Resenha - Sirenian Shores - Sirenia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Creio que podemos considerar Morten Veland como sendo um dos grandes mestres do Gothic Metal contemporâneo, pois desde a época do Tristania ele vem nos trazendo trabalhos do mais alto nível e de uma inspiração assombrosa, sempre conseguindo unir de maneira muito personalizada a melancolia da música gótica com a fúria do Metal, num resultado ímpar que gerou muitas “bandas-clone” de terceira categoria mundo afora.
5000 acessosDave Navarro: conheça a filha atriz pornô do músico5000 acessosSepultura: Pavarotti gravou uma versão de "Roots Bloody Roots"?

“Sirenian Shores”, mesmo sendo um EP com cinco faixas, é considerado um lançamento regular pela banda, trazendo suas tradicionais guitarras cheias de distorção, cordas, vozes limpas, guturais e femininas, sendo que, com exceção do violino e cordas, todo o restante dos instrumentos foi tocado por Morten.

Das canções aqui apresentadas, temos a inédita faixa-título, que segue bem a linha do velho Tristania, principalmente no trabalho com as guitarras. A nova versão para “Save Me From Myself” (que originalmente está no álbum “An Elixir For Existence”), está cheia de efeitos eletrônicos e superou a versão original, pois a atmosfera que se conseguiu nesta remixagem aumentou em muito a dramaticidade desta bela faixa.

A versão acústica para “Meridian”, que consta no primeiro disco do Sirenia não traz nada que valha a pena mencionar, a não ser que a versão original é disparado bem superior; porém a versão que fizeram para “First We Take Manhattan”, do poeta, romancista e músico canadense Leonard Cohen se modernizou, ficando com uma roupagem de Sirenia e de ótimo resultado final, onde brilha o talento das vozes de Kristian Gundersen e da cantora convidada Emmanuelle Zoldane com sua voz de sereia.

E fecha com chave-de-ouro este mini-disco a canção “Obire Mortem”, que possui todo o clima de Carmina Burana de Carl Orff. Um bom registro, e agora é ficar no aguardo do próximo álbum e ver o que o Sirenia trará como novo incremento ao seu expressivo metal gótico e orquestrado.

SIRENIA – Sirenian Shores
(2004 – Hellion Records)

1. Sirenian Shores
2. Save Me From Myself
3. Meridian
4. First We Take Manhattan
5. Obire Mortem

homepage: www.sirenia.no

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sirenia"

MetalheadMetalhead
As mulheres mais sexys do Heavy Metal

Musas do MetalMusas do Metal
Confira as 10 mais lindas atualmente

Symphonic MetalSymphonic Metal
As dez cantoras mais influentes e impressionantes

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Sirenia"

Dave NavarroDave Navarro
Conheça a filha atriz pornô do músico

SepulturaSepultura
Luciano Pavarotti cantando "Roots Bloody Roots"?

Elvis PresleyElvis Presley
De que ele morreu?

5000 acessosDave Navarro: conheça a filha atriz pornô do músico5000 acessosSepultura: Pavarotti gravou uma versão de "Roots Bloody Roots"?5000 acessosElvis Presley: De que ele morreu?5000 acessosSolos: Alguns dos mais bonitos do Heavy Metal4252 acessosIron Maiden: uma versão de "The Trooper" peidando com as mãos5000 acessosBlack Label Society: Zakk explica programa de um passo

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online