Svartsot: para ouvir com os punhos no ar

Resenha - Ravnenes Saga - Svartsot

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  


O novato e desconhecido Svartsot se formou na Dinamarca em 2005, e com apenas duas demos nas costas conseguiu vencer a competição "Metal Grand Prix 2006" em seu país. Com o nome em evidência, tem agora a oportunidade de estrear em disco pela gravadora Napalm Records com um bonito trabalho, "Ravnenes Saga", título que remete a Hugin e Munin (Pensamento e Memória), os corvos que frequentemente voavam para fora do mundo com o intuito de relatar o que haviam visto a Odin, o todo-poderoso deus viking.

O Svartsot é totalmente desprovido de qualquer dimensão épica, característica bastante comum em muitas bandas do estilo. Esqueça também o uso de gaitas de foles ou acordeões... A banda se impõe com boas doses de agressividade típicas da música extrema, o que fica evidenciado pelas vocalizações totalmente guturais, guitarras pesadíssimas orientando as canções e uma seção rítmica que aparece bastante. E, paralelo a este aspecto Heavy Metal, lá estão as bonitas melodias de flautas, tambores e alguns poucos mandolins dando a contrastante tônica, seja melancólica ou alto-astral.

publicidade

Parte da crítica posiciona a sonoridade do Svartsot entre o Korpklaani e o Amon Amarth, e esta é uma análise válida. Apesar das estruturas das canções serem bastante simples e seguirem o mesmo padrão, o grupo elaborou um repertório diversificado e extremamente agradável, todo cantado em dinamarquês, com destaque para a abertura grudenta "Gravøllet"; "Nidvisen", cujo ritmo possui todo um jeitão de polka; "Hedens Døtre" e "Festen", ambas perfeitas para se bater cabeças; e ainda a forte atmosfera medieval de "Spillemandens Dåse".

publicidade

É claro que num planeta que gerou feras tão distintas como Finntroll, Moonsorrow, Tyr e In Extremo, o Svartsot não apresenta nada de novo. Mas não há como a inabalável energia que reina em "Ravnenes Saga" passar despercebida. Uma estréia onde muito é oferecido, e tudo é tão galopante que inconscientemente o ouvinte vai levantando os punhos. É difícil evitar...

publicidade

Formação:
Claus B. Gnudtzmann - voz
Cris J.S. Frederiksen - guitarra
Michael L Andersen - guitarra
Stewart Lewis - flautas e bodhran
Martin Kielland-Brandt - baixo
Niels Thogersen - bateria

Svartsot - Ravnenes Saga
(2007 / Napalm Records - importado)

01. Gravøllet
02. Tvende Ravne
03. Nidvisen
04. Jotunheimsfærden
05. Bersærkergang
06. Hedens Døtre
07. Festen
08. Spillemandens Dåse
09. Skovens Kælling
10. Skønne Møer
11. Havets Plage

publicidade

Homepage: www.svartsot.dk

Nota: 08




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Ozzy Osbourne: Fim do Guns foi a maior tragédia do rockOzzy Osbourne
Fim do Guns foi a maior tragédia do rock

Freddie Mercury: veja a primeira foto do cantor no palco, ainda nos anos sessentaFreddie Mercury
Veja a primeira foto do cantor no palco, ainda nos anos sessenta


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin