Resenha - Haunted Made Me Do It - Haunted

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas
Enviar Correções  

9


Pois é, algumas bandas ficam se chamando de true metal, como se realmente existisse algum metal verdadeiro e algum falso, enquanto outras apenas pegam suas guitarras, botam no volume máximo, escolhem um maluco qualquer que consiga gritar tudo possível e fazem heavy metal, puro e simples, sem frescuras e sem fazer pose de quem se acha bom. O The Haunted logicamente está na segunda categoria, que convenhamos é muito melhor, e principalmente (aí sim o termo pode entrar) muito mais verdadeiro.

Túmulos: alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUA

Vanessa Frehley: amor sem limites ao Kiss

Este segundo álbum, entitulado com um nome um tanto sugestivo, The Haunted Made Me Do It, traz a banda ainda mais agressiva que no seu debut, agora contando com o vocalista Marco Aro, que mantém o peso habitual.

O que vemos nesse CD é um trash metal muito vigoroso, rápido, muito pesado, sem deixar de lado a melodia, com ótimos riffs de guitarra e uma cozinha devastadora. É só ligar o som no 10 e deixar rolar músicas como Bury your Dead, Trespass e The World Burns, entre outras para saber exatamente do que estou falando.

Pena que existam tão poucas bandas de metal como o The Haunted. Faça um favor pra você mesmo, vá agora em uma loja de rock e compre esse The Haunted, só cuidado pra ele não te forçar a fazer nada.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


The Haunted: Peter Dolving conta como foi ida a uma Sauna GayThe Haunted
Peter Dolving conta como foi ida a uma Sauna Gay

Heavy Metal: 10 bandas com formações tumultuadasHeavy Metal
10 bandas com formações tumultuadas


Túmulos: alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUATúmulos
Alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUA

Vanessa Frehley: amor sem limites ao KissVanessa Frehley
Amor sem limites ao Kiss


Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin