Dew-Scented: muito direto e sem concessões

Resenha - Incinerate - Dew-Scented

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O alemão Dew-Scented vem crescendo consideravelmente pelo mundo, em especial depois da excelente repercussão do álbum “Impact” (04). Novamente abraçando muito do estilo de Slayer, o conjunto está lançando agora seu sétimo álbum, “Incinerate” (mantendo a tradição, seu novo título começa com a letra “I”), que não se desvia em muito da agressividade de seu Thrash envenenado pelo extremo Death Metal, tão respeitado pelos fãs.
5000 acessosMas afinal... o que é rock progressivo?5000 acessosRoger Moreira: resposta bem humorada a "crítica" no Agora é Tarde

A habilidade técnica, principalmente de seus guitarristas, continua sendo o grande ponto forte do Dew-Scented. Há muitos solos realmente criativos – o de “That’s Why I Despise You” ficou ótimo! – e a velocidade precisa de seus riffs, que parecem estar sob uma maior influência do Death Metal, chega a impressionar os desavisados. Acontece que toda esta velocidade, que atinge seu ápice em “Aftermath”, aliada aos insistentes e intensos gritos e urros do vocalista Leif, acaba por gerar um pequeno problema: a audição começa a se tornar maçante depois da metade do álbum. Infelizmente.

Esta rapidez e violência não abrem espaço para arranjos mais variados, e, aliado ao fato de não haver canções que sejam um real destaque sobre as demais, fazem de “Incinerate” um álbum forte, mas longe de ser espetacular. Nem mesmo a monstruosa mixagem de Andy Sneap, que conseguiu aumentar a agressividade e até mesmo atualizar toda esta potência sonora, influencia favoravelmente nesta conclusão.

Vale mencionar que este álbum marca a estréia do baterista Andreas, e conta também com as participações especiais de Jeff Waters (Annihilator) e Gus G. (Firewind), que contribuem com o solo de “Perdition For All”, e ainda Mille Petrozza (Kreator) faz um dueto com Leif Jensen na ótima “Retain The Scars”.

“Incinerate” é muito direto e sem concessões, indicado aos que apreciam os trabalhos de Slayer, Sodom, Destruction e similares. Estes, sim, terão mais chances de encontrar satisfação em meio a esta fórmula caótica que o Dew-Scented está colocando no mercado.

Formação:
Leif Jensen - voz
Florian Müller - guitarra
Hendrik Bache - guitarra
Alexander Pahl - baixo
Andreas "Andi" Jechow - bateria

Dew-Scented - Incinerate
(2007 – Nuclear Blast Records / Rock Brigade Records – nacional)

01. Exordium (Intro)
02. Vanish Away
03. Final Warning
04. That’s Why I Despise You
05. The Fraud
06. Into The Arms Of Misery
07. Perdition For All
08. Now Or Never
09. Aftermath
10. Everything Undone
11. Contraddictions
12. Retain The Scars
13. Exitus (Outro)

Homepage: www.dew-scented.net

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Incinerate - Dew-Scented

1111 acessosDew-Scented: apenas competente mais do mesmo

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dew-Scented"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Dew-Scented"

UmmagummaUmmagumma
Desentendimentos e confusões... o que é rock progressivo?

Roger MoreiraRoger Moreira
Resposta bem humorada a "crítica" no Agora é Tarde

Thin LizzyThin Lizzy
"Whiskey in the Jar" já era cantada há centenas de anos

5000 acessosMotörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do Sepultura5000 acessosMetallica: NME elege as 10 melhores músicas do grupo5000 acessosFotos de Infância: Cradle Of Filth5000 acessosTalento: pra quem tem, a idade é apenas um detalhe5000 acessosCapas de álbuns: as mais obscuras e marcantes da história3341 acessosNoisecreep: os 10 melhores álbuns duplo do rock

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online