Matérias Mais Lidas

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemIron Maiden e o Rock in Rio: em detalhes, o que exatamente a banda pediu para o evento

imagemRob Halford compartilha a foto mais metal da semana; "O Rei e Eu"

imagemO clássico dos Paralamas do Sucesso que Lobão acusou de plágio

imagemPrika Amaral diz que fica feliz com o sucesso alcançado banda Crypta

imagemGordo diz que atualizou termos politicamente incorretos após puxão de orelha de filha

imagemFãs de Stranger Things do Tik Tok querem cancelar o Metallica

imagemDavid Ellefson diz que você conhece seus amigos quando a m*rda bate no ventilador

imagemA opinião de Marcelo Barbosa sobre cancelamento de Metallica e Pantera por racismo

imagemNova Fã que descobriu Metallica por Stranger Things quer cancelar banda e reúne provas

imagemGuitarrista do Skid Row diz que não fala com Sebastian Bach e não pensa em fazer pazes

imagemArtigo na Far Out Magazine aponta James Hetfield como pior letrista da história do metal

imagemFloor Jansen diz que achou que não fosse conseguir cantar nova música do Avantasia

imagemResenha - Max e Iggor Cavalera (Audio, São Paulo, 07/08/2022)

imagemAnthrax cancela mais um show que seria realizado no Texas


Dream Theater 2022

Demoniac: Black Metal com solos extravagantes

Resenha - Fire And The Wind - Demoniac

Por Júlio Oliveira
Em 19/04/08

Engana-se quem pensa que os finlandeses do Children Of Bodom são os pioneiros da adição de melodias ao Black metal. Tudo bem que em "The Fire And The Wind" o Demoniac mudou o direcionamento do seu som, o que pode ter sido o motivo do fim da banda, mas até então eles faziam de fato Black Metal, a exemplo do som encontrado nos dois registros anteriores: "Prepare For War" e "Stormblade".

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

A mais provável causa da já citada mudança de direcionamento musical trata-se da entrada de Herman Li, mais conhecido entre os leitores como guitarrista do DragonForce que trouxe todas as suas experimentações e solos extravagantes fazendo a banda soar mais como um Heavy Melódico com vocais guturais.

Já na faixa de abertura, "The Eagle Spread Its Wings", a banda entoa a proposta que será seguida no restante do disco, com um bom trabalho de guitarras, ainda que bem menos trabalhado/extravagante que o executado pelo mesmo Li em sua outra banda, o que não chega a ser um problema, pois foi possível manter um bom nível na composição. Entretanto, a bateria soa demasiado repetitiva e sem criatividade, sem falar na falta da agressividade peculiar ao estilo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Daggers And Ice" é a faixa mais longa, com seus 8:54 chega a lembrar os primeiros discos do Iron Maiden em vários momentos e conta com o solo mais longo, mais uma vez executado por Li em parceria com Heimdall (AKA Sam Totman, também no DragonForce).

A terceira faixa é iniciada mais uma vez pela guitarra do Li puxando o restante da banda e como lhe é peculiar, a melodia é bem cativante embora o vocal pareça mais uma piada, o que não prejudica o resultado final da música. Então chegamos a "Night Demons" que com seus 58 segundos, funciona como uma intro para "Demons Of The Night".

Essa tem, na humilde opinião deste que vos escreve, uma das melhores melodias já escritas, apesar de ser quase uma cópia descarada da melodia de "Beyond The Black Hole" do Gamma Ray.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

"Myths Of Metal", a sexta faixa, tem um feeling quase Speed Metal e juntamente com a próxima faixa, "Sons Of The Master", constituem as músicas mais curtas do disco que termina com "The Fire And The Wind", uma música interessante que em seus mais de 8 minutos, tem algumas mudanças de andamento e de forma quase inacreditável, consegue até mesmo copiar a cópia do Gamma Ray que já havia sido feita em "Demons Of The Night".

Ao final do disco o ouvinte provavelmente sentirá que não se trata de nada novo ou genial, mas que não deixa de ser agradável e que os fãs do DragonForce ou do seu principal guitarrista deveriam ao menos conferir por tratar-se de um trabalho um tanto quanto diferente do que ele faz na sua banda atual.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Formação:
Behemoth – Voz/Baixo
Herman ‘Shred’ Li - Guitarra
Heimdal - Guitarra
Matej Setinic - Bateria

Demoniac – The Fire And The Wind
(1999 – Osmose Productions)

1. The Eagle Spread Its Wings
2. Daggers And Ice
3. Demoniac Spell
4. Night Demons
5. Demons Of The Night
6. Myths Of Metal
7. Sons Of The Master
8. The Fire And The Wind

http://www.demoniac.com

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Guns N' Roses: a versão de Axl Rose sobre a separação

Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treino


Sobre Júlio Oliveira

Recifense, atualmente divide seu tempo entre trabalhar em Copenhague (Dinamarca) e morar/estudar em Malmö (Suécia). Começou a escutar Metal no início dos anos 90 com os companheiros do Colégio da Polícia Militar e desde então não parou mais, mas nunca se restringindo a um estilo, mas à qualidade da musica em questão. Resolveu começar a colaborar com o site depois de anos lendo as noticias trazidas por outros. "Tava na hora de eu dar minha colaboração também...".

Mais matérias de Júlio Oliveira.