Vintersorg: um álbum positivamente modesto

Resenha - Solens Rötter - Vintersorg

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Depois de dividir as opiniões com "The Focusing Blur" (04), onde Vintersorg literalmente soltou sua delirante criatividade num álbum tão desajeitado e intelectualóide quanto possível, chegou a vez de "Solens Rötter", um sexto registro que se mostra positivamente modesto em vários aspectos, incluindo aí a ausência do baixista Steve DiGiorgio (Sadus) e do baterista Asgeir Mickelson (Borknagar), que foram substituídos respectivamente por Johan Lindgren e uma já conhecida bateria programada.

"Solens Rötter" (A Origem do Sol) se caracteriza por marcar certa volta às origens deste talentoso músico sueco. Assim sendo, o ouvinte encontrará Andreas (agora com um visual totalmente diferente) novamente cantando e urrando em sua língua natal, os típicos arranjos voltados ao metal extremo mesclados aos mais tradicionais, e ainda às sempre bem-vindas sonoridades folclóricas compostas por violões, flautas e violinos.

publicidade

Mas este retorno às origens é apenas parcial. Várias das canções ainda trazem alguma complexidade em suas estruturas, em especial pelo fato de os sintetizadores irem de encontro ou seguirem caminho diferente ao das guitarras, e a bateria ter sido programada de forma bem intrincada. De qualquer forma, apesar de muitos detalhes, a audição se mostra bem mais acessível que os dois últimos discos de Vintersorg.

publicidade

Entre a diversidade do repertório, destacam-se "Döpt I En Jökelsjö", abertura com instrumentos que se alternam entre o acústico e elétrico, tendo Andreas mostrando os motivos de ser um dos melhores vocalistas do gênero. Também chama muita atenção a harmoniosa "Kosmosaik", com ótimo trabalho nos violões e guitarras, a obscura "Naturens Mystär" e a audaciosa instrumental "Vad Aftonvindens Andning Viskar", que mistura violões, flautas e uma bateria meio "jazzística".

publicidade

Um belo disco, que muitos dirão não ser perfeito pelo fato de não se voltar totalmente à velha originalidade do Folk Black Metal que alavancou a carreira de Vintersorg. Mas talvez a idéia tenha sido esta mesmo, ou seja, um resultado que agradasse os dois tipos de fãs – os de Folk e os de Progressivo – que se conquistou ao longo dos anos. De qualquer forma, "Solens Rötter" terá grandes chances de ser considerado seu melhor trabalho desde "Cosmic Genesis" (00). Vale a pena uma conferida!

publicidade

Formação:
Andreas Hedlund - voz, guitarra, teclados
Mattias Marklund - guitarra
Johan Lindgren - baixo

Vintersorg - Solens Rötter
(2007 - Napalm Records / Somber Music – nacional)

01. Döpt I En Jökelsjö
02. Perfektionisten
03. Spirar Och Gror
04. Kosmosaik
05. Idétemplet
06. Naturens Mystar
07. Att Bygga En Ruin
08. Strålar
09. Från Materia Till Ande
10. Vad Aftonvindens Andning Viskar

publicidade

homepage: www.vintersorganic.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Geologia: Os 5 lugares mais Metal do planetaGeologia
Os 5 lugares mais "Metal" do planeta


Axl Rose: Sobe na porra do palco ou você vai morrer!Axl Rose
"Sobe na porra do palco ou você vai morrer!"

Musas do Metal Nacional: combo de talento e sensualidadeMusas do Metal Nacional
Combo de talento e sensualidade


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin