Resenha - Light Grenades - Incubus

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Zanetti
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Dois anos após o lançamento de "A Crow Left Of The Murder", as lojas recebem o novo trabalho de estúdio do Incubus: "Light Grenades". Quem esperava um novo "S.C.I.E.N.C.E." vai se decepcionar; quem esperava o equilíbrio de "A Crow Left Of The Murder" também vai torcer o nariz. Basicamente, "Light Grenades" parece ser uma continuação do açucarado "Morning View", o trabalho mais leve da banda.

Blind Guardian: Algumas verdades sobre Hansi KürschMetallica: Jason Newsted, 14 anos de humilhação

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Desde o segundo álbum ("Make Yourself"), ficava claro que o Incubus estava tomando um rumo diferente daquele apresentado em seu antecessor. Baladas extremamente acessíveis, como "Drive" e "Stellar", já estavam lá; e isso se consolidou em "Morning View", com faixas como "Wish You Were Here", "11am", "Echo" e "Aqueous Transmission". Em 2004, com "A Crow Left Of The Murder", muitos fãs mais antigos viram a possibilidade de retomada de peso, mas "Light Grenades" mandou essa esperança por ábua abaixo.

O álbum conta com 13 faixas e tem cerca de 47 minutos de duração. A abertura, "Quicksand", é extremamente lenta com toques progressivos (característica marcante do Incubus) e, em seguida, começa "A Kiss To Send Us Off" que, de certa maneira, lembra um pouco a faixa de abertura do disco anterior, "Megalomaniac" (que fez um sucesso relativo no Brasil, com o clip em uma posição razoável na MTV). Em seguida, "Dig", uma bela balada com uma bela letra - forte candidata a single.

"Anna Molly", o primeiro single, é uma das mais empolgantes do álbum - junto com a faixa título, "Rogues" e "Pendulous Threads". As demais são baladas muito bem construídas e grudentas, mas que acabam por perder um pouco do brilho devido à saturação do estilo neste álbum.

No geral, é um bom álbum. Não apresenta nenhuma grande novidade no estilo, não é um álbum maravilhoso ou um divisor de águas; é um álbum legal, com músicas boas prá namorar ou tocar em uma rodinha de violão.

Tracklist:
1. Quicksand
2. A Kiss To Set Us Off
3. Dig
4. Anna Molly
5. Love Hurts
6. Light Grenades
7. Earth To Bella (pt. 1)
8. Oil And Water
9. Diamonds and Coal
10. Rogues
11. Paper Shoes
12. Pendulous Threads
13. Earth To Bella (pt. 2)

Incubus:
Brandon Boyd - Vocal
Mike Einziger - Guitarra
Ben Kenney - Baixo
Jose Pasillas - Bateria
Chris Kilmore - Turntables




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Incubus"


Bobbie Brown: estrela descreve Paul Stanley como bizarroBobbie Brown
Estrela descreve Paul Stanley como "bizarro"

Mudanças: 10 bandas que não soam mais como em seus primeiros discosMudanças
10 bandas que não soam mais como em seus primeiros discos


Blind Guardian: Algumas verdades sobre Hansi KürschBlind Guardian
Algumas verdades sobre Hansi Kürsch

Metallica: Jason Newsted, 14 anos de humilhaçãoMetallica
Jason Newsted, 14 anos de humilhação


Sobre Thiago Zanetti

Nascido em 1986 e apaixonado por música, Thiago é formado em Jornalismo pela Unesp de Bauru, mas é natural de Sorocaba/SP. Ouve de tudo, desde grindcore até música clássica, passando por diversos gêneros de música nacional e estrangeira. Toca em uma banda cover de Metallica, mas não tem preconceito musical: se é som, está ouvindo. Sempre aberto a novas bandas.

Mais matérias de Thiago Zanetti no Whiplash.Net.

adGoo336