Septic Flesh: brutalidade metal e atmosfera clássica

Resenha - Communion - Septic Flesh

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Nunca ficou realmente claro o motivo de uma das mais criativas bandas do underground grego ter encerrado suas atividades em 2003, depois de uma trajetória de 13 longos anos em prol da música extrema. O Septic Flesh havia então liberado neste mesmo ano um ótimo registro chamado "Sumerian Daemons" - que inclusive chegou ao mercado brasileiro via Encore Records - e logo depois simplesmente anunciou seu fim.

Black Metal: o lado mais negro da cena brasileiraFreddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação

Mas felizmente eis que em 2007 a carne se renova... Spiros 'Seth' (voz e baixo), Christos Antoniou (guitarra) e Sotiris Vayenas (guitarra) decidiram voltar ao cenário com planos grandiosos para seu novo registro. E "Communion" é o fruto que marca o retorno do Septic Flesh com todas as honras possíveis, mostrando que a ambição sempre exibida em seus discos continua em alta.

E põe em alta! Para esta gravação foram utilizados os serviços de uma orquestra composta por 80 músicos e 32 cantores, orientada por ninguém menos do que o próprio guitarrista Christos Antoniou. Assim sendo, muito da estética de seu último álbum agora está envolvida por toda uma dinâmica até então inédita mesclada à peculiaridade de seu rico Death/Black Metal.

As músicas são simultaneamente intrincadas e pegajosas, tendo em "Lovecraft's Death" uma perfeita abertura. Vale mencionar ainda a própria "Communion" e "We The Gods", duas faixas onde tudo é muito denso e distorcido, além de ocasiões ainda mais épicas como "Sangreal", "Narcissus" e "Anubis", esta última com ótimo trabalho de vozes.

Durante a audição se observa a brutalidade do Heavy Metal extremo, a atmosfera bombástica da música clássica e ainda a aplicação de contrastantes melodias leves e muito bonitas. Extravagâncias à parte, "Communion" mostra que o versátil Septic Flesh ainda tem muito a oferecer ao público, sendo um disco altamente recomendável a quem aprecia bandas como Behemoth, Dimmu Borgir ou o clima meio 'hollywoodiano' que o Therion tem elaborado em seus trabalhos mais recentes.

Excelente!

Formação:
Spiros "Seth" Antoniou - voz e baixo
Sotiris Vayenas - guitarra
Christos Antoniou - guitarra
Fotis Benardo - bateria

Septicflesh - Communion
(2008 / Season Of Mist - importado)

01. Lovecraft's Death
02. Annubis
03. Communion
04. Babel's Gate
05. We The Gods
06. Sunlight Moonlight
07. Persepolis
08. Sangreal
09. Narcissus

Homepage: www.septicflesh.net




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Septic Flesh"


Metal: as dez melhores músicas do gênero desta décadaMetal
As dez melhores músicas do gênero desta década

Grécia: dez das maiores bandas de metal do paísGrécia
Dez das maiores bandas de metal do país


Black Metal: o lado mais negro da cena brasileiraBlack Metal
O lado mais negro da cena brasileira

Freddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentaçãoFreddy Frenzzy
O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação

Guitarpedia: Os 10 riffs de guitarra mais complicados da históriaGuitarpedia
Os 10 riffs de guitarra mais complicados da história

Courtney Love: Essa música é sobre minha vagina, sabia?Courtney Love
"Essa música é sobre minha vagina, sabia?"

Rock Stars: como se pareceriam alguns se não tivessem morridoRock Stars
Como se pareceriam alguns se não tivessem morrido

Johnny Depp: nunca mais deve beber em noitadas com Keith RichardsJohnny Depp
Nunca mais deve beber em noitadas com Keith Richards

Loudwire: Veja resultado da votação dos melhores de 2016Loudwire
Veja resultado da votação dos melhores de 2016


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336