Resenha - Drachenherz - Siegfried

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

7


Em busca da originalidade nessa ilha de cópias aberrantes, na qual se configura o power metal tantas vezes, creio que encontramos um tesouro. O Siegfried, ao mesmo tempo em que abre o portal dos elementos tradicionais do estilo, traz uma gama de surpresas e possibilidades engatinhando pela via de suas músicas.

publicidade

Primeiramente, já alertando, estes austríacos escrevem todas as letras em alemão. Caso isto seja um problema para ti, então exclua o grupo de seu catálogo imediatamente.

Seguindo em frente, o destaque principal dos estreantes está nos vocais, extremamente inusitados e bem trabalhados. São três vocalistas cantando diversamente, e variando as próprias abordagens realizadas com suas vozes.

publicidade

Sandra Schleret (ex-Dreams Of Sanity) vai do canto lírico a agressividades inesperadas, surpreendendo o tempo. Talentosa a moça. Bruder Cle manda um vocal rasgado único, o qual chega a ser realmente engraçado. Melhor nem tentar comparar, é ele e ponto final. Já Werner Bialek se fixa nos cânticos limpos, ‘heróicos’ como mencionados no encarte. O interessante é a união que eles fazem do trio, a qual me parece uma proposta perfeitamente aceitável e cabível de ser trabalhada pelo próprio Siegfried e por outras bandas num futuro próximo.

publicidade

O baterista Moritz Neuner (Darkwell, Korovakill, Dornenreich & cia) também se destaca por sua competência já dantes comprovada pelos mil e um projetos do qual faz parte, uma vez que é um ‘músico de estúdio’.

Infelizmente ainda não foi dessa vez que eles obtiveram sucesso ao mixar essas idéias e o instrumental tradicional, power. Ralaram tanto na conjunção das vocalizações que falharam na produção e mixagem restantes.

publicidade

"Darchenherz" é um álbum para poucas audições, contudo, as quais serão certamente inesquecíveis e, por vezes, hilariantes. É uma questão de costume, todavia não me parece que essa será uma moda pra rolar em ‘festinhas’ e prévias de shows.

Não é fácil de ouvir, tampouco de se adaptar a isso. Porém, a tentativa é rica, e assim que captada exteriormente à noção de um ‘corpo estranho’, torna-se interessante e produtiva. Vale a empreitada, e o projeto apresentado é totalmente aceitável. Que eles obtenham mais sucesso e consigam incluir, de fato e com competência, o instrumental, no decorrer da estrada.

publicidade

Site Oficial - http://www.siegfried.at.tf

Formação:
Sandra Schleret (Vocais)
Bruder Cle (Vocais)
Werner Bialek (Vocais)
Daniel Bachmaier (Guitarras – Teclados)
Roland Wurzer (Baixo)
Moritz Neuner (Bateria)

Material cedido por:
Hellion Records – http://www.hellionrecords.com
Rua 24 de Maio, 62 – Lojas 280 / 282 / 308 – Centro.
São Paulo – SP – BRASIL
CEP: 01041-900
Tel: (11) 5083-2727 / 5083-9797 / 5539-7415
Fax: (11) 5549-0083
Email: [email protected]

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Manowar: você acha as fotos da década de 80 ridículas?Manowar
Você acha as fotos da década de 80 ridículas?

Metallica: Ulrich comenta sobre seu maior erroMetallica
Ulrich comenta sobre seu maior erro


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin