Resenha - Lost Tapes - Bad English

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo
Enviar Correções  

O que fazer com as sobras que ficaram de estúdio de sua ex-banda, para que não fique nem sombra do que foi feito? 1) destruir as sobras (o que implica, destruir uma música potencial), 2) deixar engavetadas para um possível relançamento futuro, deixando a gravadora, esporadicamente lhe tomar os lucros, 3) lançá-las de forma crua e sem mixagem como bootleg oficial? A terceira parece bem viável, não? Bem, parece que o Bad English resolveu dar esse "presente" aos fãns, porém, a qualidade de som desse bootleg é meio incômoda.

publicidade

Muitas músicas, como a primeira, ainda contém aqueles chiados e glitters chatos que ilustram ausência de trabalho de mixagem e tratamento de som, muitas músicas inclusive contém aquele chiado horrível no início e no final das faixas. Mas descontando esses "probleminhas", temos um ótimo material da banda que acabou ficando para trás e foi relançado nesse bootleg, como prêmio de consolação. Tentarei me ater a música em si e ignorar os problemas apresentados, sempre que for possível.

publicidade

O disco começa com "The Way You Say Goodbye", uma boa balada, não fosse os problemas de chiados que tem durante a música. Fora isso, bom começo. A seguir, temos "Hard Rain", uma excelente música que foi uma pena ter ficado de fora dos dois discos da banda, aliás, uma excelente faixa de abertura para um disco, forte e contagiante. Excelente solo de piano de Cain. A seguir, vem a funkeada "Who Is This Talking", com um bom refrão e backing, e um solo bem legal de Schon.

publicidade

A seguir temos "World Gone Wild" (não confundir com a música do Arrival, disco mais recente do Journey), boa música, mas faltou aquela energia habitual da banda, ela parece meio deslocada, talvez por ser uma das primeiras demos, porém, é uma música legal. "Full Circle" parece a demo que originou algumas músicas do primeiro álbum, mas sem grandes atrativos, a não ser o solo matador de Schon. "Pretty Lies" é outra daquelas canções que você tem a impressão de que foi difícil tirá-la do tracklist dos discos da banda, pois poderia muito bem ter entrado. Muito bonita, não fosse os chiados dos extremos da faixa.

publicidade

"Love Burns" é outra boa e forte balada, uma pena ela ter ficado de fora. Lembra muito "Believe In Love" do Scorpions. Ótima guitarra de Schon e muito bom teclado de fundo por Cain. A seguir vem outra que parece ter sido injustamente cortada dos dois álbums da banda, a ótima "Inner City Refugees", com um trabalho vocal impressionante de Waite e ótimo solo de Schon, descontando, claro, os chiados irritantes dos extremos da faixa. "Stay With Me" parece ser a versão demo de "Inner City Refugees".

publicidade

A banda se arrasta até o fim do disco com a balada "Love Can't Find You" e "Get You back In My Life", que fecha esse disco de demos e material não lançado. O Bad English acabou na verdade, devido ao fato de, em 1996, os dois membros do Journey terem conversado com Perry e planejado um disco de retorno do Journey, que foi o ótimo Trial By Fire, e como Jon Waite tinha planos de continuar sua carreira solo, tudo se acertaria.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Supergrupos: Os melhores e piores na opinião da Metal HammerSupergrupos
Os melhores e piores na opinião da Metal Hammer


Fotos de Infância: Yngwie MalmsteenFotos de Infância
Yngwie Malmsteen

Megadeth: Mustaine abre o jogo sobre convite a Pepeu GomesMegadeth
Mustaine abre o jogo sobre convite a Pepeu Gomes


Sobre Ricardo

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin