Matérias Mais Lidas

imagemBeatles: A música que Paul McCartney compôs para calar a boca de Pete Townshend

imagemAs 10 músicas mais estranhas do Guns N' Roses, em lista do Ultimate Classic Rock

imagemAs obscuras músicas favoritas do Red Hot Chili Peppers de John Frusciante

imagemA opinião de Dave Mustaine sobre a clássica "The Unforgiven", do Metallica

imagemVocalista do Anvil afirma que Rob Halford e Ian Gillan são personagens

imagemDez clássicos do thrash metal que não foram gravados pelo "Big Four" - Parte I

imagemGene Simmons sobre o Ramones: "Punk nos EUA não significava nada"

imagemMaranhão Open Air anuncia line-up com 24 bandas em dois dias

imagemCinco músicas lançadas após o ano 2000 que se tornaram clássicos do rock - Parte II

imagemO hit do Engenheiros do Hawaii frequentemente confundido com confissão de aborto

imagemPrika Amaral esclarece por que contratou apenas mulheres europeias para a Nervosa

imagemJames Hetfield está se divorciando após 25 anos de casamento

imagemBlaze Bayley diz que um dos menores shows da carreira do Maiden foi o seu melhor

imagemAudioslave: Tom Morello recorda seu sinistro primeiro encontro com Chris Cornell

imagemJanis Joplin: última gravação dela em vida foi feita para um Beatle


Stamp

Kamelot: navegando para outros mares

Resenha - Ghost Opera - Kamelot

Por Ricardo Seelig
Em 20/06/07

publicidade

Nota: 8

Em 2005, o Kamelot lançou o seu melhor disco. "The Black Halo" representa para a banda o que "Master Of Puppets" é para o Metallica, "Reign In Blood" para o Slayer e "The Number Of The Beast" para o Iron Maiden. Com este álbum, o Kamelot subiu vários degraus, e passou a ser visto com outros olhos pelos fãs e pela mídia.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

E agora, o que fazer depois de um estouro desses, de conseguir chegar a um nível de qualidade tão elevado? A resposta está no novo trabalho dos caras, "Ghost Opera". As características mais marcantes de "The Black Halo", e também dos anteriores "Epica" e "Karma", foram mantidas, e não poderia ser diferente. Estão lá as linhas vocais emocionais de Roy Khan, criando melodias singulares, assim como o criativo trampo de guitarra de Thomas Youngblood, usando o seu virtuosismo a favor da musicalidade das canções. Gleen Barry e Casey Grillo solidificam ainda mais uma das melhores cozinhas da música pesada, e, complementando tudo isso, o tecladista Oliver Palotai constrói camadas que ora dão ainda mais peso à guitarra de Youngblood, ora inserem nuances que preenchem de forma inteligente as composições.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Os refrãos marcantes, uma das marcas mais evidentes do som do grupo, continuam em evidência. Isso já fica claro em "Solitaire", que abre o álbum com classe. A faixa seguinte, "Rule The World", parece saída das sessões de "The Black Halo", tamanha a similariedade com aquele álbum.

A cadenciada "The Human Stain" aposta em mudanças interessantes de andamento e clima, destacando a bela voz de Khan, enquanto a épica faixa título e "Blucher" unem com perfeição poderosos riffs de guitarra a dramáticas passagens de teclado. A linda balada "Love You To Death" é um dos destaques de "Ghost Opera". Passagens de violino enriquecem a canção, que também conta com uma ótima performance de Palotai.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Como havia ocorrido em "The Black Halo", o Kamelot mantém o seu ponto de vista e investe mais nas melodias e nas estruturas das composições do que em andamentos mais acelerados, o que torna a sua música, na minha opinião, diferente e muito mais interessante do que grupos similares, que ainda investem em um metal melódico mais ortodoxo. Apesar de que classificar o Kamelot como melódico é ser simplista demais, já que sua música está caminhando cada vez mais para outros mares, sendo o principal deles o prog metal.

Tecnicamente, "Ghost Opera" apresenta uma ótima produção, bastante similar ao último trabalho do grupo. Individualmente o destaque maior é o vocalista Roy Khan, apesar de todos os integrantes fazerem com perfeição o seu trabalho.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A principal diferença em relação a "The Black Halo", e que talvez gere discussões entre os fãs, é que as canções de "Ghost Opera" não possuem um apelo tão imediato quanto s daquele disco. Ao ouvir "The Black Halo", o ouvinte se empolgava a cada faixa, enquanto que em "Ghost Opera" as música vão revelando sua força a cada nova audição. Os mais ansiosos podem, assim, pré-julgar o trabalho de maneira errada.

Concluindo, o Kamelot não faz feio em "Ghost Opera", aliás está muito longe disso. Não é um discaço como "The Black Halo", mas mesmo assim ainda é muito melhor do que a maioria do que se anda fazendo no heavy metal atual.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Faixas:
1. Solitaire
2. Rule The World
3. Ghost Opera
4. The Human Stain
5. Blucher
6. Love You To Death
7. Up Through The Ashes
8. Mourning Star
9. Silence Of The Darkness
10. Anthem
11. Edenecho


Outras resenhas de Ghost Opera - Kamelot

Resenha - Ghost Opera - Kamelot

Resenha - Ghost Opera - Kamelot

Resenha - Ghost Opera - Kamelot

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Dream Theater 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Os únicos quatro assuntos das conversas nos EUA que enchiam saco de Fabio Lione

O justo motivo que fez Fabio Lione recusar cargo de vocal no Kamelot

Inspiração: bandas que adotaram títulos de músicas como nome

Kamelot: Roy Khan homenageado por trabalho com jovens

Metal Sinfônico: dez álbuns essenciais do gênero

Iron Maiden: Perguntas e respostas e curiosidades diversas

King Diamond: O que significa ser Satanista?


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig.