Matérias Mais Lidas

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemBruno Valverde diz que preconceito contra ele veio mais da igreja do que dos metaleiros

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemFãs protestam contra Claustrofobia após banda fazer versão de música do Pantera

imagemStjepan Juras retruca comentário de Regis Tadeu sobre reencontro de Di'Anno e Harris

imagemGeezer Butler, Heavy Metal e a clássica canção do Black Sabbath inspirada por Jesus

imagemA banda de forró que uniu Nenhum de Nós, Legião, Titãs e Paralamas na mesma música

imagemIggor Cavalera manda ver em "Dead Embryonic Cells" ao vivo; confira drumcam

imagemComo era a problemática relação do Angra no "Aurora Consurgens", segundo produtor

imagemComo foram os últimos meses de Renato Russo e a causa da sua morte

imagemNovo álbum do Krisiun será lançado em julho; veja capa e tracklist

imagemJohn Bonham, Keith Moon ou Charlie Watts, quem era o melhor segundo Ginger Baker?

imagemTobias Forge, do Ghost, diz que ABBA deveria receber um Prêmio Nobel

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil


Land Of Tears: soando como Death Metal da primeira geração

Resenha - World Of Pain - Land Of Tears

Por Ben Ami Scopinho
Em 30/07/09

Nota: 7

Quando o Land Of Tears começou suas atividades em 2000, sua proposta era uma variação do Death / Doom Metal, onde usava freqüentemente vocalizações femininas e muitos teclados. Mas, com o passar dos anos e alterações em sua formação, os cariocas foram lapidando sua música até chegar ao resultado apresentado em "World Of Pain", um EP com tantos bônus que acaba parecendo um CD completo.

Agora seu núcleo soa bem mais Death Metal, daqueles da primeira geração, old school mesmo. Então, pode esquecer o trabalho das vozes femininas e os tais teclados... Mas o Land Of Tears se mostrou flexível ao não abandonar completamente sua faceta Doom, pois vários andamentos mais lentos se fazem presentes, garantindo certa amargura melancólica por toda a distorção das cinco composições inéditas.

O grande destaque fica por conta de "Eternal Suffering", cujos sete minutos mostram mudanças de andamentos bem posicionadas e, principalmente, um belo trabalho com as guitarras, que prima pelas melodias de seus solos. Uma composição e tanto, que inclusive mereceu um vídeo, também presente no CD, e que mostra algumas cenas da belicosa natureza humana que atingirão como um soco aquele leitor mais afeito ao pacifismo.

Outro grande atrativo em "World Of Pain" é a inclusão das demos "Canon Episcope" (02) e "Total Disgrace" (04), possibilitando que a audição se aproxime dos 50 minutos. E é graças às canções destes antigos trabalhos, com tantas vozes femininas e teclados climáticos, que o ouvinte conseguirá avaliar o quanto o grupo procurou seguir seu próprio caminho, tornando sua música cada vez mais interessante e consistente.

"World Of Pain" possui uma ótima produção dividida entre Eregion (Unearthly) e o próprio vocalista e guitarrista Robson Souto, e mostra mais um pouco do Heavy Metal feito no Brasil. E como o álbum está sendo comercializado por um preço muito acessível – nem mesmo aqueles que alegam que 'CD é muito caro' poderão reclamar – fica o convite aos amantes do estilo em conferir sua música em www.myspace.com/landoftearsbrasil.

Formação:
Robson S. Maior - voz e guitarra
Wellington Ferrari - guitarra
Sérgio Vianna - baixo
Mauro Morgado - bateria

Land Of Tears - World Of Pain
(2008 / Free Mind Media - nacional)

01. Land Of Tears
02. Canon Episcopi
03. World Of Pain
04. The First Time And The Last One
05. Eternal Suffering
Bonustracks:
06. Tormented Shadows (da demo "Canon Episcope")
07. Vinho (da demo "Total Disgrace")
08. Abducted (da demo "Total Disgrace")
09. Winter Sadness (da demo "Total Disgrace")

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Garimpeiro das Galáxias: Beldades globais e sua paixão pelo rock


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.