Derrick Green: "acredito na tecnologia; não quero voltar à Idade da Pedra"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Bira Abreu, Fonte: blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

A revista italiana Rock Rebel realizou uma entrevista com o vocalista Derrick Green e o baixista Paulo Xisto Pinto Jr., do SEPULTURA, antes do show que aconteceu no dia 21 de fevereiro no Live Music Club em Trezzo D'Adda (Milão), Itália. Seguem alguns trechos (transcritos por BLABBERMOUTH.NET).

Rock in Rio: Por que o Metal foi excluído da programação?Metallica: Uma impressionante versão de "Nothing Else Matters"

Sobre a inspiração para as letras do último álbum do SEPULTURA, "Machine Messiah":

Derrick: "Eu definitivamente acredito que esteja dividindo em várias partes, mas creio que não seja tão esquerda e direita (tão polarizado). Eu acredito em tecnologia, e eu não quero voltar para a Idade da Pedra. Não me interpretem mal. Eu acho que (a tecnologia) é algo necessário para o avanço da humanidade, mas penso também que realmente temos que refletir sobre o que estamos criando, que tipo de máquinas são criadas e como isso pode beneficiar a humanidade, não bombas ou coisas desenvolvidas para matar uns aos outros, mas coisas que, você sabe, nos ajudem a ter água pura, ter comida para todos. O quanto essas coisas (advindas da tecnologia) podem ser benéficas para todos? Estou falando dos elementos básicos que a humanidade precisa para sobreviver. E eu acho essas coisas acabam chegando (e se tornam acessíveis) muito mais rápido do que se não tivéssemos a tecnologia".

Imagem

Sobre se eles acham que a tecnologia moderna tornou o mundo mais unido ou dividido:

Derrick: "Eu definitivamente acredito que esteja dividindo em várias partes, mas não creio que seja tão esquerda e direita. Eu acredito em tecnologia, e eu não quero voltar para a Idade da Pedra. Não me interpretem mal. Eu acho que (a tecnologia) é algo necessário para o avanço da humanidade, mas acho também que temos que realmente pensar sobre o que estamos criando, que tipo de máquinas estamos criando e como isso pode beneficiar a humanidade e as coisas, mas não uma bomba ou coisas criadas para matar uns aos outros, mas coisas que, você sabe, nos ajudem a ter água pura, ter comida para todos. O quanto essas coisas (advindas da tecnologia) podem ser benéficas para todos? Estou falando dos elementos básicos que a humanidade precisa para sobreviver. E eu acho essas coisas devem estar chegando muito mais rápido do que viriam sem a tecnologia".

"Machine Messiah" foi lançado em 13 de janeiro via Nuclear Blast. O disco foi produzido pela banda e e pelo Jens Bogren (SOILWORK, OPETH, KATATONIA, AMON AMARTH) no Fascination Street Studios, em Örebro, Suécia. A arte finala da capa do CD foi criada pela artista filipina Camille Della Rosa.

O SEPULTURA se junta agora em abril aos veteranos de San Francisco TESTAMENT para uma turnê norte-americana, com abertura e suporte do PRONG.

Veja a entrevista na íntegra (em inglês):

Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Comente: Você entendeu o conceito do "Machine Messiah"?

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Rock in Rio
Por que o Metal foi excluído da programação?

Kreator/Sepultura, Part Soilwor/Aborted: show na terra da rainhaTodas as matérias e notícias sobre "Sepultura"

Max Cavalera
Ele se orgulha de usar camiseta preta de bandas

Sepultura
O polêmico Nando Moura desafia Andreas Kisser

Sepultura
Banda em comercial da Volkswagen, confira vídeo

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 11 de março de 2017

Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Sepultura"

Metallica
Uma impressionante versão de "Nothing Else Matters"

Metallica
Cover de "One" realizado por banda de música medieval

Fabio Lione
Conheça a namorada e a filhinha do vocalista

55Gore: o nome e o logotipo mais complicados da históriaSexo Anal: saiba onde encontrar esse prazer no cenário RockNa Mira do Regis: farsa do playback no "Superstar" é desmascaradaAndreas Kisser: sim, Johnny Depp sabe tocar guitarraIndústria: Como as gravadoras fazem dinheiro hoje em diaJudas Priest: Halford chorou ao lembrar do último desejo de fã que morreu de câncer

Sobre Bira Abreu

Sociólogo nascido em Ubatuba, litoral de SP, tive meu primeiro contato com o metal aos 12 anos, através do "Piece of Mind", do Iron Maiden. Fiquei fascinado! Sou bem eclético, ouvindo bandas que vão de Thin Lizzy à Meshuggah, mas sempre tive uma queda por bandas com uma pegada mais progressiva e tals, a começar por Rush. Atualmente, o que nunca sai da minha playlist: Mastodon, Gojira, Sepultura e Black Sabbath. Na verdade, me considero aficcionado por Mastodon, a melhor banda de metal do séc. XXI ever.

Mais matérias de Bira Abreu no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online