Resenha - As Rapture Comes - Grave

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Não adianta... Algumas bandas vivem (ou morrem?) para tocar o bom Death Metal da velha escola, pouco se lixando para os detratores que dizem que o gênero está estagnado. O Grave, uma das primeiras bandas suecas neste estilo, mesmo já tendo passado pelos seus dias difíceis em quase duas décadas de existência, novamente faz bonito em "As Rapture Comes", seu terceiro álbum depois do esperado retorno em 2002.

Com os típicos rosnados e riffs encorpados do mestre Ola Lindgren, e uma cozinha excelente onde Ekegren e seu competente trabalho na bateria merecem destaque, o Grave continua descendo o pau na ideologia cristã e bombardeando nossos ouvidos com seus tradicionais arranjos de atmosferas obscuras da mais alta qualidade. Com uma técnica impecável típica do gênero e uma produção moderna – a mixagem ficou novamente aos cuidados de Peter Tägtgren, no Abyss Studio – o resultado final de "As Rapture Comes" acaba por ser ainda melhor e mais agressivo que o registro anterior, "Fiendish Regression" (04).

publicidade

O repertório com 10 faixas se apresenta bem equilibrado, tendo como destaque "Living The Dead Behind", praticamente uma síntese da proposta deste disco. De resto, são canções cadenciadas como a excelente "Battle Of Eden", mescladas a momentos mais velozes como a violenta "Unholy Terror" e "Through Eternity". Há também um inesperado cover do Alice In Chains (?!?), onde o quarteto sueco remodela o grunge de "Them Bones" com seu jeitão furioso todo característico.

publicidade

"As Rapture Comes" mostra uma das poucas e relevantes bandas escandinavas que executam o Death Metal de forma tradicional, e que conseguem atingir ainda uma maior fatia do underground. Portanto, não espere melodias de fácil assimilação por aqui – como o conterrâneo Dismember fez no ótimo "The God That Never Was" – tudo neste disco é elaborado por músicos que não abrem mão do extremismo, com os olhos voltados direto para o headbanger radical.

publicidade

Formação:
Ola Lindgren - voz e guitarra
Jonas Torndal - guitarra
Fredrik Isaksson - baixo
Pelle Ekegren - bateria

Grave - As Rapture Comes
(2006 - Free Mind Records / Encore Records - nacional)

01. Intro - Day Of Reckoning
02. Burn
03. Through Eternity
04. By Demons Bred
05. Living The Dead Behind
06. Unholy Terror
07. Battle Of Eden
08. Epic Obliteration
09. Them Bones (cover do Alice In Chains)
10. As Rapture Comes

publicidade

Homepage: www.grave.se


Outras resenhas de As Rapture Comes - Grave

Grave: urros, peso absurdo e grind




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Darkened: banda de integrantes de conhecidas bandas death lança debut


Discórdia: alguns dos maiores insultos entre artistasDiscórdia
Alguns dos maiores insultos entre artistas

Jared Leto: a reação ao se ver no papel do CoringaJared Leto
A reação ao se ver no papel do Coringa


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin