Infested Blood: além de qualquer imparcialidade

Resenha - Tribute To Apocalypse - Infested Blood

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Santos
Enviar correções  |  Ver Acessos


Antes de qualquer coisa, um alerta: este disco não agradará em nada quem gosta de elementos mais diversificados, de melodias. Se você é um deles, afaste-se. Agora, se você é fã de Deeds Of Flesh, Brodequin, Disgorge dentre outros, pode ir se acostumando com a assustadora brutalidade (única expressão digna para descrever isto aqui) deste "Tribute To Apocalyse", dos pernambucanos do Infested Blood. Vale citar que a banda já dividiu o palco com nomes do calibre do Krisiun, Vader e Incantation. Uma outra coisa: este disco está além de qualquer tipo de imparcialidade. Ou você gosta ou não.

Ummagumma: Desentendimentos e confusões... o que é rock progressivo?No alto do castelo: As diferenças entre os diferentes estilos de rock

Cinco anos após o não menos violento "Masters of Grotesque", o Infested Blood, formado por Cristiano Alexandre nos vocais, Diego Araújo nas guitarras, Eduardo Viana no baixo e Beto Santos na bateria, solta "Tribute To Apocalypse", originalmente gravado em 2005. O álbum possui oito canções espalhadas em 27 minutos de massacre puro. Não há aqui qualquer tipo de concessão. Não mesmo.

E logo percebe-se isto, quando somos introduzidos ao álbum pela música "Diabolical Reincarnation" que não deixa pedra sobre pedra em seus dois minutos. É incrível o que estes caras fizeram aqui, seja pelos vocais de Cristiano, que variam do gutural mais profundo e ininteligível ao "high-pitched" com enorme facilidade, sejam nas linhas de guitarra de Diego, intricadas e brutais até o osso, seja no trabalho de bateria de Beto, que usa ferozes blasting-beats seja pelo baixo de Eduardo que acompanha os riffs de Diego, logo, soam absurdamente brutais. Não à toa, a banda descreveu-se assim em seu Myspace: "100% blasting beats under heavy guitar and inhuman vocals, made only for the extreme bangers!"

A homogeneidade do álbum, que alguns consideram um ponto negativo foi o fator que me fez gostar deste. Veja bem, homogeneidade, não repetição. Quem tiver um ouvido mais apurado para este tipo de som saberá discernir com facilidade uma música da outra. Músicas ótimas por sinal, como a já citada faixa de abertura, sua subseqüente "Walking Through the Infernal Catacombs" e "Rotting Years" com suas intro arrepiantes predizendo o massacre que está por vir, "The Law", com um grande trabalho do baixo, "Possessed By The Blood" dentre as outras impiedosas oito canções.

Enquanto a banda esperava pelo lançamento de "Tribute To Apocalyspe", compuseram material suficiente para um vindouro terceiro álbum. Se seguir esta linha, irá saciar os ouvidos daqueles que buscam brutalidade e violência para ouvir antes de dormir e ter alegres sonhos com vermes e cadáveres incinerados e mutilados. Para mim, uma obra-prima. Mas lembre-se, não é para qualquer um. Mas se você gosta do estilo, corra e compre "Tribute to Apocalypse". Vale a pena.

Infested Blood - "Tribute to Apocalypse"
(BlackOut Records)

1.Diabolical Reincarnation
2.Walking Through Infernal Catacombs
3.Forgotten Beliefs
4.The Law
5.Rotting Years
6.Impaler Deeds
7.Possessed By The Blood
8.Those Who Defy




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Infested Blood"


Ummagumma: Desentendimentos e confusões... o que é rock progressivo?Ummagumma
Desentendimentos e confusões... o que é rock progressivo?

No alto do castelo: As diferenças entre os diferentes estilos de rockNo alto do castelo
As diferenças entre os diferentes estilos de rock


Sobre Ricardo Santos

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Ricardo Santos no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336