The9thCell: material fresquinho na área, saindo do forno

Resenha - Galga de Zebra Ilesa - The9thCell

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Material fresquinho na área, saindo do forno. Bom, vamos apresentar a banda primeiro, aliás, a one-man-band. O português David Pais, o cara por trás do The9thCell (nominho complicado), montou este projeto com apenas 18 anos. E agora com 27 chega ao seu 7º trabalho oficial! O garoto trabalha e muito, pois não contabilizamos o EP "The Grand Deception" (2008) e a coletânea "Lonely Cuts'n'Seizures" (2006).
Gigwise: as capas mais polêmicas dos anos 2000Slayer: "Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da Barbie

Interessante notar que, apesar de jovem, o músico é muito experiente e leva em seu som influências que vão desde o pop Rock até o Thrash Metal, mas com foco voltado para o Prog Metal. "Galga de Zebra Ilesa" (Galgar, segundo o dicionário, é passar para o outro lado, transpor, pular, saltar) traz a participação de diversos músicos portugueses.

A sonoridade como eu disse abrange diversos estilos e soa complexa e pesada. Em uma primeira audição causa estranheza, ainda mais quando percebemos que a primeira composição, Adão e Erva é cantada em português de Portugal, assim como Liberdagem (Este Meu Poço de Romantismo Furioso). Esta última, conta com a participação de Marco Rosa e Pedro Isidoro. Destacando que ambas são as mais longas do trabalho, portanto mais variadas.

Mas é inegável que as composições em inglês chamam mais atenção, até pelo fato de soar mais familiarizado ao ouvinte. Cavaleão (com participação de Cláudio Brandão), por exemplo, soa como um belo Thrash noventista, cheia de groove e peso. Já Soft Hearted And Hard Cocked (com Bruno Lopes) tem um início instrumental de dar gosto, com um belo solo de guitarra, para depois cair no experimentalismo bacana.

Jacktiv(h)ate (com Samuel Luís e Pedro Isidoro) é outra pedrada que se destaca no trabalho. Dentre um início de porrada pura e uma quebrada de doer o pescoço a faixa cai para uma angustiante viajem com guitarras distorcidas e bateria cadenciada.

O trabalho encerra com a viajante e pesada (lembrou-me Rush, só que mais brutal) Keep Your Heart At Bay, que é instrumental. Com uma produção sonora de primeiro nível "Galga de Zebra Ilesa" é mais um daqueles casos que deve ser analisado e digerido com calma. Um disco que você redescobre a cada audição, ponto para o David.

http://9thcell.tk

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "9thCell"

Capas polêmicas
Slayer, Megadeth, Dream Theater, Carcass...

Slayer
"Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da Barbie

Slipknot
Joey Jordison revela o verdadeiro motivo de sua saída

Rock Nacional: Os 15 melhores riffs de guitarraAngela Gossow: Não existe deus! Simplesmente lide com isso!Metallica: Jason explica o baixo apagado de And Justice For AllGuns N' Roses: Stinson tocava música solo para Axl usar oxigênioCensura: ouvir Rock e Metal é porta de entrada para virar gay?Dust, direto das catacumbas

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online