Resenha - Nailed To Metal - U.D.O.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Maurício Gomes Angelo
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 10


Udo "Pato Donald" Dirkschneider, 96 cm de puro talento. Seja com o Accept ou com o próprio U.D.O, o nome deste simpático alemão está marcado eternamente na história da música pesada.

Maridos traídos: Portnoy, Hagar, Osbourne, Waters e Di'AnnoHair Metal: Os maiores cabelos da história do rock pesado

Gravado durante a Tour Européia de 2001, "Nailed To Metal" torna-se um ótimo álbum ao vivo, ainda que deixe a impressão de que a gravadora estava a fim de fazer uma graninha extra, e em vez de lançar mais uma coletânea caça-níquel optou por este ao vivo recheado de clássicos. Boa opção não acham? Seja como for nada suprime a qualidade absurda da performance e composições dos músicos aqui presentes.

Udo sempre se cercou de grandes músicos para formar sua banda, e aqui não é diferente, Stefan Kaufmann e Igor Gianola estão perfeitos e entrosados nas guitarras, Fitty Wienhold é segurança e velocidade no baixo e Lorenzo Milani é precisão á toda prova na bateria.

O fato de ser ao vivo contribui grandiosamente para uma audição ainda mais inesquecível. Por exemplo, "Metal Heart" (seu nome já entrega o título de clássico indispensável do heavy metal) ganha muito com o coro do público durante a execução do solo de Pour Elise de Beethoven, assim como "Holy" e "Hard Attack" não deixam o nível cair.

Olha só se isso aqui não é irresistível para quem tem o heavy metal correndo nas veias: "Fast As A Shark", "Restless & Wild" e "Princess Of The Dawn" - três músicas do mais do que clássico álbum "Restless & Wild" e que dão mostras do heavy metal visceral de riffs marcantes e geniais aliado à velocidade constante e refrões inesquecíveis que são marcas registradas de Udo - fora o famoso timbre de voz inigualável e presença de palco inquestionável que o baixinho possui.

"Balls To The Wall" é aquilo: prazer, empolgação e delírio metálico do início ao fim, refrão desumano, impossível de não acompanhar a plenos pulmões e sair pulando igual um louco pela casa, tentando (apenas tentando) extravasar o prazer de ouví-la. Garantia de gastar a bolachinha de tantas audições.

O álbum é um belíssimo aperitivo antes da turnê que o grupo fará em terras brasileiras e também serve de suporte ao lançamento do novo álbum "Thunderball".

Facilita para o fã poder ter um cd em que vários clássicos estão reunidos e o torna altamente recomendável para quem não tem nada do Accept ou U.D.O.

O único erro do álbum é o (ainda que bom e carismático) solo de bateria, que mostra-se desnecessário, e quebra bastante o clima justo no momento onde estamos cantando o refrão de "X-T-C". Ao invés dele podiam colocar outro clássico como "I'm a Rebel", por exemplo, que faz falta.

Apesar da falta de alguns clássicos, do solo de bateria dispensável, do encarte poder ser mais caprichado e que se fosse duplo teria um lugar eterno na história, seria uma heresia não dar 10 para uma pérola dessas, uma pérola do melhor e mais puro heavy metal que existe.
Como diriam os mais enfáticos: Buy or Die!!!!!!

Formação:
Udo Dirkschneider (Vocal)
Stefan Kaufmann (Guitarra)
Igor Gianola (Guitarra)
Fitty Wienhold (Baixo)
Lorenzo Milani (Bateria)

Site Oficial: www.udo-online.de

Track List:
01 - Holy
02 - Raiders Of Beyond
03 - Metal Heart
04 - X-T-C
05 - Drum Solo
06 - Fast As A Shark
07 - Princess Of The Dawn
08 - Restless & Wild
09 - Thunder In The Tower
10 - Hard Attack
11 - Balls To The Wall

Tempo Total: 60:00 min.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Udo"


AC/DC: Udo diz que ninguém o chamou e comenta atuação de Axl RoseAC/DC
Udo diz que ninguém o chamou e comenta atuação de Axl Rose

Separados no nascimento: Udo Dirkschneider e Rodney DangerfieldSeparados no nascimento
Udo Dirkschneider e Rodney Dangerfield


Maridos traídos: Portnoy, Hagar, Osbourne, Waters e Di'AnnoMaridos traídos
Portnoy, Hagar, Osbourne, Waters e Di'Anno

Hair Metal: Os maiores cabelos da história do rock pesadoHair Metal
Os maiores cabelos da história do rock pesado


Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336