Theatres des Vampires: um ótimo show alternativo em SP

Resenha - Theatres des Vampires (Newz Club, São Paulo, 24/02/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Diego Camara
Enviar correções  |  Ver Acessos

Apesar dos atrasos no show, o público não se abalou e apreciou o show da banda italiana de Metal Gótico, que desta vez conseguiu fazer sua tour na América Latina e animou o pequeno público do show com grandes sucessos e músicas novas.

Guns e Sabbath: semelhança entre Zero the Hero e Paradise CityCornos do Rock: a dor e o peso do chifre em três belas canções

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

As 19:00h: este era o horário para o início do show do THEATRES DES VAMPIRES no Newz Club, na famosa Rua Augusta, no centro da capital paulista. Um grupo, desde antes das 18 horas, aguardava em frente ao local para a abertura da casa. O tempo quente, levemente refrescante pela já não existência do sol, tornou o clima de espera ameno e tranquilo. A casa somente foi aberta as 19:30hrs, quando começou a entrada dos fãs da banda no recinto. Uma casa de shows pequena e com pouca largura foi o que os fãs encontraram quando entraram no Newz Club. O show foi realizado no 2º andar em um pequeno palco na parte de trás da casa, que dificultou a movimentação dos músicos no palco e tornou a relação entre os fãs e a banda mais próxima.

As 20:30hrs iniciou-se o show da banda brasileira RAVENLAND, designada para a abertura do evento. Apesar do atraso o artista foi bem recebido pelo público e tocou oito músicas próprias. Mostrando bom carisma na apresentação, a banda agradou o público em geral com uma boa performance - apenas um pouco abafada pelos problemas de equalização e a falta de qualidade do som no clube, que deixaram a desejar. Aproveitando a sequência do lançamento do terceiro disco da banda, marcado para o primeiro semestre de 2013, a banda aproveitou para tocar novas músicas da banda. Abriu o show com a música "Nevermore", um dos carros-chefe do novo disco, que agradou o público e gerou aplausos. Outras canções novas tocadas pela banda foram "Velvet Dreams", "On The Run" e "Memories". A banda fechou sua apresentação com um cover de "Wicked Game", da banda HIM.

Após o final do show de abertura, rapidamente foi modificada a estrutura do palco para a apresentação da banda italiana. O público aguardou até as 22hrs, quando Sonya Scarlet e companhia entraram no palco para a apresentação, abrindo com a música "Keeper of Secret" do último álbum da banda, "Moonlight Waltz", para delírio da plateia após tantas horas de espera para ver a banda. Diferentemente do som apresentado pela RAVENLAND - extremamente pouco equalizado e com uma grande interferência - o som dos góticos já permanecia muito mais bem composto desde o início da primeira música, balanceado harmonicamente entre todos os instrumentos.

A plateia já na segunda música estava bastante emocionada e parecia ter esquecido toda a espera. Apesar de pequena, estava muito animada e firme para gravar todas as músicas do show, guardando a lembrança de estar tão próximos da belíssima e sombria Sonya Scarlett. A vocalista, por sinal, era o membro mais animado da banda. Cantou, dançou e segurou por diversas vezes as mãos dos fãs que se debruçavam por sobre o pequeno palco. O local, apesar de bastante estreito, não intimidou a vocalista, que dançou durante todo o tempo, chamou os fãs para abraços e se movimentou muito bem, como se estivesse em um palco espaçoso em um clube de grande porte. Ela dominou o show e mostrou porque valeu a pena a espera dos fãs brasileiros, que aguardavam o show desde setembro do ano passado, quando a turnê foi cancelada.

Com "Moonlight Waltz", a plateia, que esteve desde então um pouco acanhada e preferia assistir do que participar diretamente do show, ameaçou e cantou junto com a vocalista o refrão. Na música seguinte, o som perfeito da bateria correspondeu a ótima qualidade do som no local que, se o tamanho não era dos maiores nem aconchegante o bastante, não decepcionou e nem estragou as músicas da banda. "É um verdadeiro sonho estar com vocês aqui no Brasil", disse Sonya, sorrindo para a plateia. Ela inclusive fez a lição de casa e arriscou no português algumas vezes, com boa desenvoltura.

A banda cortou algumas músicas dado o problema do tempo do show, que começou atrasado. Isso acabou deixando alguns dos fãs nervosos, mas nada que pode prejudicar a totalidade da performance. Na saída do bis o público agradeceu a proximidade com a vocalista, gritando pela volta da banda. Foi prontamente atendida pelo baterista Gabriel Valerio, apelidado de "Jesus" pelos fãs da banda, arrancando risos da plateia.

A banda voltou para tocar o sucesso "Carmilla", que era uma das músicas mais esperadas da noite e não poderia faltar de jeito nenhum. No final, a plateia aplaudiu e recebeu presentes da banda, alguns fãs pediam algumas músicas que não foram tocadas, especialmente "Blut Divine", riscada da setlist na última hora. Mesmo assim, o prazer por terem ouvido a banda em uma performance invejável fez valer a pena, e tornou as em torno de 150 pessoas presentes bastante felizes por terem sido agraciadas pela presença de Sonya e a banda.

O show terminou as 23:30hrs, um pouco tarde para um show realizado no domingo, mas causando impressionante resultado que, apesar de todos os contratempos e de um local que tinha um palco tão pequeno que seria capaz de derrubar qualquer banda, mostrou que ainda era possível produzir no Newz Club um ótimo show alternativo graças a vontade dos organizadores, do público e de uma banda que não tem medo da proximidade com a plateia.

Setlist Theatres des Vampires:

1. Keeper of Secret
2. Lillith Mater
3. Bring me Back
4. Pleasure and Pain
5. Blood Addiction
6. Grand Guignol
7. Unspoken Words
8. Moonlight Waltz
9. Dracula
10. Medusa
11. Rain
12. Kain
13. Wherever You Are
14. Sangue
Bis:
15. La Danse Macabre
16. Carmilla




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Theatres Des Vampires"Todas as matérias sobre "Ravenland"


Guns e Sabbath: semelhança entre Zero the Hero e Paradise CityGuns e Sabbath
Semelhança entre Zero the Hero e Paradise City

Cornos do Rock: a dor e o peso do chifre em três belas cançõesCornos do Rock
A dor e o peso do chifre em três belas canções


Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre Diego Camara

Mais matérias de Diego Camara no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336