Rolling Stones: há 45 anos banda lançava "Sympathy for the Devil"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Giovanni G. Melo, Fonte: Ultimate Classic Rock, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Em junho de 1968, os ROLLING STONES gravaram uma de suas canções mais marcantes, "Sympathy for the Devil".

Lucy Boynton: depois de Mary Austin, ela fará Marianne Faithfull no cinemaHumor: Ser prog metal é mais que saber tocar em modo frígio


Depois do álbum "Their Satanic Majesties Request", que muitos consideraram um passo em falso no lado psicodélico da banda, os ROLLING STONES decidiram voltar ao básico, em parceria com um novo produtor - Jimmy Miller - mais conhecido na época por ter trabalhado no álbum "Mr. Fantasy" do TRAFFIC. Entre o novo lote de canções de Mick Jagger e Keith Richards, uma delas que poderia ou não ter sido inspirada pelos escritos do poeta francês Charles Pierre Baudelaire, mas que definitivamente foi cantada sob o ponto de vista de Satanás.

Gravada inicialmente no estúdio Olympic Sound em Londres em 4, 5, 8 e 10 de junho de 1968 e com os famosos "woo woo" sendo adicionados mais tarde em Los Angeles, "Sympathy for the Devil" se caracteriza com Jagger fazendo o papel de Príncipe das Trevas cantando sua trajetória através da história da humanidade e suas reações a eventos como a crucificação de Jesus Cristo, a revolução russa e a segunda guerra mundial, envolvendo detalhes do presente. Por exemplo, quando Robert Kennedy foi assassinado em 6 de junho de 1968, Mick Jagger alterou a letra original de "eu gritei: quem matou Kennedy?" para "eu gritei bem alto: quem matou os Kennedys?".

Embora Jagger hesite em associar a obra de Baudelaire como inspiração específica para "Sympathy for the Devil", em uma entrevista para a Rolling Stone em 1995 ele admitiu: "às vezes, quando olho para meus livros de Baudelaire, não consigo visualizá-la lá, mas foi uma ideia que tive do escritor francês". O frontman nunca negou que o guitarrista Keith Richards não tinha muito a ver com a música, sugerindo que eles poderiam tentar em outro ritmo.

Em 2003, o baterista Charlie Watts reconheceu seu não envolvimento na criação da canção. A primeira vez que ele ouviu a música, foi quando Jagger a tocou para ele completamente. "Tivemos que tocar de várias maneiras diferentes. No final, toquei uma espécie de Jazz Latino ao estilo Kenny Clarke em 'A Night in Tunisia'. Um estilo parecido, não o mesmo", disse Watts.

Vindo em seguida a um disco chamado "Their Satanic Majesties Request", não foi surpresa que uma música chamada "Sympathy for the Devil" resultasse nos ROLLING STONES sofrendo acusações de adoração ao diabo, mas, dado que eles conseguiram se manter por mais de 45 anos desde o seu lançamento, é justo dizer que a controvérsia não gerou muitos danos a longo prazo. Desde o lançamento, a canção foi regravada por vários artistas diferentes, incluindo SANDIE SHAW, GUNS N'ROSES, BRYAN FERRY, BLOOD SWEAT & TEARS, NATALIE MERCHANT, JANE'S ADDICTION, entre outros. A maioria, porém, concorda que a versão original permanece intocável.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Rolling Stones"


Lucy Boynton: depois de Mary Austin, ela fará Marianne Faithfull no cinema

Keith Richards: em vídeo, as transformações em sua aparência de 1962 a 2019Keith Richards
Em vídeo, as transformações em sua aparência de 1962 a 2019

Keith Richards: ele quase fez participação hilária no filme Zumbilândia 2Keith Richards
Ele quase fez participação hilária no filme Zumbilândia 2

God Save The Queen: 5 vezes em que rockstars britânicos peitaram a monarquia

Rolling Stones: 5 vezes em que a banda se posicionou politicamente em suas músicasRolling Stones
5 vezes em que a banda se posicionou politicamente em suas músicas

Rolling Stones: show feito na Argentina em 1998 será lançado em CD e DVD

Mick Jagger: criticando Trump e Bolsonaro por falta de políticas ambientaisMick Jagger
Criticando Trump e Bolsonaro por falta de políticas ambientais

Rolling Stones: cinzeiro elétrico é o que mantém Mick Jagger e Keith Richards unidos?Rolling Stones
Cinzeiro elétrico é o que mantém Mick Jagger e Keith Richards unidos?

Poeira: Rockstars e as bandas que eles sonhavam fazer partePoeira
Rockstars e as bandas que eles sonhavam fazer parte

Stones: alguém gritou fora Dilma, alguém tomou as dores e começou a discussãoStones
Alguém gritou "fora Dilma", alguém tomou as dores e começou a discussão

Turnês: Iron Maiden arrecada mais que Taylor SwiftTurnês
Iron Maiden arrecada mais que Taylor Swift


Humor: Ser prog metal é mais que saber tocar em modo frígioHumor
Ser prog metal é mais que saber tocar em modo frígio

Hard Rock: As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1Hard Rock
As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1

Headbanger: mostre que você é true em qualquer oportunidadeHeadbanger
Mostre que você é true em qualquer oportunidade

Guitar World: os 100 melhores guitarristas de hard rockGuitar World
Os 100 melhores guitarristas de hard rock

Entrevistas: Coices e tretas entre artista e entrevistadorEntrevistas
Coices e tretas entre artista e entrevistador

Megadeth: banda nunca gravará um disco como o Lulu, diz MustaineMegadeth
Banda nunca gravará um disco como o "Lulu", diz Mustaine

Rush: até Geddy Lee acha que La Villa Strangiato é muito difícilRush
Até Geddy Lee acha que "La Villa Strangiato" é muito difícil


Sobre Paulo Giovanni G. Melo

Mineiro de Belo Horizonte. Fã de Hard Rock e Heavy Metal, especialmente a partir dos anos 80, não dispensa um disco ao vivo destes estilos. Entre várias de suas bandas preferidas estão Ratt, Aerosmith, Buckcherry, The Cult, Whitesnake, Whitecross, Guns N' Roses e Motley Crue.

Mais matérias de Paulo Giovanni G. Melo no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336