Neo Natural Freaks: hard com senso melódico

Resenha - Neo Natural Freaks - Fatal Smile

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9


Mais um promissor conjunto de Hard Rock vindo do norte da Europa! Apesar de seus músicos serem de diferentes regiões da Suécia, o Fatal Smile começou sua carreira em 1995 tendo como base a cidade de Estocolmo, onde ralaram por um bom tempo até debutar em 2002 com "Beyond Reality". Este disco lhes rendeu inúmeras apresentações, possibilitando um reconhecimento bastante positivo por aqueles lados.

H.B. Anderson (voz), Y (guitarra), Markus Johansson (baixo) e Tomas Lindgren (bateria) dão seqüência a sua carreira com este ótimo "Neo Natural Freaks", um álbum com canções diversificadas, muito bem estruturadas e fortemente calcadas num Hard Rock que, mesmo usando e abusando da distorção, tem um senso melódico apurado, ainda que contido. Para situar o leitor, o Fatal Smile é mais ou menos um híbrido de Brand New Sin com algo de Black Label Society e Mötley Crüe. Ou seja, as referências não são nada descartáveis.

publicidade

Além do vocalista H. B. ter uma voz muito forte (lembra vagamente Tom Englund do Evergrey), seu guitarrista mostra riffs extremamente pesados, muito bem definidos e com certa sujeira que remete aos anos oitenta. Mas o Fatal Smile não soa datado, é dono daqueles típicos acordes atemporais, que daqui a vinte anos ainda manterão muito de seu frescor original, sem contar que a própria produção do álbum tem certo cuidado neste aspecto, tendo como objetivo ser atual, mas longe de perder a atitude rebelde e furiosa inerente deste estilo.

publicidade

Muito do poder de fogo destas canções deve ser creditado a Jonas Östman (Yngwie Malmsteen) e a Stefan Glaumann, responsáveis respectivamente pela produção e mixagem, tendo conseguido captar com perfeição as intenções da banda. Faixas como "Neo Natural Freaks", "Crash And Burn", "Learn-Love-Hate" ou "Dead Man Walking", só para citar algumas, mostram o nível de inspiração e execução do grupo. A seqüência do álbum é tal que não há um único momento fraco, e somente "Quiet Chaos" se destoa, mas por ser praticamente um Doom Metal (?!?).

publicidade

Uma banda onde o respeito entre os músicos aparenta ser mútuo, onde cada um parece tocar apreciando o talento e a habilidade de seus companheiros gerou um dos melhores álbuns de Hard Rock que escutei nos últimos meses. "Neo Natural Freaks" merece uma atenção toda especial, pois apresenta muitos elementos que agradarão várias das tribos que curtem rock n´roll pesado e visceral. Só não espere baladinhas...

publicidade

Fatal Smile – Neo Natural Freaks
(2006 / Locomotive Music - importado)

01. Neo Natural Freaks
02. Bleeding Kiss
03. Crash And Burn
04. Learn-Love-Hate
05. Quiet Chaos
06. Practise What You Preach
07. Dead Man Walking
08. Colorblind
09. Common People
10. 11th Hour

Homepage: www.fatalsmile.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Separados no nascimento: Roger Waters e Richard Gere.Separados no nascimento
Roger Waters e Richard Gere.

Rock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposRock Progressivo
As 25 melhores músicas de todos os tempos


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin