Glenn Hughes: hard, soul, funk colorindo a noite porto-alegrense

Resenha - Glenn Hughes (Opinião Bar, Porto Alegre, 18/08/2015)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Karen Waleria
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Na terça-feira passada, dia 18 de agosto, Glenn Hughes apresentou-se na capital gaúcha, Porto Alegre. E desta vez o vocalista e baixista que já passou pelo DEEP PURPLE e BLACK SABBATH e, mais recentemente pelo BLACK COUNTRY COMMUNION e CALIFORNIA BREED, apresentou-se numa casa de show à sua altura, no Opinião Bar.

2909 acessosJoe Satriani: Glenn Hughes no novo disco e faixa inédita liberada5000 acessosGuns N Roses: Bon Jovi fez com Steven Tyler o que ele fez com Axl

Ao lado de Hughes, os exímios Doug Aldrich (guitarra, ex-WHITESNAKE e DIO) e Pontus Engborg (bateria) que já tocou com Eric Martin (MR BIG) e Joe Lynn Turner, entre outros.

A performance do músico, que funde elementos do hard rock, do soul, do R&B e do funk como poucos, iniciou pontualmente às 21 horas. A casa de shows tradicional da noite porto-alegrense não encontrava-se totalmente lotada, fato que passou despercebido, pois o público que compareceu ao show cantou, vibrou desde a primeira música até a última música executada. Tanto o público quanto a banda demonstraram enorme empolgação desde o primeiro acorde...

O músico britânico, nas duas horas de duração do show, fez um apanhado de toda a sua carreira, composto por músicas que marcaram a sua carreira solo, além de clássicos das bandas que fez parte.

É inegável a química entre Hughes e Aldrich. Dava para sentir o prazer que sentiam por dividirem o palco. Retifico é inegável o prazer, desculpem o termo, é inegável o tesão que esse trio mostrou na sua performance. Uma aula de como se faz o "Bom e Velho Rock N' Roll.

Os sorrisos estampados nos rostos dos presentes diante do músico merecidamente conhecido como "A Voz do Rock" chamavam atenção. Confesso que dividia meu tempo entre apreciar o power trio no palco e as mais variadas reações do público diante do lendário músico, diante da banda.

"Stormbringer" faixa-título do segundo álbum do Deep Purple com Hughes abre o show que segue com “Orion” e “Way Back to the Bone”, clássico do TRAPEZE...Logo em seguida Aldrich deixa o público ensandecido quando sola o hit do Deep Purple "Mistreated".

Essa música levou o público à loucura...Foi um dos ápices dessa noite gloriosa. A interpretação de “Good to be Bad” por Hughes, faixa composta por Aldrich em parceria com David Coverdale também foi matadora. Foram muitos momentos grandiosos, nesse grandioso show.

Depois de um hiato de cinco anos o músico estava novamente num palco gaúcho mostrando o porque faz jus ao título "The Voice of Rock". O tempo todo o público sorria, cantava, aplaudia os músicos,o show...Todos sabiam que teríamos um show de alta qualidade, mas minhas expectativas foram todas superadas.

Hughes possuí uma voz privilegiada, uma técnica perfeita.
Sem sombra de dúvida foi o melhor vocalista que já vi, ouvi ao vivo.

É certamente um dos mais talentosos cantores da história do rock, retifico, da história da música. Ele transita pelas mais variadas vertentes musicais, e a cada ano que passa melhora a sua performance. Contrariando aqueles que dizem que quando a idade chega, a voz muda e blá-blá- blá...

O músico possui uma facilidade incrível de transitar entre médios e agudos, indo para o falsete sem nenhum esforço. Deixando os que presenciam sua arte totalmente ENcantados, enfeitiçados.
Ele parece brincar de cantar. Ele é mestre na arte dominada por poucos mortais.

Outro ponto que chama atenção é a energia do músico que completou recentemente 63 anos. Hughes se movimentou o tempo todo no palco, interagiu constantemente com o público...
Acaba o show e o músico não esboça cansaço algum.

Mais um show que leva por àgua abaixo aquela falácia que o Rock N' Roll morreu...Não morreu, Fato.

E graças a músicos como Glenn Hughes, Doug Aldrich e Pontus Engborg que disseminam a boa música, nunca irá morrer.

Hughes, durante o show, disse mais de uma vez que volta ao Brasil em breve. Assim esperamos!

Fotos: Robert Vidal

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 07 de setembro de 2015


Joe SatrianiJoe Satriani
Glenn Hughes no novo disco e faixa inédita liberada

692 acessosGlenn Hughes: tocando clássicos do Deep Purple na TV australiana1744 acessosGlenn Hughes: ele finalizou novo álbum com um cara muito famoso0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Glenn Hughes"

Tony IommiTony Iommi
Glenn Hughes era muito mais drogado que Ozzy Osbourne

Deep PurpleDeep Purple
"Sempre soubemos que venceríamos sem Gillan", revela Hughes

Glenn HughesGlenn Hughes
Burn do Deep Purple foi um momento glorioso para ele e Coverdale

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Glenn Hughes"


Guns N RosesGuns N Roses
Bon Jovi fez com Steven Tyler o que ele fez com Axl

Dave NavarroDave Navarro
Conheça a filha atriz pornô do músico

Phil AnselmoPhil Anselmo
Mandou um "White Power" mas nega ser racista

5000 acessosFrases de bandas: o que eles realmente querem dizer?5000 acessosPhil Anselmo: mandou um "White Power" mas nega ser racista5000 acessosJames Hetfield: O equilíbrio entre Metallica e vida familiar5000 acessosAngra: repórter fala sobre possuir mesmo nome que baixista5000 acessosSeparados no nascimento: Paul Stanley e Ronaldo Esper5000 acessosPorta dos Fundos: Andreas Kisser e a cobrança dos metaleiros

Sobre Karen Waleria

Blogueira gaúcha. Estudou letras. Ecleticidade musical é seu ponto forte; com uma tendência ao Rock e Metal. Já foi colaboradora em grandes sites de Rock e Heavy Metal, trabalha com divulgação de bandas e eventos. Responsável pelo blog www.karenwaleria.blogspot.com.br. Siga no Twitter @Rocksblog.

Mais informações sobre Karen Waleria

Mais matérias de Karen Waleria no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online