fato. De qualquer forma, sua música possui tal poder que este disco já vem sendo considerado por muitos como a melhor estréia de 2009. E este escriba concorda plenamente...

publicidade

Contato:
http://www.wildestarr.com
http://www.myspace.com/wildestarr

Formação:
London Wilde - voz e teclados
Dave Starr - guitarra e baixo
Jim Hawthorne - bateria

Wilde Starr - Arrival
(2009 / Furnace Maximus Records - importado)

publicidade

01. Rose In The Dark
02. Arrival
03. Touching God
04. Rise
05. Down Of The Sun
06. In This World
07. Generation Next
08. Nevermore
09. Voice In The Silence
10. The Chain




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


E-Farsas: Papa Francisco era fã do Black Sabbath?E-Farsas
Papa Francisco era fã do Black Sabbath?

Guns N' Roses: a família brasileira de Axl RoseGuns N' Roses
A família brasileira de Axl Rose


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin