Resenha - Resto - Reação em Cadeia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Após a surpresa e sucesso obtido com o lançamento do seu primeiro disco, em 2004 a banda gaúcha Reação em Cadeia estava lançando seu segundo álbum, "Resto". Jonathan Corrêa (vocal e guitarra), Daniel Jeffman (guitarra), Márcio Abreu (baixo) e Nico Ventre (bateria) - a mesma formação de outrora - se mantiveram nas mesmas raízes do rock/hard rock neste disco, também lançado pela gravadora de Porto Alegre (RS) Antídoto.

Drogas e Álcool: protagonistas nos piores shows de grandes astrosFreddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação

Com uma produção superior em relação ao seu primeiro lançamento, o Reação em Cadeia conseguiu trazer neste CD músicas mais pesadas, composições mais trabalhadas e arranjos mais fortes, nítido amadurecimento do quarteto. A banda que antes de lançar este disco gozou de muita popularidade no Rio Grande do Sul e outros estados, certamente alcançou aqui um nível de banda 'mainstream', o que é absolutamente cabível. Já as influências continuam as mesmas: um pouco de Pearl Jam, Creed, The Calling, etc. Porém o nível de agressividade aqui não vem de nenhuma destas bandas, certamente. Então, aquela já dita influência do hard/heavy metal é mais encontrada aqui em "Resto" do que no seu antecessor, "Neural". Já as letras do Reação continuam naquela mesma linha habitual; reflexivas, emotivas e muitíssimo bem boladas, funcionando como um diferencial no conjunto da obra dos gaúchos.

"Resto" abre com a interessante e destacável "Estou Melhor", uma forte composição, com uma cara puramente hard rock (muito peso evidentemente). Uma das minhas favoritas no disco, assim como "Voltar", que começando mais cadenciada vai aos poucos tomando forma e ganhando um pouco de peso. Sim, outra música que eu gosto muito. "Quase Amor" é uma balada forte, um pouco diferente das baladas presentes no primeiro álbum da banda. Por ser diferente ela acaba sendo interessante, pois dificilmente imaginei encontrar peso em uma composição deste tipo, tratando-se de Reação em Cadeia, é claro. Parece que a banda resolveu investir mais em arranjos pesados aqui, e por isso o meu agrado quanto ao álbum como um todo. "Segredo", "Sou Eu" e "Meu Medo" são uma prova disto. Outra faixa mais cadenciada, "Tanto Faz", é mais uma das minhas favoritas. Por fim, a composição mais pesada da banda, "Nunca me Deixe Só", com uma exagerada dose de agressividade e peso. A melhor do álbum, sem dúvida.

O destaque individual novamente neste disco acaba indo para Jonathan Corrêa, responsável por todas as composições e por uma 'perfomance' digna de muitos elogios, obviamente. A consolidação da carreira do Reação em Cadeia é fato, espero que a banda consiga alcançar um mercado maior, emplacando em todo o Brasil. Gás para isto o grupo possui, qualidades também. Não é à toa tudo o que eles já conseguiram até hoje, com pouco tempo de estrada. Ah, aqui ainda há uma música escondida, além de uma faixa interativa com vídeos e fotos para ver no computador.

Line-up:
Jonathan Corrêa (vocal/guitarra);
Daniel Jeffman (guitarra);
Márcio Abreu (baixo);
Nico Ventre (bateria).

Track-list:
01. Estou Melhor
02. Voltar
03. Quase Amor
04. Segredo
05. Sou Eu
06. Meu Medo
07. Ao Teu Lado
08. Tanto Faz
09. Pare de Mentir pra Mim
10. Nunca me Deixe Só




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Reação em Cadeia"


Drogas e Álcool: protagonistas nos piores shows de grandes astrosDrogas e Álcool
Protagonistas nos piores shows de grandes astros

Freddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentaçãoFreddy Frenzzy
O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação

Eddie Van Halen: falando sobre o solo de Beat ItEddie Van Halen
Falando sobre o solo de "Beat It"

Bon Jovi: as fotos do vocalista com mulheres nuas em 1985Bon Jovi
As fotos do vocalista com mulheres nuas em 1985

Mamonas Assassinas: músicos já sabiam que iam morrer?Mamonas Assassinas
Músicos já sabiam que iam morrer?

Tom Morello: fã de Mötley e AC/DC, apesar de letras misóginas e demoníacasTom Morello
Fã de Mötley e AC/DC, apesar de letras misóginas e demoníacas

Iron Maiden: se as bandas de metal mandassem no mundo...Iron Maiden
"se as bandas de metal mandassem no mundo..."


Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336