Demoniac: Black Metal com solos extravagantes

Resenha - Fire And The Wind - Demoniac

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Júlio Oliveira
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Engana-se quem pensa que os finlandeses do Children Of Bodom são os pioneiros da adição de melodias ao Black metal. Tudo bem que em "The Fire And The Wind" o Demoniac mudou o direcionamento do seu som, o que pode ter sido o motivo do fim da banda, mas até então eles faziam de fato Black Metal, a exemplo do som encontrado nos dois registros anteriores: "Prepare For War" e "Stormblade".
5000 acessosGuns N' Roses: A crítica de Portnoy ao trabalho de Matt Sorum5000 acessosMetal: adolescentes que ouvem o gênero fazem mais sexo?

A mais provável causa da já citada mudança de direcionamento musical trata-se da entrada de Herman Li, mais conhecido entre os leitores como guitarrista do DragonForce que trouxe todas as suas experimentações e solos extravagantes fazendo a banda soar mais como um Heavy Melódico com vocais guturais.

Já na faixa de abertura, "The Eagle Spread Its Wings", a banda entoa a proposta que será seguida no restante do disco, com um bom trabalho de guitarras, ainda que bem menos trabalhado/extravagante que o executado pelo mesmo Li em sua outra banda, o que não chega a ser um problema, pois foi possível manter um bom nível na composição. Entretanto, a bateria soa demasiado repetitiva e sem criatividade, sem falar na falta da agressividade peculiar ao estilo.

"Daggers And Ice" é a faixa mais longa, com seus 8:54 chega a lembrar os primeiros discos do Iron Maiden em vários momentos e conta com o solo mais longo, mais uma vez executado por Li em parceria com Heimdall (AKA Sam Totman, também no DragonForce).

A terceira faixa é iniciada mais uma vez pela guitarra do Li puxando o restante da banda e como lhe é peculiar, a melodia é bem cativante embora o vocal pareça mais uma piada, o que não prejudica o resultado final da música. Então chegamos a "Night Demons" que com seus 58 segundos, funciona como uma intro para "Demons Of The Night".

Essa tem, na humilde opinião deste que vos escreve, uma das melhores melodias já escritas, apesar de ser quase uma cópia descarada da melodia de "Beyond The Black Hole" do Gamma Ray.

"Myths Of Metal", a sexta faixa, tem um feeling quase Speed Metal e juntamente com a próxima faixa, "Sons Of The Master", constituem as músicas mais curtas do disco que termina com "The Fire And The Wind", uma música interessante que em seus mais de 8 minutos, tem algumas mudanças de andamento e de forma quase inacreditável, consegue até mesmo copiar a cópia do Gamma Ray que já havia sido feita em "Demons Of The Night".

Ao final do disco o ouvinte provavelmente sentirá que não se trata de nada novo ou genial, mas que não deixa de ser agradável e que os fãs do DragonForce ou do seu principal guitarrista deveriam ao menos conferir por tratar-se de um trabalho um tanto quanto diferente do que ele faz na sua banda atual.

Formação:
Behemoth – Voz/Baixo
Herman ‘Shred’ Li - Guitarra
Heimdal - Guitarra
Matej Setinic - Bateria

Demoniac – The Fire And The Wind
(1999 – Osmose Productions)

1. The Eagle Spread Its Wings
2. Daggers And Ice
3. Demoniac Spell
4. Night Demons
5. Demons Of The Night
6. Myths Of Metal
7. Sons Of The Master
8. The Fire And The Wind

http://www.demoniac.com

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Demoniac"

Guns N RosesGuns N' Roses
A crítica de Portnoy ao trabalho de Matt Sorum

MetalMetal
Adolescentes que ouvem o gênero fazem mais sexo?

Pink FloydPink Floyd
The Wall: uma obra de arte conceitual

5000 acessosSexo e rock n' roll: banda grava e vende pornô para bancar despesas5000 acessosShaman: baixista desabafa sobre cena brasileira5000 acessosNicko McBrain: pedal duplo é pra caras como Aquiles Priester5000 acessosEm 19/03/1982: Randy Rhoads morre em um acidente de avião5000 acessosGhost: bem confortável com a ideia de não ser mais anônimos5000 acessosSlayer: maluco encara furacão na Flórida ao som da banda

Sobre Júlio Oliveira

Recifense, atualmente divide seu tempo entre trabalhar em Copenhague (Dinamarca) e morar/estudar em Malmö (Suécia). Começou a escutar Metal no início dos anos 90 com os companheiros do Colégio da Polícia Militar e desde então não parou mais, mas nunca se restringindo a um estilo, mas à qualidade da musica em questão. Resolveu começar a colaborar com o site depois de anos lendo as noticias trazidas por outros. "Tava na hora de eu dar minha colaboração também...".

Mais matérias de Júlio Oliveira no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online