Matérias Mais Lidas

Tony Iommi: surpreendendo ao eleger seu Deus do RockTony Iommi: surpreendendo ao eleger seu "Deus do Rock"

Ronnie James Dio: Finalmente Bruce Dickinson assumiu que sou um de seus heróisRonnie James Dio: "Finalmente Bruce Dickinson assumiu que sou um de seus heróis"

Rick Bonadio: o que ele pensa sobre cancelamento causado por criticar funk no GrammyRick Bonadio: o que ele pensa sobre cancelamento causado por criticar funk no Grammy

Ozzy Osbourne: ex-guitarrista conta porque Ozzy odeia um dos seus álbuns soloOzzy Osbourne: ex-guitarrista conta porque Ozzy odeia um dos seus álbuns solo

Metallica: Sebastian Bach achou os caras muito feios, e por isso comprou o disco na horaMetallica: Sebastian Bach achou os caras muito feios, e por isso comprou o disco na hora

Iron Maiden: a patada que Blaze levou de Steve Harris ao pedir fita de testeIron Maiden: a patada que Blaze levou de Steve Harris ao pedir fita de teste

Black Metal: os 10 melhores álbuns de 2021 segundo a revista Metal HammerBlack Metal: os 10 melhores álbuns de 2021 segundo a revista Metal Hammer

Tony Iommi: Uma rara foto antes do acidente que levou a ponta de seus dedosTony Iommi: Uma rara foto antes do acidente que levou a ponta de seus dedos

Helloween: 15 grandes músicas da banda gravadas durante a era Andi DerisHelloween: 15 grandes músicas da banda gravadas durante a "era Andi Deris"

Zakk Wylde: relembrando experiência assustadora de conhecer o Black SabbathZakk Wylde: relembrando experiência assustadora de conhecer o Black Sabbath

Despedidas: os últimos trabalhos gravados por grandes nomes do heavy metal - Parte 1Despedidas: os últimos trabalhos gravados por grandes nomes do heavy metal - Parte 1

Black Sabbath: Todos os álbuns ranqueados, do pior ao melhor, pela Kerrang!Black Sabbath: Todos os álbuns ranqueados, do pior ao melhor, pela Kerrang!

David Ellefson: depois da polêmica ele ficou rígido ao separar pessoal e profissionalDavid Ellefson: depois da polêmica ele ficou rígido ao separar pessoal e profissional

Mamonas Assassinas: a história das fotos dos músicos mortos, feitas para tabloideMamonas Assassinas: a história das fotos dos músicos mortos, feitas para tabloide

Charlie Brown Jr: Thiago diz que filho de Chorão tentou removê-lo de música inéditaCharlie Brown Jr: Thiago diz que filho de Chorão tentou removê-lo de música inédita


Stamp

Pussy Galore: biografia da banda americana

Por Luiz Carlos Barata Cichetto
Fonte: Barata Cichetto
Em 30/09/12

Pussy Galore é uma personagem criada por Ian Fleming em "007 Contra Goldfinger", da série James Bond. Seu nome é um trocadilho com "Pussy", que em inglês significa um outro nome para "Gata" ou o termo vulgar para "vagina'", enquanto "Galore'" significa grande abundância de alguma coisa. Portanto, poderíamos traduzir vulgarmente "Pussy Galore" como "Bucetuda" (?). No filme, a personagem interpretada pela atriz britânica Honor Blackman foi atenuada, pois no original literário, a principal capanga do vilão Auric Goldfinger é uma lésbica, chefe de uma gangue de ladras. No filme isso é apenas insinuado e ela acaba nos braços do irresistível James Bond.

Entretanto, na capital federal dos Estados Unidos da América, no ano de 1985, surge uma banda de garagem com o mesmo nome da personagem de Fleming. Com um som claramente inspirado em estandartes da piração criativa do final dos anos 60 e início dos 70, "The Velvet Underground" e "The New York Dolls", desde cedo a banda construiu um som que não podia ser rotulado, dada a miscelânea sonora que compunha seu trabalho. Distorção até o bagaço, gritos, letras com forte apelo sexual e toda a sorte de influências rítmicas e melódicas. Uma usina de criatividade e "loucura" concentradas. Mas ma usina dessas não tem como não explodir com tanta carga, ainda mais juntando-se a essa carga explosiva, o uso e abuso no consumo de drogas alucinógenas. O resultado pode chegar a ser genial ou catastrófico, dependendo para qual ela vão os estilhaços da explosão.

A base original da "Pussy Galore" era formada pelos guitarristas e vocalistas Jon Spencer e Julia Cafritz e pelo baterista John Hammill. E foi com essa formação que a banda gravou seu primeiro EP "Feel Good About Your Body". Após o lançamento do disco, o guitarrista Neil Hagerty passa a integrar a banda, Hammill foi substituído pelo ex-baterista do "Sonic Youth" Bob Bert e eles se mudam para New York, passando a incluir como guitarrista Cristina Martinez, então com 16 anos. Cristina não era instrumentista, mas namorada de Spencer e a modelo que posara para a capa do EP de estréia. Com esse "line-up" eles gravam outro EP "Groovy Hate Fuck" pelo selo "Shove Records" criado pela própria banda. Logo a seguir, em 1986, pela mesma "Shove", lançam uma gravação em fita cassete, com edição limitada a 550 cópias chamada "Exile on Main Street", apenas com "covers" de Rolling Stones. Futuramente essa gravação seria incluída na coletânea "Corpse Love".

Em Janeiro de 1987 outro EP, "Pussy Gold 5000". Pouco depois a modelo-namorada-guitarrista Martinez deixa a banda após sérios atritos com a outra guitarrista Julia Cafritz. "Right Now!" lançado pela Caroline Records, em Setembro de 1987, é efetivamente o primeiro álbum da "Pussy Galore" e o primeiro lançamento por outra gravadora. Mas, pouco tempo após o lançamento, o guitarrista Neil Hagerty deixa a banda e é substituído por Kurt Wolf. Hagerty voltaria a banda pouco tempo depois para a gravação e lançamento de outro EP "Sugarshit Sharp" um dos mais significativos da carreira da banda, que incluía "Yu-Gung", um cover da banda alemã de "industrial dance" "Einstürzende Neubauten", misturada com trechos do "rap" Don't Believe The Hype" do Public Enemy. Neste EP também foi introduzido o novo logotipo da banda, uma mistura do "Yu-Gung Man" do Neubauten com uma imagem quase indecifrável do logotipo clássico dos Rolling Stones.

O segundo álbum "Dial M For Motherfucker", foi lançado em 1989, ainda repleto da formula "Pussygaloriana" de fazer musica, isto é: muito ruído, provocação e truques de estúdio, musicas que parecem estar girando ao contrário ou que terminam abruptamente, sem nenhum sentido aparente. Originalmente o disco era para ser chamado "Make Them All Eat Shit Slowly", algo como "Faça Todos Comerem Merda Lentamente", mas foi vetado pela Caroline Records. Cafritz, a guitarrista que teria sido o pivô da saída de Martinez da banda, aparece apenas em algumas das musicas e pouco depois deixaria a banda. Ainda nesse ano, o Pussy Galore lançaria seu "split", com um cover da Black Flag "Damaged II" tendo "Damaged I" com a banda Tad do outro lado, para a Sub Pop Records e posteriormente dividiria, para um lançamento da "Supernatural Records" japonesa, outro "single" com a banda de "Industrial" "Black Snake".

Com a saída da guitarrista Cafritz, o trio Spencer, Hagerty e Bert lançam o último álbum em 1990 chamado "Historia de La Musica Rock" pela Caroline Records. A capa, uma paródia de uma série de compilações em vinil lançadas na Espanha chamada "Historia de La Música Rock".

Ainda em 89, Spencer e Martinez haviam se casado e fundado o "Boss Hog", que alcançou certa notoriedade não apenas em função da música, mas também pela nudez dela, tanto em cena como em capas de discos. Neil Hagerty continuou sua carreira com a namorada Jennifer Herrema, no duo de Blues-Rock "Royal Trux". Cafritz e Bert se uniram no início de 1990 e lançaram um álbum auto-intitulado "Action Swingers". Em 1992 foi lançada a compilação "Corpse Love: The First Year" que incluía as faixas do cassete "Exile On Main Street", material inédito do inicio e entrevistas. Jon Spencer também formou o "Blues Explosion", que lançou uma série de discos e ainda em 2012 continua gravando e se apresentando.

Discografia:
Albums
• Exile on Main Street - Cassette (1986, Shove)
• Right Now! - LP (1987, Caroline)
• Dial M For Motherfucker - LP (1989, Caroline
• Historia de La Música Rock - LP (1990, Caroline)
• Corpse Love: The First Year - CD (1992, Caroline)
• Live: In The Red - LP (1998, In the Red)
EPs
• Feel Good About Your Body - EP 7" (1985)
• Groovy Hate Fuck - EP (1986, Shove)
• Pussy Gold 5000 - EP (1986, Shove)
• Sugarshit Sharp - EP (1988, Caroline)
Compilação
• Groovy Hate Fuck (Feel Good About Your Body) LP (1987, Vinyl Drip)
Videos
• Maximum Penetration VHS (1987, Atavistic Video)

Video: Pussy Galore - Just Wanna Die -


Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

WhatsApp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaBlack Sabbath
Um Tony Iommi que você não conhecia

The Voice Kids: garotinha canta Led Zeppelin e conquista todosThe Voice Kids
Garotinha canta Led Zeppelin e conquista todos


Sobre Luiz Carlos Barata Cichetto

Sou Barata, nascido Luiz Carlos, no dia do Anti-Natal, do ano da Graça do nascimento de Madonna, Michael Jackson, Bruce Dickinson, Cazuza e Tim Burton. Sou poeta, escritor, produtor e apresentador de Webradio, produtor de eventos e procuro pagar as contas trabalhando com criação de sites. Crescí escutando Beatles, Black Sabbath, Pink Floyd e Led Zeppelin. Participei da geração mimeógrafo nos anos 1970, mas quando chegaram os filhos, deixei de ser poeta e fui tentar ser homem, o que no entender de Bukowiski é bem mais difícil. Escrevo poemas desde que comecei a criar pêlos.... nas mãos. Trabalhei como office-boy, bancário, projetista de brinquedos e analista de qualidade. No final do século XX, acordei certo dia de sonhos intranquilos e, transformado em um ser kafkiano, criei um projeto cultural na Internet nos moldes dos antigos panfletos mimeográficos. Mesmo antes de meu processo de metamorfose, nunca deixei de cometer poemas, contos e crônicas. E embora tenha passado dos três dígitos o numero de textos escritos, nunca ganhei um prêmio literário. Fui apaixonado por Varda de Perdidos no Espaço, Janis Joplin, Grace Slick e Sonja Kristina; casei quatro vezes e tenho dois filhos, Raul e Ian. Atualmente sou também editor, costureiro e colador de livros, num projeto de editora artesanal.

Mais matérias de Luiz Carlos Barata Cichetto.