Resenha - Hamlet Soundtrack - Vários

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ana Therezo
Enviar correções  |  Ver Acessos


Em 16 de maio de 2000 foi lançada nos EUA a trilha sonora da nova adaptação cinematográfica do clássico de Shakespeare, Hamlet. Nessa coletânea, que saiu com o selo Rykodisc, músicas de bandas de rock e pop/alternativo como Primal Scream, Morcheeba e Supreme Beings of Leasure estão justapostas a trabalhos como os de Josh Rouse, Michael Hurley, e do compositor erudito Niels Wilhelm Gade, contribuindo para uma audição aguçada, atmosférica e evocativa. Desde a criação do cinema, mais de 25 versões foram transpostas para a tela. Esta é a trilha sonora mais radical delas.

Roadrunner: os dez melhores vídeo-clipes da gravadoraMetallica: os segredos de "Enter Sandman"

O filme, a cargo do roteirista e diretor Michael Almereyda e lançado pela produtora Miramax, é estrelado por Ethan Hawke no papel principal, além de Bill Murray como Polonius, Kyle MacLachlan como Claudius, Sam Shepard como o fantasma do pai de Hamlet, Live Schreiber como sua mãe e Julia Stiles como Ophelia.

O diálogo desta versão de Hamlet foi mantido em pentâmetros iâmbicos (em português claro, versos que alternam sílabas curtas e longas, do mesmo tipo com que a obra de Shakespeare foi escrita). Contudo, o cenário do filme é a cidade de Nova Iorque nos dias de hoje, com o reino feudal da Dinamarca transposto para uma megacorporação - um mundo de laptops e limusines.

Hamlet foi um sucesso em sua estréia na tela do Sundance Film Festival, e a Miramax, que havia planejado uma estréia simplória para o filme, acabou incluindo novas salas de apresentação ao passo que o filme ficou mais comentado. No Brasil, ele teve estréia na 24ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, com quatro exibições. Através da parceria da Trama com a Ryko, a trilha sonora está disponível em CD. Para aqueles que gostam de novidades, mistura de estilos e não estão ligados a radicalismos, vale a pena conferir.

A trilha sonora traz: "Slip Inside This House" (Primal Scream), "Big Calm" (Morcheeba), "100mBackstroke" (Josh Rouse), "Greentone" (Acceleradeck), "Sublime" (Supreme Beings of Leasure), "Wildgeeses" (Michael Hurley), "Calamine" (Fourtet), "Hamlet (Pow, Pow, Pow)" (The Birthday Party), "Moon Tide" (O'Neil) e "Echoes Of Ossian" (Niels Wilhelm Gade).




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs

Roadrunner: os dez melhores vídeo-clipes da gravadoraRoadrunner
Os dez melhores vídeo-clipes da gravadora

Metallica: os segredos de Enter SandmanMetallica
Os segredos de "Enter Sandman"

Metallica: Hetfield elege as suas dez músicas favoritasMetallica
Hetfield elege as suas dez músicas favoritas

Motley Crue: Atriz pornô comenta sua relação com Tommy LeeMotley Crue
Atriz pornô comenta sua relação com Tommy Lee

Dream Theater: semelhanças na capa de álbum?Dream Theater
Semelhanças na capa de álbum?

Nu Metal: dez discos essenciais do gêneroNu Metal
Dez discos essenciais do gênero

Nirvana: médico revela quanto Kurt Cobain gastava com heroína por diaNirvana
Médico revela quanto Kurt Cobain gastava com heroína por dia


Sobre Ana Therezo

Engenheira, Escritora de Araque e, atualmente, moradora das planícies gélidas Canadenses. Fã de Rock em todas as suas vertentes, mas com tendências xiitas ao Heavy Metal, ganhou seu primeiro bolachão - No Rest for the Wicked, em 1988. Vinte e poucos anos depois e, contrariando aqueles que acreditam que o gosto musical muda com o passar do tempo, continua escutando Ozzy, AC/DC, Deep Purple e afins. Colaboradora e leitora do Whiplash! desde que o site tinha caveirinhas na página principal, e que a lista dos melhores guitarristas de todos os tempos era o assunto da vez.

Mais matérias de Ana Therezo no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336