Crucified Barbara: A apresentação das belas sorridentes em SP

Resenha - Crucified Barbara (Carioca Club, São Paulo, 20/04/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Monica Prado
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


















'Crucified Barbara' é uma força forte nesta invasão sueca de Metal. Formada em 1998 pela baixista Ida Evileye e a guitarrista Klara Force, começaram sua primeira encarnação com uma roupagem punk. A banda finalmente se tornaria hard rock e metal. A baterista Nicki Wicked e a vocalista/guitarrista Mia Coldheart logo iriam se juntar a festa, e em 2005 o grupo lançou seu álbum de estréia, "In Distortion We Trust". O segundo álbum, "Til Death Do Us Party " seria lançado em 2009. Quando o quarteto feminino lançou "The Midnight Chase" em 2012, elas já tinham refinado seu som e definido a sua assinatura, empunhando riffs de hard rock, melodias e vocais de alta energia. Pela segunda vez em solo brasileiro, entregando um apaixonado, emocionante e divertido set de 70 minutos a banda mostrou toda sua versatilidade, talento e carisma.

A última apresentação da turnê, realizada no Carioca Club, contou com as bandas de abertura 'Hibria' e 'Kiara Rocks'.

As 17:30 horas, Iuri Sanson, líder do Hibria, vem comandar uma hora de show de uma das bandas mais promissoras do cenário nacional. Ativos desde 1996, vindos de Porto Alegre, e com quatro álbuns na bagagem, eles aqueceram a galera com um som de ótima qualidade.

Iuri agradece, lembrando que faz três anos que pisaram neste mesmo palco. O grupo mostra entrosamento e técnica perfeitas, Iuri transmite suas qualidades através da voz e performance. Seu ritmo é forte, mostrando toda potência heavy metal que já lançou o Hibria internacionalmente.

O set list da noite foi especialmente escolhido para que o público cantasse do princípio ao fim, e as palmas, o coro, e a vibração de todos não deixou dúvidas quanto a essa escolha. Um tremendo aperitivo para abrir a noite!

Lineu up:
Iuri Sanson - vocais
Abel Camargo - guitarra
Renato Osorio - guitarra
Benhur Lima - baixo
Eduardo Baldo - bateria

Set List:
Silent
Lonely
Shoot
Horror
Steel
Anger
Blinded
Silence
Tiger
Rock

O Kiara Rocks, banda paulista formada em 2008 fez a segunda apresentação da noite. Liderados por Cadu Pelegrini, que chama atenção pela altura e pelo estilo, mostraram canções dos seus três álbuns, bem como covers do 'System of a Down' e 'Guns and Roses'.

Line up:
Cadu Pelegrini - vocal, guitarra
Anselmo Fávaro - guitarra
Phil Bonaño - guitarra
Juninho Caitano - baixo
Marcos Grevy - bateria

Set List não fornecido.

Finalmente, às 21:10hs as belas sorridentes do "Crucified Barbara" anunciaram que esta apresentação encerraria a turnê, e elas disseram que não queriam voltar para casa.

O quarteto subiu ao palco, abrindo o set com as três primeiras faixas "The Crucifier", "Play me Hard" e "Shut your Mouth" que mostra a influência de Motorhead.

A presença de palco da banda era tão boa que deixou claro que possuíam toda a confiança e o profissionalismo dos headliners veteranos e experientes. É fácil perceber que Mia consegue ter a plateia em suas mãos, ela é cativante e quem a assiste admira sua beleza, voz e habilidade com a guitarra. Klara Force, a guitarrista, Ida Evileye, a baixista, e a baterista Nicki Wicked mostraram sua força, tanto musicalmente quanto fisicamente incitando umas as outras durante a execução das músicas, abordando a galera e mantendo o nível de energia em níveis de pico.

Um dos destaques foi a música "Jennyfer" do álbum "'Till Death Do Us Party" onde Mia senta-se próximo ao público para mostrar este sucesso.
O som pesado de "Losing the Game" foi um ponto alto, dado a vibração dos fãs.

"In Distortion WeTrust", faixa que dá título ao primeiro álbum também fez parte do repertório.

No final da execução as três erguem suas guitarras e saem do palco.
Mia volta enrolada na bandeira do Brasil, e diz que seu novo vestido é muito 'cool', elas filmam o público e perguntam se realmente queremos mais música. O 'yes' movimenta as meninas à execução de mais três canções de peso 'My Heart Is Black', 'Rock Me Like the Devil' e 'Into the Fire'.

Elas foram definitivamente divertidas e fizeram um ótimo trabalho, aquecendo Carioca Club, e agradecendo ao público por fazerem com que elas voltassem ao Brasil pela segunda vez e pela noite fantástica.

Que voltem sempre!

Line Up:
Mia Coldheart - vocais, guitarra
Klara Force - guitarra
Ida Evileye - baixo
Nicki Wicked - bateria

Set List:
The Crucifier
Play Me Hard
Shut Your Mouth
Sex Action
To Kill A Man
Everything We Need
Jennyfer
Rules And Bones
Losing the Game
Sell My Kids For Rock n' Roll
In Distortion We Trust
Encore:
My Heart Is Black
Rock Me Like the Devil
Into the Fire

Fotos: Fernando Yokota. Set completo neste link.


Outras resenhas de Crucified Barbara (Carioca Club, São Paulo, 20/04/2014)

null



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Crucified Barbara"Todas as matérias sobre "Hibria"Todas as matérias sobre "Kiara Rocks"


Hibria: divulgada data do primeiro show com a nova formação

Rock e Metal: as vozes da nova geraçãoRock e Metal
As vozes da nova geração

Heavy Metal: site elege as dez melhores bandas do BrasilHeavy Metal
Site elege as dez melhores bandas do Brasil

Power Metal: 20 bandas para quem é fã do estiloPower Metal
20 bandas para quem é fã do estilo


Slayer: Kerry King fala sobre sua relação com religiõesSlayer
Kerry King fala sobre sua relação com religiões

Halloween: dez clássicos do Heavy Metal para curtir a dataHalloween
Dez clássicos do Heavy Metal para curtir a data

Os dez maiores picaretas da música internacionalOs dez maiores picaretas da música internacional
Os dez maiores picaretas da música internacional

Emos: 23 músicas que já estiveram na sua playlistHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1983Blender: os mais malucos da música segundo a revistaIron Maiden: as músicas do "The Number", da pior para a melhor

Sobre Monica Prado

Sou formada em Engenharia pela E. E. Mauá e atualmente curso Filosofia na FFLCH-USP. Sou professora e tradutora de Inglês. Amo música e curto desde música clássica até o Heavy Metal. Música brasileira não é meu forte, mas sei apreciar um som de qualidade. A música me ajuda a sobreviver neste mundo, e ele ainda vale a pena por causa dela!

Mais matérias de Monica Prado no Whiplash.Net.