Resenha - Well Come To The Galaxy - Bralalalala

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Haggen Kennedy
Enviar Correções  

7

Minha nossa senhora!! Não sei nem o que dizer desse CD. Realmente é algo muito complicado falar dessa banda. Muito provavelmente, Mr. Bralalalala (é, esse é o nome artístico do sujeito) resolveu fazer um disco com o propósito de confundir qualquer jornalista que se aventurasse a fazer um review do mesmo. O pior é que conseguiu.

publicidade

Bem, em primeiro lugar: o que se pensa quando se olha o CD e vê-se que o nome da banda é Bralalalala? Pois é, a confusão começa daí. Primeiramente não se sabe o que esperar e, depois de pensar sobre o assunto, dificilmente se pensará em outra coisa a não ser que o grupo é apenas mais um daqueles que tentam parecer 'engraçadinhos' mas que não descem pela garganta de jeito nenhum. Quando se olham as fotos, então, é tiro e queda. Você pensa: "o glam está de volta!!". É, o tal do Bralalalala é bem afeminado e usa aquelas brilhantinas e meia-calça com sapato de mulher e etc.

publicidade

É claro que, a não ser que seja um amante do bom e velho hard farofa, você vá odiar o disco só pela capa. Mas calma lá. O que tem de 'hard', 'farofa' e 'glam' é só na capa, mesmo. Ao colocar o debute desse conjunto no som, a impressão é completamente diferente e você chega a se perguntar se o que está ouvindo e realmente a tal da banda Bralalalala ou se colocaram outro álbum na caixinha do CD.

publicidade

Que o tal do Bralalalala é afeminado, isso é mesmo. Ninguém pode negar. Mas que o som da banda é pesado, isso é, e também não dá pra negar. E que baterista do cacete, vá ser bom assim no inferno. O cara deixa o som da banda realmente com muito mais peso e agressividade. O cara dá até aquelas viradinhas nos pratinhos da bateria e dá pra notar até algumas coisinhas de jazz. E, quem diria, isso dá peso mesmo!

publicidade

O Mr. Bralalalala (que é quem está na capa do CD - e, a propósito, em todas as outras fotos do disco) é quem cuida dos vocais e da guitarra. Na verdade, ele e o baterista (Mr. Peter Ferench) é quem são a banda. Para turnês, os caras arranjam músicos contratados pra segurar as pontas. E os tais, apesar de morarem nos Estados Unidos - que, como todo mundo sabe, não anda nada bem com o heavy metal hoje em dia -, já excursionaram por vários países da Europa juntamente com o Hammerfall - e isso é pra mostar que, apesar de tudo, a banda realmente faz um trabalho sério e quer seguir carreira.

publicidade

Voltando ao disco, entretanto, não podemos dizer que se trata de um autêntico álbum heavy metal à lá Iron Maiden/Judas Priest. Nem pode-se dizer que é mais melódico à lá Helloween, e tbm não dá pra se dizer que é um heavy mais técnico à lá Angra. Fica difícil. Na verdade, esse lançamento tem muito toque industrial e uns vocais bem à lá Biohazard em várias partes. Mesmo assim, é 'speed', como se auto-rotula a banda.

publicidade

A bem da verdade, esse CD é mais voltado às composições ditas 'de palco'. Ou seja, as músicas são feitas, mesmo, pra você se acabar de agitar em uma apresentação ao vivo. Em casa, sentado no seu sofá pra ouvir o disco, não vai surtir muito efeito. Mas, mesmo assim, o disco é bom. quem for mente aberta e gostar de umas misturas bem interessantes vai se amarrar nesse disco.

publicidade

Mais informações podem ser encontradas no site oficial da banda em http://www.bralalalala.com


Outras resenhas de Well Come To The Galaxy - Bralalalala

Resenha - Well come to the galaxy - Bralalalala




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Di'Anno: Harris é como Hitler e o Maiden é entediante!Di'Anno
"Harris é como Hitler e o Maiden é entediante!"

Raul Seixas: Por trás da letra de Carimbador MalucoRaul Seixas
Por trás da letra de "Carimbador Maluco"


Sobre Haggen Kennedy

Nascido ao fim dos anos 70 e adolescido em meio ao universo metálico, Haggen Heydrich Kennedy já trabalhou e atuou numa vultosa gama de atividades, como o jornalismo, o desenho, a informática, o design e o ensino, além de outros quefazeres. Atualmente vive em Atenas, Grécia, onde estuda História, Arqueologia e Grego Antigo na Universidade de Atenas. A constante nesse turbilhão de ofícios, todavia, sempre constituiu-se de dois fatores: as línguas (ainda hoje trabalha com tradução e interpretação) e a música - esse último elemento, definitivo alimento espiritual.

Mais matérias de Haggen Kennedy no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin