Resenha - Faces - Symbols

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


A saída de Edu e Tito Falaschi foi um duro golpe para o Symbols. Além de perder seus vocalistas e baixista, a banda praticamente encerrou atividades, já que Edu assumiu definitivamente o posto de vocalista no Angra e Tito (atualmente no Wizards) começou a desenvolver atividades como produtor, em parceria com o estúdio Lumen. Mas eis que de repente a banda anuncia seu retorno aos palcos em 2001, com Demian Tiguez (atual Ceremonya) acumulando os vocais e guitarra. Esse retorno foi lento e gradual, e muito se esperava de um cd de estúdio. Pois afinal, se o Symbols investia pesado no power metal, como viria essa nova banda?
5000 acessosRolling Stone: os 100 melhores álbuns dos anos 905000 acessosMMA: os lutadores que curtem Rock e Heavy Metal

“Faces” é de longe bem diferente de tudo que a banda produziu. A faixa título é bem mais cadenciada e pesada, com um quê de “hard rock” e teclados bem mais evidentes. O vocal de Demian soa mais suave, porém interessante dentro da proposta da banda. “The Indian’s Soul” é bem mais “hard” e traz forte influência curiosamente do Angra (atual banda de Edu). Já “Living Another Day” lembra muito os trabalhos recentes do Savatage, com partes clássicas mescladas ao metal tradicional, assim como “Bright Times” e “The Rainy Nights”.

Quem estava acostumado à pegada pesada do Symbols em sua formação antiga com certeza irá estranhar a suavidade de músicas como “The Little Inside the Ocean” e até mesmo de “The Zen Archer”, que apesar de ter “riffs” poderosos, investe pesado na mudanças de andamento e cada vez mais leva o Symbols à direção da banda de Jon Oliva, tamanha a influência. Como bônus uma versão de “Bright Times” com a voz de Edu Falaschi, já que a saída do mesmo e de seu irmão da banda foi amigável e o mesmo sempre participa quando pode de algum show da banda. Nota-se nitidamente as diferenças entre os vocalistas, embora em nenhum momento Demian faça feio.

Um bom cd, que marca o retorno de um promissor nome do metal nacional à ativa. Com uma proposta diferente, mas ainda assim interessante. Vale conferir.

Site Oficial: http://www.symbols.art.br

Line Up:
Demian Tiguez – Vocal/Guitarras
Rodrigo Mello – Bateria
Cesar Talarico – Baixo
Fabrizio Di Sarmo – Teclados

Hellion Records – 2004

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Faces - Symbols

1055 acessosResenha - Faces - Symbols

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Symbols"

FamíliaFamília
Irmãos que tocam ou já tocaram juntos na mesma banda

Edu FalaschiEdu Falaschi
Os dez vocalistas brasileiros preferidos dele

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Symbols"

Rolling StoneRolling Stone
Revista lista os 100 melhores álbuns dos anos 90

MMAMMA
Os lutadores que curtem Rock e Heavy Metal

Music RadarMusic Radar
Os maiores frontmen de todos os tempos

5000 acessosQuiet Riot: quebrando disco de banda brasileira em 19855000 acessosDanilo Gentili: O sertanejo tem mais atitude roqueira que o próprio roqueiro5000 acessosMotorhead: destaques do funeral de Lemmy Kilmister5000 acessosAnitta: "Eu era roqueira. Comecei no funk por destino."5000 acessosIron Maiden: como a banda tirou o pé ao longo do tempo5000 acessosChris Cornell: Corey Taylor canta Pink Floyd em sua homenagem

Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online